POMPEIA – A VILA DOS MISTÉRIOS

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

 amen123456    amen1234567

A cidade de Pompeia pertencia ao Império Romano e ficava a poucos quilômetros de Nápoles, na Itália. No ano 79 d.C., ela foi soterrada pelas cinzas do vulcão Vesúvio, durante uma violenta erupção, que a cobriu totalmente, matando tudo o que tinha vida. O lugar permaneceu soterrado durante 1600 anos, quando, em 1748, foi descoberta por acaso. E qual não foi o espanto de seus descobridores ao notar que as cinzas e a lama não apenas conservaram as construções e objetos, como também moldaram os corpos dos imolados pelo cataclismo, durante tantos séculos.

Pompeia tornou-se patrimônio mundial da humanidade, sendo tombada pela UNESCO, e transformou-se numa das mais procuradas atrações turísticas da Itália. Desde a época de sua descoberta, escavações vêm sendo feitas, revelando imensos tesouros, e trazendo a compreensão de como viviam as pessoas naquela época. Mas não tem sido fácil a preservação do local, que já passou, inclusive, por um terremoto, em 1909. Até mesmo a chuva tem feito estragos. E a própria UNESCO, em razão da má conservação do sítio arqueológico mais importante de nosso planeta, ameaçou retirá-la do rol dos patrimônios da humanidade. É lastimável que a má administração do local tenha contribuído para que a Casa dos Gladiadores ruísse.

Uma das maiores atrações de Pompeia é a Vila dos Mistérios, que se trata de uma gigantesca mansão, com 60 quartos, construída no século 2 a.C, sendo uma das mais bem preservadas. Seu nome tem origem no afresco triclínio (Na Roma antiga tratava-se de um refeitório com três ou mais leitos inclinados, dispostos ao redor de uma mesa.), pintado cerca de 70-60 a.C. Era ali que muitas famílias ricas romanas ficavam durante as férias. Para restaurar essa atração foram necessários dois anos de trabalho intensivo. Além de reforçar as estruturas do ambiente, havia uma grande preocupação em recuperar os muitos afrescos ali existentes.

Os afrescos, ainda em estudo, parecem mostrar as diversas fases do ritual de iniciação ao culto do deus do vinho e do prazer, conhecido por Baco (Dionísio, em grego), em que a personagem central parece ser uma jovem da nobreza, para que pudesse ter seu acesso à sociedade da época. Em algumas das fases ritualísticas encontra-se o próprio deus. Há também a presença de seres mitológicos.

Nota: a segunda imagem trata-se de um dos afrescos restaurados.

Ficha técnica
Autor: desconhecido
Ano: c. 60 a.C.
Técnica: afresco
Dimensões: 1,62m de altura
Localização: Pompeia, Itália

4 comentários sobre “POMPEIA – A VILA DOS MISTÉRIOS

    1. LuDiasBH Autor do post

      Rui

      Como o meu Estado é muito rico em águas, imagino que deve haver muitos lagos e grutas debaixo da minha cidade. Lisboa também sofreu um grande terremoto, não foi? Mas não deve mais haver vulcões em ação em seu país.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  1. Pedro Rui

    Realmente é uma história cheia de mistério. É errado tirar do rol dos patrimônios da humanidade esta maravilha. Eu estou a ler sobre a Atlântida que está debaixo do mar português. Agora todos, incluindo a Espanha, querem aquele mar, mas pertence a Portugal, como há imagens de Pompeia também há da Atlântida.

    É fascinante a história, eu vi o filme, é um dos filmes que eu mais gostei, em toda a minha vida.
    A forma como tudo acabou foi muito destruidora, assim como outras grandes cidades.

    Abraços

    Rui Pedro

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Rui

      A destruição de Pompeia foi por uma causa natural, ou seja, ela foi soterrada por um vulcão. Nunca compreendi o porquê de os homens construírem cidades nos pés de montanhas vulcânicas. Já aconteceu o mesmo aqui na América do Sul. No Brasil não temos vulcões. Eu não vi o filme. Deve ser muito interessante.

      Se a Atlântida encontra-se em mares portugueses, é lógico que ela pertence a esse país. Nenhum outro país tem que meter o dedo. E ali deve haver riquezas imensas, como conta a lenda.

      Estou feliz com a sua presença.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *