O DOMINGO E A DEPRESSÃO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria do Dr. Telmo Diniz

feliz123456789

Inicio esta coluna falando sobre uma queixa bastante comum entre as pessoas, mais conhecida como depressão de domingo. Para exemplificar, transcrevo trecho de um internauta desesperado:

“Prezados doutores, rogo-lhes que me ajudem ou me deem uma orientação. Sou bancário e sofro de depressão de domingo, e quem sofre disso sabe que, no domingo, a tristeza cresce em progressão geométrica conforme o dia vai passando. A tardinha cai e, às 17h, mais ou menos, quando tem futebol na televisão e os bares ficam cheios de cachaceiros vendo o jogo, a coisa fica crítica… uma característica comum é o calafrio que a música do ‘Fantástico’ dá, mas quando passa a vinheta final do programa e as letras começam a subir, é pra fechar o caixão. A angústia é enorme, um troço ruim por dentro dizendo que o fim de semana acabou e agora só resta ir pra cama dormir, porque a segunda-feira vai vir com tudo. Eu gostaria de saber dos doutores da categoria se depressão de domingo tem tratamento, e qual remédio a gente toma”. 

A palavra depressão provém do termo latim depressus, que significa abatido ou aterrado. Trata-se de um distúrbio emocional, podendo traduzir-se num estado de abatimento e infelicidade. A depressão é uma entidade clínica reconhecida, formada por um conjunto de sinais e sintomas, dentre eles o rebaixamento do estado do humor, porém, esse deve persistir por duas semanas ou mais. Portanto, somente um dia com alteração no estado de humor não caracteriza depressão e, sim, um estado de ansiedade antecipatória e/ou angústia com os problemas que estão por vir como: levantar mais cedo, pagar as contas, tarefas a serem realizadas e prazos a ser cumpridos, levar as crianças para a escola… A pessoa já começa a sofrer por antecedência com tudo o que tem de ser feito logo no início da semana e, literalmente, perde os domingos de descanso.

Pensando nisso, coloco abaixo algumas dicas para que este estado de ansiedade e angústia não o pegue no domingo:

  • Comece o dia lendo um bom jornal, como o Pampulha. Na publicação, você encontra uma série de programações para toda a família e para todos os gostos.
  • Saia para dar uma caminhada, praticar algum exercício físico ao ar livre.
  • Separe um tempo para ouvir suas musicas preferidas. Uma boa música libera endorfina e combate o mau humor.
  • Um almoço com familiares e amigos também é uma boa medida.
  • Para os que gostam de praticar momentos de meditação, vá em frente. O mesmo vale para os que praticam algum tipo de religião.
  • Os programas de TV devem ser evitados, pois não acrescentam nada em nível cultural e nem informativo. .
  • Se você está muito preocupado com os afazeres da segunda-feira, uma saída pode ser escrever o que tem de ser feito para organizar, sistematizar o dia.
  • Você também pode antecipar alguma tarefa do dia seguinte, caso isso lhe traga tranquilidade.
  • À noite, na hora de deitar, procure praticar a “higiene do sono”, assunto já abordado aqui, que irá favorecer uma noite de sono repousante para acordar bem disposto e enfrentar a semana que se inicia.

Nota: Imagem copiada de www.educacaofisicadadepressao.com

 

4 comentários sobre “O DOMINGO E A DEPRESSÃO

  1. Reini D. Leal

    Gostei muito do texto, bem informativo para os mais ansiosos e que não permitem o direito de descansarem no fim de semana.

    Responder
  2. Edward Chaddad

    Assistir à rede Globo dá mesmo depressão. Ele nem podia ouvir mais a música de entrada do Fantástico: “além disso, várias pessoas têm seus sintomas piorados com a voz do Faustão ou do Zeca Camargo, à noite).”

    Realmente, temos que usar o poder de nossa mente e, como ele, as coisas mais simples da vida irão nos transformar em seres mais felizes.

    Adorei este texto.

    Responder
    1. Mário Mendonça

      Com certeza Edward, ver a globo não ajuda em nada, aliás, assistir tv aberta hoje em dia é que ajuda na depressão.
      Discordo do Dr. Telmo no que tange a ler jornal, pois, geralmente repercute notícias de mídias audiovisuais; sugiro a internet, aqui sim, podemos nos distrair com assuntos que queremos, como este belo blog de nossa querida Lu Dias.
      Depois de uma leitura matinal, ai sim podemos sair para exercícios e passeios, e se à noite ainda estivermos de bobeira, um bom filme no Netflix ou nas tevês fechadas também são bem vindos para liberar endorfinas, mas namorar ainda é o melhor.

      Abração

      Mário Mendonça

      Responder
      1. LuDiasBH Autor do post

        Mário

        O jornal citado pelo Dr. Telmo é realmente bom, pois traz apenas assuntos sobre saúde e arte. Ele escreve nesse jornal. E é distribuído gratuitamente em alguns bairros de BH.

        Quanto à TV aberta e mídia atual, mais parece que estamos chafurdando na lama. Também prefiro a internet que é democrática e cada um procura aquilo que é de seu interesse. Nada como fechar a noite com um bom filme.

        Grande abraço,

        Lu

        Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *