TRANSTORNO DE ANSIEDADE GENERALIZADA (TAG)

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria do Dr. Telmo Diniz

ansie (*)

Você é daquelas pessoas constantemente preocupadas? Sempre ansiosa com algo de errado que poderá ocorrer? Saiba que isso pode ser doença. No sentido literal “preocupação” é ocupar-se de algo que ainda não ocorreu e, muitas das vezes, nem irá ocorrer. Queremos ter o controle regular sobre tudo e todos. Que nada de errado possa nos acontecer ou às pessoas das quais gostamos. Pensamentos inquietantes e exagerados, focados em fatos negativos vão minando a saúde mental do indivíduo. São pensamentos incontroláveis que ocorrem em 3% das pessoas e são mais conhecidos pelos médicos como Transtorno de Ansiedade Generalizada(TAG).

Os estudos mostram que os portadores do Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) demoram cerca de 15 anos para pedir ajuda. Em geral, porque acreditam que é normal ser hipervigilante. As pessoas com TAG costumam ser ótimos funcionários, pois conseguem prever mais os riscos do que a média das pessoas. A principio isso pode até ser bom, mas com o passar do tempo a energia desses indivíduos vai se esgotando.

Pessoas excessivamente preocupadas não vivem. Sofrem. Estão constantemente enxergando o perigo, a desgraça, a doença, sempre o pior. É como se em dia de “céu de brigadeiro” olhassem para cima e dissessem: “Hoje vai chover, sem duvida alguma!” Deixam-se dominar pela preocupação e, dominados por ela, não conseguem ter a necessária tranquilidade para raciocinar e tomar decisões acertadas no momento correto. É como se estivessem paralisadas ou engessadas para solucionar um determinado problema. Ficam tentando controlar o futuro, como se isto fosse possível. Isto tudo leva a um estado de grande tensão e, muitas vezes, ao estresse crônico.

A angústia de viver pensando que algo de ruim vai acontecer pode evoluir para casos mais sérios, com sintomas de palpitações, falta de ar, náuseas, dificuldade de concentração e de sono. Nesse ínterim aparecem tremores, contraturas musculares e fadiga. Isto tudo junto aos medos e fobias. Os quadros de TAG, muito frequentemente, evoluem para depressão.

É importante a diferenciação entre a ansiedade normal e a anormal. A primeira é àquela proporcional às dificuldades, promovendo um enfrentamento saudável. Já o TAG é uma ansiedade patológica, pois é desproporcional ao que está acontecendo ou ocorrendo.

Algumas dicas para ajudarem a controlar a “preocupação excessiva:

  1. Fazer exercícios físicos.
  2. Praticar atividades de relaxamento, como ioga e meditação.
  3. Utilizar-se de chás com efeito relaxante (camomila, melissa etc).
  4. Praticar a higiene do sono (assunto já abordado neste blog).
  5. Combater ativamente os pensamentos negativos com pensamentos e atitudes proativas.

Na dúvida, a procura por ajuda médica e/ou psicológica pode ser bastante útil, com melhora substancial na qualidade de vida dessas pessoas.

Não apresse o rio, ele anda sozinho.
O rio corre sozinho, vai seguindo seu caminho.
Não necessita ser empurrado.
Para um pouquinho no remanso.
Apressa-se nas cachoeiras….
Não apresse a vida, ela anda sozinha.
Deixe-a seguir seu caminho.

(Autor desconhecido)

(*) Imagem copiada de www.escolapsicologia.com

48 comentários sobre “TRANSTORNO DE ANSIEDADE GENERALIZADA (TAG)

  1. Andrezza

    Lu

    Sinto muita dor no peito, um ardor e sinto às vezes os batimentos da região do pescoço bem lentos. Fui falar com minha mãe e como sempre ela perdeu a paciência, estou aqui desabando em choro e com uma sensação horrível. Tem uns 34 dias que tomo o Deciprax 10 mg, mas agora comprei o medicamento fitoterápico, mas eu não sei o que pode ser isso, será normal?

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Andrezza

      É normal, sim. Fique tranquila. Nossa mente é muito fértil e possui a capacidade de aumentar tudo o que sentimos, principalmente quando estamos muito preocupados, com o pensamento voltado para aquele assunto, focado numa determinada coisa. Amiguinha, fique tranquila, pois você está cada vez melhor. Isso é mais do que normal. Muita gente passa por essas sensações. Fiquei tranquilíssima.

      Beijos,

      Lu

      Responder
      1. Andrezza

        Certo, Lu.
        É que quando corro não sinto mais o coração batendo tão forte quanto antes. Fico com medo de ter algo, meu Deus isso é tão ruim! Não desejo esse mal para ninguém, quero ficar boa. Lu, isso dos batimentos pode ser a sensação ou sintoma de um início de uma crise?

        Responder
        1. LuDiasBH Autor do post

          Andrezza

          A sensação de que seu coração está batendo pouco é apenas uma “sensação”, como você bem diz. Tudo está na sua cabecinha. Ele está normalíssimo. Quando tiver dúvida, vá a uma farmácia próxima e peça para medirem a sua pressão e os batimentos cardíacos. E verá que está tudo bem. Sem falar que é uma garota cheia de energia. Você já foi encaminhada a um psicólogo?

          Abraços,

          Lu

  2. Irene Fleury

    Andrezza

    Que alegria você nos dácom as novas notícias. Continue nesse caminho de otimismo (você pode) e vamos ficar esperando notícias de seu progresso. Vou dormir feliz, sabendo que Deus a protege sempre, e confia em sua força para vencer essa parada. Vamos corresponder à confiança que ele deposita em você? Serenidade e paz em sua noite e um despertar pleno de energia!

    Avó pelo coração

    Responder
    1. Andrezza

      Irene

      Obrigada por suas lindas palavras e por seu apoio. Sim, Deus está sempre comigo e com todos nós e se eu creio nele eu não tenho porque temer, jamais.

      Terminei minhas provas, mas parece que ainda vou ter que ir à escola mais uma semana, ontem tive uma conversa com a minha diretora e ela me disse lindas palavras e me deu o maior apoio.

      Ainda sinto os batimentos fracos e um pouco de medo, mas não como antes. É tudo fruto da minha imaginação, comprei o medicamento fitoterápico que tinha acabado, estou dormindo bem melhor, não estou tendo mais pesadelos e creio que logo, logo estarei boa, perfeitamente boa, eu creio.

      Obrigada pelo apoio, e saiba que Lu, você e os demais já estão em meu coração.

      Responder
  3. Irene Fleury

    Querida Andrezza,

    pensamentos são forças vivas, atuantes. Tornamo-nos o que pensamos. Parece utopia, mas é o que a ciência comprova. Você é muito jovem, para já ter esse conhecimento. Que tal confiar em pessoas mais experientes que lhe afirmam essa realidade? Nao podemos soltar a imaginação negativa. Ela criará fantasmas que não existem.

    Você teme ter palpitações, aí fornece elementos para ter a sensação de palpitações. Nesse momento, o melhor a fazer será respirar fundo, respiração lenta, tranquila e pensar que essa palpitação é fruto do medo de tê-la. E reagir. Pense; se deus é por mim, nada será contra mim.
    Essa operação de limpesa de idéias negativas poderá ser mais breve, se você se empenhar nessa auto-disciplina em seu favor. Doenças imaginárias durarão na medida em que acreditamos nela.

    Tenho um amiga que acordou com uma dor abdominal, do lado direito. passou em minha casa e pediu que eu a acompanhasse ao médico. Ela andava segurando a barriga e imaginava que estava com apendicite e teria de ser operada. Entrou no consultório mancando. Feita a consulta, constatou-se de que eram gases. Nada de apendicite supurando. Ela voltou saltitante e feliz para casa. O medo, que a paralisava numa idéia negativa acabou.

    Outro exemplo: meu filho, certa vez, me ligou às 10 horas da noite, dizendo que estava tendo um infarte. Lembrei a ele para acalmar-se e ver se não havia gases passeando pelo corpo. Às vezes pensamos estar com problemas no pulmão, tal a dor que dá, motivada pelos gases. Ele acalmou-se, tomou um chá e, depois me disse: meu vizinho médico esteve aqui e disse para eu parar de soltar minha imaginção.

    Andrezza, nós, da família Lu, amamos você e desejamos ardentemente que você mude o rumo de sua imaginação para o lado positivo, pois isso vai fazê-la feliz. Quanta juventude a ser usufruída, meu amor. Vamos de mãos dadas vencer o negativismo. Que tal?

    Deus a proteja!

    Responder
  4. Irene Fleury

    Oi, Andrezza

    De modo geral, qualquer problema vai se processando aos poucos. De início, mal percebemos. Quando tomamos consciência do que está acontecendo, buscamos soluções. Temos de pensar que o tempo de melhoria é proporcional ao tempo em que o mal-estar foi se instalando. Claro é que gostaríamos que as providências tomadas agissem de imediato; mas isso não acontece. É a hora paciência, da fé em Deus.

    Os pensamentos negativos foram se instalando, aos poucos; agora é hora de ir os retirando, também aos poucos. É um trabalho , digamos, artesanal, que requer perseverança. Pense bem: você tem apoio do médico, dos medicamentos, da religião que professa, de seus familiares, e dessa nova família comandada por LU. Estamos juntos, na certeza que o desempenho maior é seu. Força , meu bem.

    Você é filha de Deus que a ninguém desampara. Você vive uma experiência mais comum do que imagina, entre as pessoas de sua idade. Ioga, seria uma prática bem vinda, no seu caso. Aprender a relaxar, nos momentos em que as palpitações aparecem, é fundamental. Vamos em frente. Vamos ser felizes. Você merece ser feliz. Pense nisso. Abraço carinhoso dessa bisavó postiça que sou eu e que acredita que você vencerá essa parada.

    Irene

    Responder
  5. Andrezza

    Lu

    Socorro!
    Minha vista tá escurecendo, batimentos da artéria carótida estão meio fracos, estou com medo, muito medo.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Andrezza

      Peça sua mãe para levá-la ao médico o mais rápido possível, para que ele avalie a sua saúde. Fale com o médico sobre sua visão turva. Procure ficar calma. Respire fundo. Mas terá que acreditar no que o médico lhe disser. Aguardo notícias.

      Abraços,
      Lu

      Responder
  6. Andrezza

    Galera e Lu

    Ontem eu fui parar na emergência com bradicardia, os batimentos da artéria carótida estavam fraco, pelo menos eu acho. A médica me disse que estava com crise de ansiedade e passou um calmante para que eu dormisse, assim foi feito. Voltei pra casa, tomei banho e dormi. Acordei hoje com a mesma coisa, bradicardia, tontura, dor no peito, sensação de medo e morte. E fico a todo instante pondo meu dedo polegar e indicador na garganta pra ver os batimentos, há 24 dias hoje que tomo o Deciprax e ontem no hospital eu tomei um diazepan. No tratamento de vocês, vocês sentiram isso? Os batimentos lentos?

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Andrezza

      É difícil avaliar seu caso de longe, pois, ao que me parece, após ler a bula, você ficou impressionada com o que ali contém. Ontem na emergência, a médica lhe disse que estava com os batimentos fracos, ou você imaginou que estivesse? Se ela lhe passou um calmante, significa que estava precisando se acalmar. Caso contrário não teria que tomar um calmante. Você sabe o que é bradicardia? Sabe com quantos batimentos cardíacos se diz que a pessoa está com bradicardia? Converse direitinho com seu psiquiatra. E pare de botar o dedo polegar e indicador na garganta. Você está com hipocondria, amiguinha. Aguardo notícias suas.

      Beijos,

      Lu

      Responder
      1. Andrezza

        Lu, fui ontem à UPA e a médica disse que os meus batimentos do coração estavam 100 por minuto. Mas hoje em casa sinto os do pescoço bem fracos, não sei se é pelo organismo, estou com medo. Vocês sentiram isso alguma vez? Sei que pode ser por causa do remédio ou por causa da ansiedade, estou com medo de do nada ter algo, me ajude a acalmar-me.

        Ontem, ela me deu um diazepam intramuscular, mas hoje sinto os batimentos fracos no pescoço, tontura, medo, dor de cabeça. Crises de ansiedade são assim?

        Responder
        1. LuDiasBH Autor do post

          Andrezza

          Veja como sua cabecinha está precisando de aquietar-se. Você esteve na UPA e a médica disse que seus batimentos estavam 100 por minuto, no entanto, você dizia que estava com braquicardia. Dizemos que uma pessoa está com braquicardia quando ela se encontra com menos de 60 batimentos cardíacos por minuto, ou seja, quando se encontra com uma frequência cardíaca lenta, o que não é o seu caso.

          Dezza, a primeira pessoa que tem que se ajudar é você mesma. Se não acredita em ninguém, nem mesmo nos médicos, fica difícil oferecer-lhe suporte emocional. Sugiro que volte a seu psiquiatra, converse com ele, peça-lhe para medir seus batimentos cardíacos e ver sua pressão, mas é preciso acreditar no que ele diz.

          Muitas e muitas pessoas passam por crise de ansiedade, como você lê nos comentários. Mas elas se ajudam e se deixam ajudar. Faça isso, por você.

          Aguardo sua visita a seu psiquiatra para que ele a acalme. Conte-me como foi. E esqueça esse “dedinho intrometido”.

          Beijos,

          Lu

        2. Andrezza

          Lu e Irene.

          Eu sei que devo estar paranóica por nunca ter tomado o remédio, mas a única coisa que me assusta agora é isso dos batimentos fracos no pescoço.

        3. LuDiasBH Autor do post

          Andrezza

          Peça a qualquer médico ou farmacéutico para medir a sua pressão e seus batimentos cardíacos. Se os batimentos estiverem acima de 60 por minuto, você está ótima. Sei que você é uma garota inteligente e não pode se deixar levar por essa paranoia. Assim que fizer a medição, passe para nós quanto deu.

          Beijos,

          Lu

        4. Andrezza

          Lu.

          Tá certo, Lu. Irei fazer isso e ficar mais tranquila. Mas pode ser efeito do medicamento ou do meu organismo, né?

        5. LuDiasBH Autor do post

          Andrezza

          Acho que não é efeito nem do medicamento e tampouco do seu organismo, mas tão somente de sua cabecinha. Continuo aguardando…

          Beijos,

          Lu

        6. Andrezza

          Lu

          Irei ficar tranquila e seja o que Deus quiser. Agora mesmo parece que estou prestes a ter uma crise, mas vou respirar e pôr na mão de Deus, creio nele e sei que tudo dará certo.

        7. LuDiasBH Autor do post

          Andrezza

          Pensamento positivo, minha amiguinha. Você já monitorou sua pressão? Continuo aguardando.

          Beijos,

          Lu

        8. Andrezza

          Lu.

          Anteontem no hospital mediram a minha pressão e batimentos cardíacos e disseram estar tudo normal, mas agora a pouco senti um calor no corpo, uma tontura e como se os batimentos fossem parar, estou com medo e assustada. Não sei o que fazer.

        9. LuDiasBH Autor do post

          Andrezza

          Estou tendo dificuldades em falar com você, pois não acredita nos médicos e em mais ninguém, a não ser naquilo que põe na cabeça. É impossível ajudar que não quer ser ajudada. E é isso que estou sentindo em relação a você. Se vai ao hospital e tudo dá normal, não é para continuar com esse “medo”. Se continuar assim, seus pais terão que interná-la.

          Também não sei mais o que lhe dizer, pois você não quer acreditar em ninguém. Esqueça esse negócio de batimentos e toque sua vida para frente. Há pessoas sofrendo muito, ainda no início do tratamento. Olhe em seu redor, leia os comentários de outras pessoas, solidarize-se com elas que também precisam de atenção. Você está voltada apenas para si, como se no mundo não existisse mais ninguém. Isso se chama VITIMIZAÇÃO. Se não mudar agora, será uma adulta medrosa e sem iniciativa. Faça algo de bom amanhã e conte para nós.

          Eu a amo muito e tenho o maior prazer em lhe dar atenção, mas não estou sabendo mais o que lhe dizer, sem falar que outras pessoas já lhe disseram a mesma coisa. Espero que repense este meu comentário. Gostaria que sua mãe ou pai entrasse em contato comigo.

          Abraços,

          Lu

        10. Andrezza

          Lu e Irene.

          Olá, meninas. Hoje consegui ir à escola e fazer a prova, logo depois fiquei na casa de minha amiga, almocei com ela, demos risadas, ela me ensinou a fazer o bisqui e foi muito legal. Eu me senti leve. Agora cheguei e arrumei a casa, estou esperando minha mãe chegar do trabalho. Sinto os batimentos fracos ainda e fico pondo a mão na garganta, mas irei parar com isso e continuar o meu tratamento com fé e determinação. Pedi o número do meu psiquiatra e qualquer coisa eu falo com ele e tiro a minha dúvida, tenho que me acalmar e ver o tanto de pessoas e crianças que estão com situações graves no mundo. Tenho que ocupar a minha mente e ter fé em Deus. Vamos continuar nós falando por favor, gente.

          Beijos queridas e obrigada.

        11. LuDiasBH Autor do post

          Andrezza

          Ganhei o dia ao ler o seu comentário. Como é bom ver que nossa mascotinha está dando a volta por cima. Eu sabia que você iria me contar algo de bom hoje. Parabéns, guerreirinha. Até aprendeu a fazer bisqui! E ainda arrumou a casa! Sua mãe deve ter ficado muito feliz, assim como os seus amigos aqui do blog.

          É claro que vamos continuar em contato, pois amamos você!

          Beijão,

          Lu

        12. Andrezza

          Lu.

          Acabei de acordar e tomar o remédio. Meus pais parecem fracos e incomodados comigo, minha mãe principalmente. Minha vontade é de fugir de casa e sumir, ir pra qualquer lugar. Estou pensando seriamente em fazer isso e seja o que Deus quiser.

        13. LuDiasBH Autor do post

          Andrezza

          Todos os pais se preocupam com os filhos, mesmo quando eles já estão adultos. Quando tiver os seus bebês entenderá melhor a preocupação de sua mãe, pois você é a pessoa mais valiosa que ela tem. Ela daria a vida por você, mocinha. Precisa ter mais paciência com seus pais. Sair de casa e enfrentar o mundo é uma tolice. Nada como a nossa casinha. É o melhor lugar do mundo, apesar da dificuldade de convivência, muitas vezes.

          Abraços,

          Lu

        14. Andrezza

          Lu, eu amo os meus pais, Deus e eles em primeiro lugar em minha vida. Nunca os deixaria, mas caramba. Eles não tem paciência comigo, com o que eu estou passando. Eles tem que ver que eu não escolhi este problema e tudo que quero é me livrar deste mal. Caramba, eu quero ficar bem logo. Esses batimentos parecem estar fracos o tempo todo.

        15. LuDiasBH Autor do post

          Andrezza

          Seus pais também amam a e querem vê-la feliz. É preciso ter paciência com eles, pois tudo isso é novo para eles. Vá com calma, pois você já tem mais informações do que eles. Não se preocupe, pois ao final tudo dará certo.

          Beijos,

          Lu

  7. Irene Fleury

    Oi, Andrezza,

    Bem vinda à Família LU. Nossa querida LU já lhe fez os esclarecimentos necessários.

    Quando saímos da infância e vamos adentrando na adolescência, esse intervalo que antecede a plena juventude, precursora da idade adulta. Ficamos vulneráveis à depressões, pânico, medo indefinido, impressão que algo desagradável vai ocorrer, etc. Nem todas pessoas confessam que isso acontece com elas. Você teve a coragem de confessar. Minha querida. Ter consciência de que algo não vai bem conosco, é o primeiro passo para para que a cura se faça. Parabéns. Não se importe com impaciências, incompreensões. Quando as pessoas não sabem como ajudar, se comportam assim. Já vi isso acontecer, muitas vezes. Segue em frente, lembrando que cada organismo tem um tempo diferente de adaptação aos medicamentos.
    Já pensou numa psicoterapia? Com um bom terapeuta dá ótimos resultados.

    Estamos todos de mãos dadas com você e as mentes fazendo um cordão luminoso de oração a seu favor. Acredito em sua força de reação. Passo a passo , você chega lé e sua experiência irá ajudar muita jovenzinhas que necessitem de auxílio em tal travessia. Jesus , o grande amigo, nos chama a todos:”Vinde a mim, vós que estais aflitos e afadigados. Eu vos aliviarei”. Conte com Ele.

    Beijos

    Responder
    1. Andrezza

      Irene

      Muito obrigada pelas sábias palavras. Realmente este problema faz com que as pessoas vejam coisas que não estão acontecendo. Sinto os batimentos do meu pescoço bem fracos, já minha mãe me disse que está tudo normal. Mas sinto que tive melhoras em algumas coisas. Hoje faz 23 dias que eu estou tomando o Deciprax e realmente creio que logo estarei bem novamente.

      Este cantinho é maravilhoso, me ajuda muito. E a fé que tenho em Jesus vai me fazer vencer essa batalha.

      Beijos.

      Responder
  8. Andrezza

    Lu

    Meu coração está com um peso, um peso no peito, nariz entupido. Meu medicamento fitoterápico acabou e não estou com condições de comprar. O doutor disse que tudo bem ficar só com o deciprax, mas estou com medo de ter algo. Esse transtorno está me fazendo muito mal.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Andrezza

      As primeiras semanas são difíceis mesmo, mas você é uma guerreirinha e irá dar conta do recado. Não terá nada ruim, mas apenas os efeitos adversos do medicamento que vão passando aos poucos. Se ler os comentários,verá que todos passam por isso. Respire fundo e procure relaxar. Tome chá de camomila ou melissa, três vezes ao dia. O transtorno faz mal a todo mundo, por isso é preciso ter paciência até que o medicamento passe a trazer os bons efeitos. Você irá ficar ótima. Tenha paciência e continue seu tratamento. Não pare! Lembre-se de que você é POP.

      Um grande beijo,

      Lu

      Responder
      1. Andrezza

        Lu.

        Eu não aguento mais, parece que ninguém tem paciência comigo. É duro ver que as pessoas estão se incomodando com sua presença apenas por estar mal. Às vezes sinto meus batimentos lentos, quase parando.

        Lu, é doloroso ver as pessoas te tratando de forma diferente, já pensei tanta besteira. Faz 22 dias hoje que tomo o remédio. Será que isso não vai passar? Estou com muito medo, cada dia ele aumenta. Coloco a mão no coração, na garganta pra sentir os batimentos e acho eles fracos, lentos. Hoje acordei com meu braço pulsando, me ajuda. Este cantinho me ajuda a relaxar.

        Responder
        1. LuDiasBH Autor do post

          Andrezza

          Você é a nossa mascotinha que irá ajudar muitos jovens que aqui chegam toda semana. E já está passando pela fase ruim do tratamento que não tardará a desaparecer. É só mais um pouquinho de paciência, minha fofa. Após 30 dias deverá voltar a seu médico para que ele analise como o remédio está reagindo para você, se a dosagem deve continuar como está.

          Dezza, quem falou que ninguém tem paciência consigo? Esqueceu-se de sua família deste cantinho? Nós a amamos muito e estamos prontos para ajudá-la. E não dê importância aos outros, pois a maioria é muito ignorante, nunca passou pelo que você está passando. Você é uma guerreirinha e vai sair desta muito sábia do que eles! Parabéns! Mande os ignorantes plantar batatas…

          Minha menininha, nada de ficar só pensando em doença. Já viu falar em hipocondria? É uma mania que as pessoas adquirem, achando que estão com todo tipo de doença. Tudo isso é provocado pela mente e por uma coisa muito ruim chamada “medo”. E não fique pensando besteira, pois há muita coisa maravilhosa à sua frente. Você gosta de alguma série de TV? Gosta de ler? Conte-me sobre o que gosta de fazer. Estou curiosa.

          Dezza, esse seu coraçãozinho não tem nada. Ele está batendo em conformidade com a sua idade. Deixe-o em paz. Talvez precise preenchê-lo com um amor muito especial. Não há nenhum “gatinho” legal por aí? Nessa idade eu era cheia de “apaixonites”. E seu braço pulsando foi em razão do modo como dormiu. Isso muitas vezes me acontece, há vezes em que ele se encontra dormente.

          Menininha, estou ansiosa para que passe para a segunda fase do tratamento, quando se transformará numa princesa, cheia de muita coragem, dizendo: “Eu venci!”. Todos nós estamos aqui de olho em você, pois é a nossa jovenzinha. Tenho a certeza de que está foltalecendo a cada dia. E ai da senhorita se não vier aqui todo dia. Irei aí dar-lhe umas palmadas. Nós a amamos muito! Vou lhe contar um segredo: ontem eu estava meio tristinha, então peguei um saquinho de canjiquinha e saí pela rua alimentando os pombinhos e passarinhos. Não conte para ninguém.

          Beijos,

          Lu

        2. Andrezza

          Lu

          Eu gosto de ler, de assistir séries, mas no momento não estou assistindo. Gosto de escutar música, praia, sair com amigos, conversar, rir muito. Mas ultimamente ando muito fechada por causa do problema. Agora pouco chorei, veio pensamentos horríveis em minha cabeça. Mas amiga, é uma coisa incrível, quando leio suas respostas e os comentários daqui do cantinho um sorriso surge em meus lábios, sério. Eu gosto daqui, me faz ter mais força para lutar e quando oro, quando falo com Deus, sinto uma sensação inexplicável, uma coisa maravilhosa.

          Lu, eu sei que eu não tenho nada, apenas essa ansiedade, esse peso no peito, essas dores, esse medo. Lu, você já sentiu isso? Batimentos fracos? Esse medo? Quando será que meus remédios farão efeito? Estou mais calma. Fico com medo porque disse que o Deciprax pode ocasionar em batimentos lentos e tais. E o medicamento fitoterápico que tomo à noite acabou e ainda não o comprei, o médico disse que eu posso tomar só o Deciprax. Sem o Pasalix, mas ele me acalma.

        3. LuDiasBH Autor do post

          Andrezza

          Este cantinho é mesmo muigo gostoso, pois nossa família cresce cada vez mais. E todos são muito atenciosos uns com os outros. Também amo conversar com vocês, pois já passei por muitas coisas relatadas aqui, sem ter quem me explicasse, com carinho, o que estava acontecendo comigo. E hoje me encontro tão boa, que estou a trocar ideia com vocês.

          Amiguinha, saiba que é normal, no início do tratamento, passar por uma fase de medo. A ansiedade leva a isso. Seu coração está em pleno vigor, tudo o que sente é fruto de sua ansiedade. Não permita que essa “dona chata” mande na sua vida. Quando ela aparecer trazendo pensamentos ruins, mande-a caçar a sua turma (a dela, é claro). Bote também uma vassoura atrás da porta… risos.

          Dezza, se a gente for ler a bula de remédios, acaba ficando lelé, pois vai botar na cabeça tudo que há ali. Não se preocupe com isso. A maioria aqui toma oxalato de escitalopram, inclusive eu. Este antidepressivo vem com muitos nomes como Deciprax. Ele é um dos mais receitados hoje em todo o mundo, sendo tido como excelente. O Pasalix só tem efeito calmante. No lugar dele você pode tomar chá de camomila várias vezes ao dia. Procure a que é vendida em lojas de ervas e não em sachês. Quando o médico lhe der a receita do antidepressivo, peça-lhe para colocar apenas “oxalato de escitalopram”, pois assim poderá comprar o que estiver mais barato.

          E ademais, mocinha, você se encontra cada vez melhor. Volte a ler, assistir às suas séries, entrar em contato com seus amigos… Você não sabe, mas, como disse a Irene, há muita gente em sua escola que toma antidepressivo… E esqueça seus batimentos, deixe seu coração em paz… risos. Apaixone-se e verá como o batimento cardíaco acelera, pode ser por aquele cara lindão daquela série de que gosta tanto.

          Guerreirinha, pesquisas mostram que as pessoas otimistas obtêm resultados mais rápidos. Estamos todos juntos nesta, certo?

          Beijo no coração,

          Lu

        4. Andrezza

          Lu

          Realmente ler bula não é uma boa escolha. Mas faz 23 dias hoje do remédio e acho que estou melhorando, às minhas mãos não suam mais como antes, as dores de cabeça, o peso no peito que antes eram constantes, passaram. Ainda estou com um pouco de medo, colocando os dedos na garganta e no pulso pra verificar os batimentos, mas isso logo vai passar. Vou voltar a estudar, pra semana é prova. Me esforcarei para passar e vou conseguir. Quero estar em contato consigo e com os demais, este cantinho é maravilhoso.

          Beijos

    2. Alexandre Nunes

      Andrezza

      Trato transtorno do pânico, mas uso outros medicamentos. O ideal era usar um ansiolítico junto com o outro medicamento no começo, justamente porque antes de começar a acalmar, eles podem aumentar a ansiedade, isso é normal. Leva 1 ou 2 meses pra fazer efeito pleno, e algumas vezes é preciso ajustar a dose também, mas funciona.

      Retomei o meu tratamento porque antes fiz um prazo muito curto (o ideal são 6 meses a 1 ano). Estou com 40 dias e depois de as primeiras semanas muito difíceis, agora está estabilizando. E nem estou usando ansiolítico,o que garante ainda mais tranquilidade no começo.

      Esses sintomas e essa preocupação com os sinais do corpo são absolutamente comuns pra quem começa a tratar ansiedade. A emoção fica tão exacerbada que atrapalha nossa razão, e nem nos damos conta de que sinais que julgamos estranhos na verdade não tem nada de errado, como o ritmo cardíaco.

      Veja, o normal é que nem notemos nosso coração bater, e nem por isso ele parou! Eu também ficava preocupado com isso, pela emoção dominando a razão, mas depois que o remédio fez efeito (no meu caso, escitalopram) percebi que não fazia sentido. Seu ritmo está normal. Pare de prestar atenção e siga normalmente.

      Acredite, boa parte da ansiedade é guiada e ativada pelos pensamentos errados. Então temos que fazer um esforço pra desviar o foco de pensamentos ruins, pois eles têm poder, devemos nos focar em pensamentos bons, que também têm poder.

      Tente falar com o médico, pedir um ansiolítico talvez (é baratinho), e procure distrair a mente com música, filmes e programas construtivos e positivos e pessoas que tenham coisas boas pra dizer. Afaste o excesso de notícias ruins, coisas negativas desnecessárias, ouvir pessoas desagradáveis, pois sabemos que elas existem na vida, mas o excesso delas não vale a pena.

      Responder
  9. Andrezza

    Lu
    Tudo começou com um mal súbito, depois não parou mais. Andava ansiosa, com peso no peito, falta de ar, medos constantes e chorava a todo instante. Isso acabava comigo. Fui ao psiquiatra depois de uns dias e ele me disse que estava com transtorno de ansiedade, do que eu já desconfiava. Ele me passou o DECIPRAX 10 mg pela manhã e o PASALIX para a noite. Estava melhorando, mas ontem eu chorei muito, após minha mãe ter reclamado comigo, e hoje chorei novamente. Comecei a sentir a cabeça leve, como se tivesse levado um choque de um lado, dores, pálpebras pesadas, ouvidos com a sensação de entupidos, fraqueza nas pernas e braços, falta de apetite.

    Estou tomando os medicamentos, hoje faz 17 dias. Estava me sentindo bem, mas hoje não me sinto bem. Eu tenho 16 anos, isso é horrível, vai fazer um mês que não vou a escola.

    É normal tudo isso? Estava com medo de ter algo no cérebro, sinto umas fisgadas na cabeça, às vezes, e calafrios. Me ajude a a entender isso. O antidepressivo pode me fazer algum mal? Ajude-me Lu.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Andrezza

      Seja bem-vinda a este cantinho. Sinta-se como parte da familia, você é a nossa mascotinha.

      Amiguinha, sei muito bem como você está se sentindo, pois foi com essa idade que comecei a ter minhas primeiras crises de pânico. Sei que é muito difícil compreender o que está acontecendo, pois você mal adentrou no mundo. O mais importante é ter buscado ajuda médica. Agora é ficar tranquila, esperando que tudo isso passe. E tenha a certeza de que passará. Estou eu aqui para lhe provar isso.

      Aquilo que você chama de “mal súbito” é a conhecida Síndrome do Pânico que aparece do nada, como se fosse acabar com a nossa vida naquele momento. Mas não se preocupe, pois tudo não passa de sensações ruins, mas que não matam. Quando estiver tendo uma crise, deite-se, procure relaxar o corpo e respirar fundo, até que ela passe. Jamais ofereça resistência, achando que está morrendo.

      Dezza, o psiquiatra receitou-lhe um medicamento à base de oxalato de escitalopram, muito usado neste tipo de transtorno, e um ansiolítico fitoterápico. Você irá se dar muito bem com os dois. Mas é bom que saiba que, no início do tratamento, durante cerca de três semanas, algumas pessoas costumam ficar bem para baixo, pois é quando o organismo inicia a sua interação com o antidepressivo. O que você está sentindo é chamado de efeitos adversos. Fique tranquila, pois tudo isso irá passar. Peça à sua mãe e às pessoas que a rodeiam, que tenham mais paciência com você, nessa fase inicial do tratamento. E assim que estiver se sentindo melhor, volte para a escola. Não se esqueça de pedir ao psiquiatra um atestado referente aos dias em que ficou faltosa.

      Amiguinha, tudo o que está acontecendo consigo é normal. Quase todas as pessoas passam por isso. Saiba que também não tem nada no cérebro. Não precisa fazer nenhum exame. As fisgadas, os calafrios, a cabeça leve, a fraqueza, muito choro, tudo isso faz parte dos sintomas dos medicamento. Quando tiver algum sintoma que estiver incomodando muito, comunique isso ao seu psiquiatra. O antidepressivo tem por objetivo melhorar a sua saúde, oferecer-lhe melhor qualidade de vida, por isso não irá lhe fazer mal. Poderá tomar sem receio.

      Lindinha, gostaria que continuasse em contato conosco, até ficar bem legal. Lembre-se de que é preciso ser POP (paciente, otimista e persistente). Não se sinta sozinha, há um monte de pessoas aqui para ajudá-la.

      Um grande beijo no seu coraçãozinho adolescente,

      Lu

      Responder
      1. Andrezza

        Lu
        Muito obrigada. É bom saber de tudo isso, pois me deixa mais tranquila. Eu sou muito ansiosa, sempre fui e depois do medicamento aumentou. Acho que deve ser porque está tratando, não sei ao certo. Pretendo voltar às aulas logo, mas tenho medo de passar mal na escola ou no caminho, medo de ficar sozinha em casa. Às vezes sinto a sensação de todo o meu corpo estar formigando, dizem ser psicológico, mas eu tento me acalmar. Mas me ver assim dói tanto, mas agora resolvi deixar na mão de Deus e seguir com o meu tratamento e crer que tudo vai ficar bem. Os pensamentos ficarem lentos e confusos é normal, né? Eu estava nervosa demais esses dias, pondo um monte de coisas na cabeça.

        Obrigada pela força, Lu. Espero sempre manter contato, fico lendo os depoimentos e fico feliz por ver quantas pessoas já passaram pelo que passei e estão bem, graças a Deus.

        Beijos.

        Responder
        1. LuDiasBH Autor do post

          Andrezza

          Quanto mais agir positivamente, mais rapidamente se verá livre de tais transtornos. Pesquisas mostram que as pessoas otimistas tendem a recuperar-se com mais facilidade. Os sintomas ruins que está sentindo são normais no início do tratamento. Aos poucos, eles irão desaparecendo. Fique tranquila! Assim que os bons efeitos começarem, o seu medo de sair de casa, de passar mal na rua ou na escola e de ficar sozinha em casa desaparecerá.

          Amiguinha, o número de adolescentes que tem passado pelos transtornos mentais vem aumentando muito. Muitos garotos e garotas como você, vem fazendo esse tipo de tratamento. Os pensamentos lentos e confusos logo desaparecerão, pois são normais nessa fase que está vivenciando. Procure viver um dia de cada vez, sem ficar pensando muito. E sempre passe aqui para conversar conosco.

          Um beijo,

          Lu

        2. Andrezza

          Lu, sinto minha cabeça pulsar às vezes, é normal? O remédio faz isso acontecer? Estou com medo.

        3. LuDiasBH Autor do post

          Andrezza

          É nomal, sim, sentir esses transtornos no início do tratamento. Não é preciso ter medo. Vou lhe enviar um link para que leia com atenção e fique sabendo o que pode sentir.

          Abraços,

          Lu

  10. Mário Mendonça

    Lu Dias

    Parabéns por este tipo de abordagem, pois tenho a certeza de que está ajudando muita gente, que lê o blog, a se auto analisar quanto aos seus psiques….

    Abração

    Mário Mendonça

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *