NÃO PENSE GRANDE, PENSE PEQUENO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

cagcap

Cresci sempre ouvindo dizer que todo indivíduo deveria pensar grande, bem além das fronteiras de suas possibilidades, no mais alto da escala das ambições, seja lá quais fossem os seus interesses. Na contramão dos ensinamentos de então, de olho no fluir da vida humana e na finitude dos recursos do planeta Terra, o slogan dos tempos modernos deve ser Pense Pequeno e com Responsabilidade.

Nos dias de hoje, não serão os grandes passos que farão a diferença, mas os pequenos e sólidos que, ao longo dos anos, deverão envolver o nosso planeta como um todo. O espírito de grandeza e o egocentrismo estão fadados ao insucesso e à solidão, pois o futuro das gerações está centrado em pequenas ações que, como quadros de uma colcha de crochê, irão se unindo uns aos outros, com o objetivo de compor um cenário, onde todos possam ser felizes.

As escolhas individuais, mais do que nunca, devem estar imbuídas de motivos que beneficiem o microcosmo em que vive o indivíduo, observando as reais necessidades dos que o rodeiam. Não adianta preocupar-se demasiadamente com as florestas de Bornéu, quando a Floresta Amazônica está sendo dizimada diariamente.

O “pensar grande” está totalmente obsoleto para o nosso tempo. Temos que começar olhando para as necessidades humanas mais próximas de nós. Quanto mais distantes as enxergamos, menos agimos, pois usamos, muitas vezes, a “impotência” como desculpa para a nossa omissão. De maneira alguma desmereço aqui as ajudas humanitárias. Apenas enfoco a necessidade de olharmos com mais generosidade para aquilo que se encontra diante de nossa visão, ou que envolva o nosso mundo mais próximo.

Muitos indivíduos optam por escolhas racionais, desprovidas de vaidade pessoal, com a intenção de melhorar a vida na sua comunidade, e tais escolhas espalham como ondas, num universo cada vez maior e mais abrangente, como os rios que desaguam no oceano, formando uma grande massa de água.

Para que adotemos a política do “pensar pequeno com responsabilidade” é preciso que saibamos discernir os fatos, usando a razão com mais acuidade, pois aqueles que pensam grande, de olhos apenas nos seus interesses pessoais, continuam no comando. Temos que driblar o marketing violento das grandes empresas, dos partidos políticos e, sobretudo, a propaganda que recebemos em nossa casa, via mídia.

Mesmo em pleno século XXI, quando pensamos ter conhecimento suficiente para fazermos escolhas sensatas, deparamos com incoerências inacreditáveis. Cada vez mais, as pessoas estão preocupadas com os alimentos que comem, buscando fontes saudáveis. Contudo, as lojas de fast-food nunca faturaram tanto, a ponto de se multiplicarem em todo o mundo. Mesmo sendo cada vez maior o número de pessoas que reconhecem a água pura e natural como de suma importância, as bebidas energéticas, com suas combinações químicas, estão no pico das vendas. E, embora as mulheres sejam maioria em quase todos os países do mundo, elas ainda não são vistas como agentes de transformação e de decisões. Muitos ainda pensam que a participação feminina é insignificante dentro do contexto social.

O importante no “pensar pequeno com responsabilidade” é que tal postura parte de cada indivíduo, numa opção consciente que se agrega ao todo (comunidade), de modo a se identificar com as reais necessidades do grupo e de nosso planeta. Podemos ver isso na reciclagem do lixo, feito nos condomínios, no uso sem desperdício de energia e água, nas campanhas de proteção às florestas, nas campanhas contra os desperdícios ao consumir alimentos, etc.

Mesmo vivendo num mundo globalizado, em que a internet coloca um acontecimento de uma aldeia indiana em nossa casa, num fechar de olhos, não podemos nos transformar em vaquinhas de presépio. É nosso dever preservar a nossa individualidade, dentro dos parâmetros da dignidade, do compromisso com nós mesmos, com os outros e com o planeta Terra. Pois o poder de escolha individual será o responsável pelas mudanças que nos tornarão mais ou menos dignos nesta nossa passagem terrena.

Em nenhum tempo da história do homem  foi possível contar com tantas opções como agora, em qualquer que seja o campo. Mas, quanto maiores são as opções, maior se torna a nossa responsabilidade. Cada um de nós é responsável por suas próprias escolhas.  É na liberdade e na seriedade de nossas preferências que poderemos optar por uma comunidade, uma sociedade ou um mundo melhor, ou não.

Nota: Imagem copiada de  http://www.imagensdeposito.com/anima

4 comentários sobre “NÃO PENSE GRANDE, PENSE PEQUENO

  1. Matê Autor do post

    Lu,

    Bato palmas e peço bis para o seu texto “Não pense grande, pense pequeno”. Ele nos mostrou a mais cristalina ( e esquecida) verdade. De que vale a tal modernidade sem a responsabilidade?

    Abraços

    Matê

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Matê

      Nos dias de hoje, as pequenas ações, quando feitas sob a o manto da reflexão, mostram um compromisso muito maior com o nosso sofrido planeta Terra e toda a vida que nele habita.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Pedro Rui

    Pensar pequeno e com responsabilidade é assim deve ser; pensar em nós, mas também nos outros, pois somos responsáveis pelas nossas ações.
    Abraços Lu
    Rui Sofia

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Rui

      São as pequenas e responsáveis ações que podem mudar a nossa relação com o planeta.
      Não adianta ter sonhos mirabolantes e ficar só nisso.
      Se sonharmos pequeno, mas com responsabilidade, construiremos um mundo melhor.

      Grande abraço,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *