BÊBADO COMO UM GAMBÁ

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Postado por LuDiasBH

gambebo

Segundo a minha amiga Celestina Queiroga, o marido de sua secretária bebe como um gambá. E eu pensei cá com os meus botões sobre essa mania que as pessoas têm de sempre botar a culpa nos bichos. Os coitadinhos acabam levando a fama pelas maluquices e vícios humanos. Protesto veementemente contra tal comportamento.

Mas que engano! Eu estou aqui a defender o gambá, um bichinho noturno, para depois ficar sabendo que o danado é caidinho por bebidas alcoólicas, principalmente por uma birita. O moleque gosta tanto da sinhazinha que basta sentir o seu cheiro para cair na esparrela. De modo que, para pegá-lo, basta colocar um pouco de pinga numa vasilha. O bichinho bebum é atraído pelo cheiro. Ele bebe a terebintina e cai embriagado, bebaço, ficando impossibilitado de defender-se, ou seja, incapacitado de soltar aquele aroma que lhe é tão peculiar e que afasta as companhias indesejáveis, assim como os inimigos. Como os bêbados humanos, o animalzinho fica à mercê de terceiros que dele fazem o que bem quer, inclusive matam. Coitadinhos!

O leitor poderá ver agora que existem coisas em comum entre o gambá e o bebum. Ambos adoram uma jurubita e expelem um bodum danado, pois os bebuns não são chegados a um banho. Mas é bem possível que o bichinho, ao contrário do bicho-homem, nunca vomite ou faça aquela lambança no banheiro, o que deixa qualquer mulher com os cabelos em pé, ciente de que onde entra a bebida, escafede-se o prazer. Segundo os abstênios, onde a bebida torna-se patroa, o saber pica a mula numa boa.

18 comentaram em “BÊBADO COMO UM GAMBÁ

  1. Marinalva Autor do post

    Lu

    Esta narrativa me fez lembrar outra que ouço desde pequena. “Teimoso(a) como uma mula.” Conheci mulas que quando empacavam não saíam do lugar. Só saíam quando queriam. E continuavam o seu caminho como se nada tivesse acontecido. Vá entender a cabeça do bicho.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Marinalva

      Esta da mula é muito interessante, sendo conhecida em todo o país. Os bichos também possuem seus dias de pirraça, não é mesmo?

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Adevaldo R. de Souza

    Lu

    Os “gambás” estão espalhados pelo mundo todo. Dizem que os ingleses e alemães ganham disparados do resto da espécie humana.
    A minha terra tem um gambá que se chama Cutia, interessante hein? Certa vez um curioso perguntou ao Cutia o porquê de tanta bebedeira e ele respondeu de imediato: “Eu bebo para esquecer minha mulher, mas o problema é que, quando chego em casa, vejo duas”.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Adevaldo

      Adorei o “gambá” Cutia de sua terra que por sinal é riquíssima em causos. Fico sempre esperando o próximo. Maravilha!

      Abraços,

      Lu

      Responder
  3. Neph

    Esse bichinho é chegado na cangebrina. Ele sente o cheiro e vem atrás. Eu moro perto de uma reserva e à noite, quando bebo, se eu deixar a porta de casa aberta, logo tenho companhia.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Neph

      Seu comentário me fez dar boas risadas. Cuidado para não acordar com uma gambá fêmea a beijar-lhe a boca com gostinho de cangebrina.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  4. Alfredo Domingos

    Lu
    A história do gambá que bebe é ótima. Não conhecia. Você fez um texto legal, quase uma fábula. Mas confesso que gostei bastante da imagem. Foi perfeita a escolha! Ressalto que apreciei o comentário do Carlos Pimentel, aí de cima. Bem ilustrativo!

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Alf

      O danadinho que ilustra o texto não está a beber, mas a mamar. Confesso que fico caidinha, assim, por um bom vinho. Acho uma judiação darem pinga ao bichinho. Outra coisa que abomino é o fato de darem pinga aos perus. É uma das coisas que não me fazem gostar do Natal.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  5. Patricia

    Lu

    Coitado do bicho, é chegado na cachaça. Será que na natureza vivia debaixo dos pés de cana? Vítima ou caiu na boca do povo. Já que o histórico não é bom, nem seu odor, o melhor é virar um mascote oficial dos botecos e bebuns. Quem sabe assim consegue sua proteção perante os que o desencaminharam.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Pat

      Gostei da ideia de colocar um gambá como mascote na entrada de cada boteco. Mas pelo andar da carruagem, imagino que eles se suportarão mutuamente em relação ao bodum. Você e suas ideias fantásticas.

      Beijos,

      Lu

      Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      TT

      Ainda quero saber se eles bebem porque apredem, ou porque já nascem com esta predisposição.

      Beijos,

      Lu

      Responder
  6. Mário Mendonça

    Lu

    Então quer dizer que o bichinho adora uma birita? Pensei que a comparação era por causa do fedor.Vade Retrum para o odor.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Mário

      Aposto que você foi quem ensinou o bichinho a tomar umas biritas. Para falar a verdade, nunca senti o cheiro de um gambá. Dizem que muitos perfumes franceses são feitos com tal fragrância. A fêmea do gambá adora o cheirinho dele. E é o que importa.

      Beijos,

      Lu

      Responder
  7. Carlos A. Pimentel

    Lu,

    Ocasionalmente, aparece um gambá sozinho ou acompanhado da prole passeando aqui no muro do meu quintal e revirando a lata de lixo. Às vezes, eles decidem morar no meu sótão. Esses bichos fazem muito barulho, principalmente à noite! Ainda se pagassem aluguel! Nunca dei pinga pra eles, preocupado com a bagunça sobre aquelas coisas que guardamos – não sei o porquê – em nosso sótão há anos.

    Em setembro de 2012, tivemos uma invasão de gambás aqui na minha região. Causa provável: o desequilíbrio ecológico causado pelo avanço do bicho homem e a sua urbis sobre o habitat natural desse marsupial tupiniquim. Talvez ele beba de tanto desgosto!

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Beto

      Isso mesmo, o bicho bebe de desgosto por viver junto ao bicho mais arrogante da Terra: o homem. Quando não havia os desequilíbrios ecológicos, eles podiam ficar longe dessa nossa espécie que se arvora em dona do planeta. Agora precisam revirar latas de lixo.

      Uma sugestão: faça doação das coisas do sótão e ofereça o lugar a eles como moradia.
      Poderá mandar a conta do aluguel para o Vírus da Arte.

      Beijos,

      Lu

      Responder
  8. Cristine Martin

    Tadinho do gambá! ainda acho que ele acabou viciado levado pelas más companhias, pois o bicho homem é tão ruim que quer compartilhar seus vícios com os inocentinhos. Tenho visto várias fotos de gente que dá pinga pra cachorros, gatos e até para seus próprios bebês! Quanto ao cheiro, os coitadinhos só soltam a fedentina quando ameaçados. Aqui onde moro sempre apareciam vários gambazinhos, e só senti o cheirinho quando minha cachorra mordeu um deles, que estava machucado e veio se esconder no meu quintal. Fora essa vez, são limpinhos e cheirosos… Pena que com a derrubada das árvores para construção de casas, os bichinhos sumiram do bairro.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Cris

      Devotamos aos animais os mesmos sentimentos. Os humanos são mesmo grotescos: viciar os bichos com bebidas. Morro de pena dos cães policiais viciados em drogas. Será que valemos tal sacrifício.Também não tenho nada contra os gambazinhos. Havia um desenho com um gambá francês que eu adorava. Ele estava sempre querendo paquerar as gatinhas, mas seu cheirinho não era convidativo.

      Beijos,

      Lu

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.