Caravaggio – RAPAZ MORDIDO POR LAGARTO

Autoria de LuDiasBH

menino1

A composição denominada Rapaz Mordido por Lagarto, obra do pintor barroco italiano Caravaggio, mostra que ele foi sempre um artista revolucionário. A temática desta pintura, se relacionada a seu tempo, é totalmente inovadora, assim como o tratamento dado à luz. O pintor fez duas versões dessa obra, numa mesma época, com diferenças quase imperceptíveis.

Em relação à figura humana da pintura, acreditam alguns estudiosos que se trata de Mario Minniti, companheiro e modelo do artista, presente em muitos de seus trabalhos. Entretanto, outros veem ali o próprio Caravaggio. É um trabalho da juventude do artista, e encontra-se entre as 50 pinturas mais famosas do mundo.

O rapaz recua instintivamente, após ser picado por um lagarto, num ato de defesa, embora tardio. Sobre sua mesa encontra-se um vaso de vidro transparente, com uma rosa e um ramo de jasmim. É possível observar que não se encontra cheio de água até à boca e, que há até mesmo uma folha num dos caules mergulhados na água, tamanha é a transparência do vidro. Duas cerejas vermelhas e outras frutas estão ao lado do vaso. É fascinante a luz que cai sobre o vaso com água e flores, e dele emana.

A pintura mostra um jovem moreno, de cabelos escuros encaracolados e lábios carnudos e vermelhos, vestindo dois roupões, um branco e outro marrom. Sua glabela enrugada contribui para mostrar dor e surpresa ao mesmo tempo, após ser mordido por um pequeno lagarto, que se encontra escondido entre as frutas. Atrás da orelha, entre os cabelos, usa uma rosa branca. A luz incide sobre seu rosto, ombro direito e mão. Como em quase todas as obras do pintor, o menino traz as unhas sujas, mostrando que é um garoto do povo. O dedo mordido é o médio da mão direita, pendido para baixo.

Segundo alguns estudiosos das obras de Caravaggio, o quadro contém um simbolismo sexual complexo. O ombro à vista e a rosa atrás da orelha são indicativos de que o garoto é vaidoso e quer ser admirado, sendo que as cerejas simbolizam o desejo sexual. O dedo médio tinha, no século XVII, o mesmo significado que tem hoje, num gesto muito comum entre nós, quando dobramos os demais e apontamo-no para cima. O lagarto seria a metáfora do pênis. O susto do menino e a expressão de dor aludem às dores do amor físico.

Segundo a história, foi no século XIX, com o aparecimento do capitalismo, que os homens, principalmente os de classe média, não mais queriam ser considerados belos, parecidos com as mulheres. Até então, eles se enfeitavam e buscavam os atrativos usados por elas. Eles passaram a usar roupas diferentes e modificaram outros comportamentos sociais, como o ato de beija ou chorar, que passou a ser visto como próprio de mulheres, e não de homens. E assim, muitas pinturas passaram a ser analisadas sob uma ótica diferente da época em que foi feita, vendo-se homossexualidade em tudo. É por isso que eu sempre me questiono sobre tais interpretações. Será que o pintor pensou nisso, quando fez sua obra, ou tudo não passa de suposições, num mundo totalmente obcecado pela sexualidade das pessoas?

Ficha técnica
Ano: c. 1595
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 65,8 x 52,3
Localização: The National Gallery, Londres, Grã-Bretanha

Fontes de pesquisa
Caravaggio/ Coleção Folha
Caravaggio/ Abril Coleções
http://allart.biz/photos/image/Michelangelo_Caravaggio_7_Boy_Bitten_by_a_Lizard_1594_1596.html
http://albertis-window.com/2010/09/boy-bitten-by-a-lizard-posner-vs-gilbert-2/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *