PENITÊNCIA PERIGOSA

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de Suedro Potiele

banan.

Certa vez um circense,
Palhaço muito engraçado,
Foi à igreja para avisar
Ao sacerdote Romualdo
Que um circo ali pertinho
Estava prestes a ser armado
E que, por ser inofensivo,
O padre não tinha motivo
Pra ficar preocupado.

Pra não perder a chance
De falar com o vigário,
O palhaço que do circo
Também era proprietário,
Quando viu que o clérigo
Atendia nesse horário
Seus fiéis em confissão
Ajoelhou-se ali no chão
Diante do confessionário.

Após ouvir desse palhaço
Que uma das brincadeiras
Que ele mais executava
Era plantar bananeira,
O padre bem curioso
Quis saber de que maneira
Esse tipo de palhaçada
Era, no circo, realizada
Ante uma plateia inteira.

Por ser muito brincalhão
O palhaço imediatamente,
Embora ele estivesse
Num sagrado ambiente,
Pra explicar o que no circo
Ele fazia frequentemente,
Por incrível que pareça
Ficou de ponta cabeça
Aos olhares dos presentes.

Neste instante ao depararem
Com a tal cena descabida
Duas velhinhas, na igreja,
Caminharam pra saída
Enquanto uma dizia
Sobremodo espavorida:
– Vamos embora, Generosa.
A penitência tá perigosa
E nós viemos desprevenidas.

Nota: desenho do autor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *