Botticelli – PIEDADE

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

paixao jesus

Também conhecido por Lamentação sobre o Corpo Morto de Cristo, ou Pietà, a composição acima mostra a inquietude e o drama religioso vivenciados pelo pintor Sandro Botticelli, nos anos que se seguiram aos acontecimentos com o frade dominicano Girolano Savonarola, que conseguiu tocar o coração dos fiéis com suas pregações, assim como o do pintor. É, sem dúvida, uma das pinturas mais tocantes do artista. É impossível observá-la sem se comover com a cena dolorosa, que se apresenta diante do observador.

Podemos notar que o cenário é a entrada de uma gruta, formando um pesado fundo de pedra. É possível perceber o sepulcro semioculto atrás das figuras humanas. Ao artista interessa mais a apresentação dos personagens. A Mãe Dolorosa  encontra-se no centro do grupo, com o filho morto ao colo. Não conseguindo suportar tamanha dor, ela desmaia. Observem o relaxamento de seus braços, que antes seguravam Jesus. São João Evangelista ampara a Virgem com seu corpo, e  com a mão esquerda toca-lhe a cabeça, enquanto que, com a direita, segura o lençol, onde se encontra o corpo liso e arqueado do Mestre.

Três Mulheres Santas encontram-se no quadro. A primeira delas, usando uma túnica verde, traz o rosto semicoberto. É possível que ela tenha um dos pregos na mão esquerda, para onde dirige seu olhar, mostrando-se visivelmente chocada. Ela se encontra bem próxima à Virgem. A segunda, vestindo um manto vermelho, abraça suavemente a cabeça de Cristo, enquanto aproxima seu rosto de sua face sofrida. Numa fotografia maior é possível ver uma lágrima escorrendo pelo rosto. A terceira mulher segura os pés de Jesus com extremo cuidado e, com lágrimas na face, fita seus pés perfurados pelo prego.

Ao lado direito da Virgem Maria encontram-se São Paulo (com a espada) e São Jerônimo, que bate com uma pedra no peito, em sinal de penitência.  À sua esquerda está São Pedro com sua chave, com a mão em posição de bênção. Eles se encontram mais afastados do corpo de Jesus. Todos os personagens trazem uma vistosa auréola, símbolo de divindade. A da Virgem encontra-se atrás da mão esqurda de São João Evangelista. Somente a terceira mulher, possivelmente Maria Madalena, apresenta uma auréola (halo dourado e brilhante, que envolve a cabeça dos santos) menos visível, em razão de essa se mesclar com a cor alaranjada do manto de S. João Evangelista.

A posição do corpo de Cristo morto, com os braços abertos, remete-nos à sua imolação e sua completa doação à humanidade. Todos os personagens, excetuando a Virgem Dolorosa e a mulher de verde, têm os olhos voltados para ele, figura mais importante da cena. As cores usadas por Botticelli reforçam a intimidade do drama: tons vermelho-escuros e ocres, verdes, alaranjados e amarelos, num misto de cores brilhantes e pálidas.Com essa obra, Sandro Botticelli, com sua comovente sensibilidade, confirma a sua total união com a doutrina do frade dominicano Savonarola.

 Ficha técnica:
Data: 1495
Técnica: têmpera sobre madeira
Dimensões: 140 x 207 cm
Localização: Alte Pinakothek, Munique, Alemanha

Fonte de Pesquisa:
Grandes Mestres/ Abril Coleções
1000 obras primas…/ Könemann
Enciclopédia dos Museus/ Mirador
A Arte em Detalhes/ Robert Cumming
A História da Arte/ Sextante

17 comentários sobre “Botticelli – PIEDADE

    1. LuDiasBH Autor do post

      Rute

      Muito obrigada pela visita e comentário. Volte sempre.

      Amiguinha, no seu questionamento, uma definição não invalida a outra, pois “Renascimento” é o termo usado para identificar o “período” da História, situado aproximadamente entre fins do século XIV e início do século XVII, ou seja, o período em que a pintura foi produzida (pintura renascentista). Já “Naturalismo” indica o gosto e preocupação com a representação da natureza, assim como a busca pela reprodução mais fidedigna possível da figura humana, não importando se o tema é profano ou religioso. Portanto, PIEDADE é uma obra renascentista (foi criada no período do Renascimento) e também naturalista, de acordo com o modo como foi pintada.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  1. LuDiasBH Autor do post

    Pat

    Que comentário lindo, você fez.
    É isso mesmo: Jesus ensinava até quando estava em silêncio.

    Beijos,

    Lu

    Responder
  2. Patricia

    Ei Lu!

    Linda pintura. Botticelli retrata a dor e tristeza no semblante de cada componente do quadro.
    Capta o olhar de indignação de todos nós perante a crucifixação.
    Principalmente de um homem incomum como Jesus que nos ensina até com seu silêncio.

    Bjos.

    Responder
  3. Tereza Maria de Magalhaes

    “A arte imita a vida” E a vida do Mestre Jesus de Nazaré,imitada apenas no Seu amor ao próximo,é dever de todos! Tetê

    Responder
    1. LuDiasBH

      Tetê

      Menina, você andou sumida!
      Senti a sua falta.

      O amor de Jesus pela humanidade foi e continua sendo incondicional.
      Embora ela continue tão arrogante quanto no dia de sua imolação.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  4. messias

    Lu,

    Um exemplo que ainda vive e viverá. Imagine se nada tivesse ocorrido! O programa da vida humana não é aleatório, há um principio maior, um meio, um fim que não acaba em sí mesmo.

    Messias

    Responder
  5. karlla

    Lu,

    A imolação de Cristo foi o extremo para que a humanidade tivesse um rumo melhor, ainda assim nem todos assimilaram.

    Karlla

    Responder
  6. LuDiasBH

    Aninha

    Este quadro é mesmo muito comovente.
    Botticelli deixa-nos uma obra de muita dramaticidade e beleza.

    Abraços,

    Lu

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *