Dalí – LEDA ATÔMICA

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

cadela1234    cadela12345

Para fazer sua conhecida composição Leda Atômica, Dalí foi buscar inspiração na mitologia grega, tomando por base a lenda em que Zeus, o pai dos deuses, ao se encantar pela mortal Leda, casada com Tíndaro, da Espanha, transforma-se num cisne para dela se aproximar.

Dalí, que morou nos Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial, tendo tomando conhecimento das bombas atômicas sobre Hiroshima e Nagasaki, passou a se interessar pela física atômica, que demonstrava que as partículas não se tocam fisicamente. Para ele, a descontinuidade da matéria passou a ser uma das descobertas mais fascinantes. E foi aliando a lenda grega ao novo conhecimento que ele pintou Leda Atômica, servindo sua mulher Gala, sua eterna musa, de modelo.

Na composição, Leda levita sobre um pedestal, que por sua vez também flutua, como mostra sua sombra na areia. O cisne, os ovos (uma referência à lenda), o livro, o esquadro e, inclusive as águas do mar, como podemos ver pela sombra na areia, também flutuam. O esquadro mostra duas sombras, uma na água e outra na areia. Observe o leitor que o cisne é o único elemento que não produz sombra, o que demonstra a sua divindade. Conforme a física atômica, nenhum objeto é capaz de se tocar. A própria Leda tenta tocar na cabeça do cisne, sem conseguir finalizar sua ação.

Ao contrário de pintores como Michelangelo, Rubens e Poussin, que pintaram o mito de Leda e o Cisne, dando-lhe uma conotação sexual, Dalí preferiu sublimar o sentimento, transformando o desejo numa sexualidade espiritualizada, ou seja, sem contato o amor torna-se espiritual, ao contrário do carnal que exige o toque.

Foi utilizada na composição a chamada “divina proporção” do renascentista Luca Pacioli, praticada por Leonardo da Vinci. De modo que Leda e o cisne situam-se no centro de um pentágono (figura de cinco ângulos), onde também se encontra uma estrela de cinco pontas. Leda tem sua perna direita dentro da ponta inferior esquerda da estrela. Por sua vez, as pontas laterais do alto da estrela demarcam a linha do horizonte. A cabeça de Leda encontra-se dentro da ponta superior da estrela.

Ao contrário de muitos pintores que viam na matemática um empecilho à criatividade, Dalí fazia parte daqueles, que acreditavam, que toda obra devia se basear em composição e cálculos matemáticos. Ao fundo, estão as rochas da Catalunha tão presentes nas obras do pintor.

Ficha técnica:
Ano: 1949
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 61,1 x 45,3 cm
Localização: Fundação Gala-Salvador Dalí, Figueras, Espanha

Fontes de pesquisa
Dalí/ Coleção Folha
Dalí/ Abril Coleções
Aventuras na História/ Editora Abril

10 comentários sobre “Dalí – LEDA ATÔMICA

  1. Patricia

    Lu
    Dali com a sua inteligência sempre vai nos intrigar.
    A cada pintura quero admirá-la bem e só depois ler seu texto.
    A cada contexto novas surpresas, será assim em todas as obras.
    Beijos

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Pat

      E você viu como ele usava a matemática?
      A obra é muito bonita e cheia de curiosidades.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Mário Mendonça

    Querida Lu Dias
    “Não idealize em demasia o seu líder, renegando a sua real história”.

    Não Entendi! Inclusive coloquei”fico na duvida”
    Mas tenho certeza que meu líder, sou eu… artistas, pensadores, músicos, etc… só, admiração.

    Abração

    Mário Mendonça

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Mário

      É que você gosta tanto do Dalí, que não acredita que ele tenha sido narcisista e ávido por dinheiro.
      Gostei muito da sua sábia afirmação:
      “Mas tenho certeza que meu líder, sou eu… artistas, pensadores, músicos, etc… só, admiração.”

      Abraços,

      Lu

      Responder
  3. Mário Mendonça

    Lu Dias / Edward
    Fico na duvida se uma figura tão estranha (parecia que não era terrestre) era realmente tão apegado ao dinheiro.
    Concorda Edward?

    Abração aos dois

    Mário Mendonça

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Mário
      Não precisa ter dúvidas.
      Basta ler a biografia do pintor.
      Ele tinha os dois pés na Terra.
      Seus quadros mais loucos estavam ligados à masturbação.
      Não idealize em demasia o seu líder, renegando a sua real história.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  4. Edward Chaddad

    LuDias
    Dalí mostrou que as ciências estão em apoio às artes. Ele era mais apegado ao mundo físico do que ao espiritual, acredito.
    Parabéns pelo texto.

    Abraços

    Responder
  5. Mário Mendonça

    Lu Dias
    Poucas pessoas no mundo entendem as leis da Física e Dalí mostrou nesta obra que entendeu e muito bem.
    Lendo sua narrativa e observando a Arte, pergunto: Como pode nada se tocar? E porque a presença da mulher nessa ciência maluca?
    Indagações que jamais poderemos responder, e me resta supor que a magia dele era misturar poder e desejos, que talvez jamais conseguiremos propor. Esta obra é uma das minhas favoritas.

    Mário Mendonça

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Mário

      Esta obra é mesmo muito bonita.
      Gaia, sua amada, não poderia faltar.
      Ela estava em tudo.
      Dalí era muito inteligente.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *