O SONHO (Aula nº 108 D)

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

                                                (Clique na imagem para ampliá-la.)

A mulher adormecida em cima do sofá sonha que foi transferida para este bosque e que está a ouvir os sons do encantador de serpentes. O motivo do canapé inserido nesta pintura, deve-se a esse fato. (Rousseau)

A imagem irradia beleza, isso é indiscutível. Creio que ninguém vai rir este ano. (Guillaume Apollinaire)

É com Rousseau que podemos falar de a primeira vez do Realismo Mágico. (André Breton)

A composição O Sonho é uma obra-prima do pintor francês Henri Rousseau que traz como tema a selva, perfazendo um total de vinte e seis telas com essa mesma versão. Este é o último dos quadros com motivos selváticos, o maior deles e também o último do artista. O mais interessante é notar que, de um quadro para outro, a criatividade Rousseau foi ficando cada vez mais aguçada. Nesta tela em particular, segundo informações, existem mais de vinte tons de verde, sendo considerada uma obra-prima da arte moderna. Todos os pormenores são cuidadosamente trabalhados (haste, folha, flor, etc.). Trata-se de um dos mais belos ícones da pintura visual. Esta obra foi exposta no Salão dos Independentes, poucos meses antes do falecimento de artista francês.

O pintor deixa bem claro em sua criação que se trata de um sonho, daí a razão de a mulher encontrar-se reclinada e nua na tela, à esquerda, numa espécie de sofá de estilo francês, no meio da selva. A retratada é Yadwigha, amante polonesa da juventude do pintor. Arrebatada, ela aponta para o encantador de serpente, ali naquele mundo surreal, que se desenrola em seu derredor, composto por uma paisagem exótica, com folhagens variadas e diversos tipos de animais, dentre os quais são vistos macacos, aves, felinos, um elefante e uma cobra. Enquanto a leoa traz os olhos voltados para a sonhadora mulher, o leão mira o observador com seus olhos perscrutadores.

Um nativo negro, encantador de serpentes, vestindo uma saia colorida e tocando um instrumento de sopro semelhante a uma flauta, ocupa quase que a parte central da composição. Seu corpo mistura-se com o escuro da folhagem, mas seus olhos brilhantes destacam-se, chamando a atenção do observador – a quem fita intensamente. Apesar de tênue, a lua cheia joga sua luz sobre a selva, deixando-a a descoberto para ser admirada. Uma cobra escura, com barriga alaranjada, ondula em meio à vegetação colorida, lembrando as curvas dos quadris e da perna da jovem mulher, enquanto gigantescas e coloridas flores circundam-na.

Embora nunca tivesse deixado seu país, Rousseau transpôs para alguns de seus quadros um mundo fantástico, no qual a natureza é senhora absoluta. Nesta sua última obra, assim como a folhagem entrelaçada da floresta, ele fundiu o exótico e o comum, a selva representativa de um mundo distante e misterioso e o divã comum ao chamado mundo civilizado, numa junção dos dois extremos. As cenas sobre a selva, criadas pelo artista, foram inspiradas pelas visitas que fazia ao Museu Paris de História Natural e também aos jardins botânicos e estufas, e pelas revistas populares da época.

Nota: conheça os detalhes desta pintura, acessando o link abaixo. Não se esqueça de marcar “traduzir”: http://artsnfood.blogspot.com/2013/11/closely-looking-at-heri-rousseaus-dream.html

Ficha técnica
Ano: 1910
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 204,5x 298,5 cm
Localização: Museu de Arte Moderna, Nova Iorque, EUA

Fontes de pesquisa
Rousseau/ Editora Taschen
http://www.henrirousseau.net/the-dream.jsp
http://www.visual-arts-cork.com/paintings-analysis/dream-rousseau.htm

6 comentaram em “O SONHO (Aula nº 108 D)

  1. Adevaldo R. de Souza

    Lu

    Mais uma belíssima obra de Henri Rousseau com seus temas relacionados à exuberância da selva. A composição “Sonho” mostra o exotismo da selva, como plantas e animais selvagens e suas cores vivas e múltiplos tons dentro de um mundo mágico. O quadro emana uma beleza decorativa incontestável.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Adevaldo

      Henri Rousseau encantava sobretudo pelo domínio que possuía no uso de cores. Suas obras ainda encantam todos nós.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Marinalva Autor do post

    Lu
    Rosseau impressiona a todos com seus belos trabalhos. Com seu estilo simples e único, usa uma técnica criada por ele mesmo. O SONHO, com vários tons de verde impressiona. Autodidata, extremamente criativo, criou suas próprias regras. A mistura dos elementos, natureza, lua e gente mostrou o quanto ele era criativo e usava uma linguagem só sua . Magnífico .

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Marinalva

      Russeau foi realmente um artista primoroso. Sua obra conquistou o público da época e grande parte dos artistas. Nesta pintura chama a atenção os diversos tons de verde.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  3. Hernando Martins

    Lu

    Muito bela essa composição do grandioso Rosseau, mestre da arte ingênua e primitiva. A obra retrata uma mulher nua, sentadada num sofá vermelho de veludo, com a mao estendida para as flores, ouvindo um tocador de flauta, dentro de um floresta mágica, um verdadeiro paraíso idílico. O artista consegue imprimir com muita precisão e beleza a materialização de um sonho ingênuo e mágico, dentro de uma atmosfera primitiva, representado pela floresta e seus elementos do reino vegetal e animal. Enfim, quando olhamos para obra, ela nos remete algo muito familiar.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Hernando

      Também me sinto como você, ao dizer que a obra nos remete a algo muito familiar. Rousseau era realmente mágico e suas obras ingênuas e inspiradoras.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.