Stephan Lochner – NASCIMENTO DE CRISTO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

O pintor alemão Stephan Lochner (c. 1410 – 1451) foi um dos principais nomes da Escola de Colônia. Chegou a morar por certo tempo nos Países Baixos, mas foi em Colônia que teve uma importante oficina e tornou-se participante do conselho da cidade. Foi um grande admirador das obras de Jan van Eyck. A influência desse seu contemporâneo levou-o a criar um estilo muito primoroso. As obras tradicionais de sua Colônia também o levaram a criar pinturas delicadas, líricas e sensíveis. Lochner também unificou a vocação realística do sul da Alemanha com o idealismo do final do Gótico de Colônia. Suas obras apresentam uma intensa luminosidade e grande transparência, com grande destaque para os reflexos de luz. Ele foi, sem dúvida alguma, um importante pintor de sua época, com seu estilo delicado. É tido como um dos primeiros pintores alemães que seriam prestigiados pelos românticos.

A composição Nascimento de Cristo, também conhecida como Natividade, obra de extremo lirismo, é a outra parte de um díptico. A Virgem Mãe, mais parecida com uma jovenzinha, encontra-se ajoelhada no chão salpicado de palhas, diante de seu Menino Jesus, debaixo de um estábulo. Ela usa um vestido azul-escuro e, sobre ele, um suntuoso manto azul, num tom mais claro. Uma grande e dourada auréola aparece por trás de sua cabeça, adornada com longos cabelos dourados, que lhe caem pelas costas. Suas mãos encontram-se em postura de oração.

O diminuto Menino Jesus encontra-se deitado sobre um pequeno pano bordado, estendido no chão sobre algumas folhas de capim seco, onde mal cabe seu corpinho nu. Ele também traz uma enorme auréola dourada que mais se parece com um travesseiro redondo. Sua mãozinha direita está em postura de bênção. Seus grandes olhos estão voltados para a Virgem. Atrás do pequenino está uma velha manjedoura, onde comem um boi e um burrinho. Três pequenos anjos aparecem na janela, enquanto outros quatro, no telhado, trazem nas mãos um pergaminho. Um oitavo anjo, adejando, indicam aos três pastores, à esquerda, a Virgem e seu Menino. À esquerda dos pastores encontra-se o rebanho.

Ficha técnica
Ano: c. 1440/45
Técnica: óleo sobre madeira
Dimensões: 35,5 x 21,6 cm
Localização: Pinacoteca de Munique, Alemanha

 Fontes de pesquisa
Enciclopédia dos Museus/ Mirador
1000 obras-primas da pintura europeia/ Könemann

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *