O SABOROSO QUEIJO MINAS

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria do Dr. Telmo Diniz

O queijo é uma paixão que está disseminada em vários países mundo afora e a aceitação da iguaria em Minas Gerais é fato mais que consumado. O queijo não é só um alimento saboroso e que agrada o paladar de todos, mas também é especialmente saudável. Pesquisas recentes já o apontam como protetor cardiocirculatório.

Entende-se por queijo, de forma genérica e resumida, o produto fresco ou maturado que se obtém por separação parcial do soro do leite. Todos os queijos apresentam em sua composição vários elementos, incluindo água, proteínas, gorduras, sal, lactose, sais minerais e vitaminas. À medida que o queijo vai envelhecendo ou curando, há uma diminuição do teor de água contida no produto.

Apesar da variação na composição dos queijos, do tipo de leite utilizado como matéria-prima e do processo aplicado à sua fabricação, os queijos, de maneira geral, destacam-se por possuir vários benefícios nutricionais à saúde humana. Primeiramente, o alto teor de cálcio, que é um mineral fundamental para formação e manutenção dos dentes e ossos, além de diversas outras funções no organismo.

Assim como os iogurtes, alguns queijos podem beneficiar o desenvolvimento de bactérias benéficas ao intestino, além de ajudar a prevenir o desenvolvimento de bactérias maléficas – conhecido efeito probiótico. Também tem o efeito de fortalecer o sistema imunológico. De igual forma, apresenta quantidades razoáveis de vitaminas A, D, E, B e os minerais zinco, iodo, selênio, potássio e fósforo. As quantidades desses elementos dependem do teor de gordura e de água em cada um dos queijos.

Um novo estudo publicado no “European Journal of Nutrition” corrobora o que outras pesquisas estão chegando à conclusão. Ele sugere que comer um pouquinho de queijo todo dia nos deixa menos propensos a desenvolver doenças cardíacas ou ter um acidente vascular cerebral. Para saber como o consumo de queijo em longo prazo afeta o risco de doenças cardiovasculares, pesquisadores da China e da Holanda combinaram e analisaram dados de 15 outros estudos observacionais com mais de 200 mil pessoas.

Os pesquisadores descobriram que, no geral, as pessoas que consumiam mais queijo tinham um risco 14% menor de desenvolver doença cardíaca coronária e 10% menos chances de ter um acidente vascular cerebral do que aqueles que raramente ou nunca comiam queijo. As pessoas que tiveram menores riscos de doenças cardíacas e acidentes vasculares cerebrais consumiam, em média, cerca de 40 g por dia.

O queijo contém ácido linoleico, um ácido graxo insaturado que aumenta a quantidade de colesterol HDL, considerado “bom”, e diminui os níveis de LDL, o colesterol “ruim”. Também há evidências de que o queijo como substituto do leite tem efeito protetor cardíaco.

Como o estudo não analisou diferentes tipos de queijo, os pesquisadores acreditam que são necessárias mais pesquisas para identificar quais são os mais benéficos. Será que o nosso queijo mineiro está entre eles? Bom, espero e torço para que sim! Minas Gerais não tem só trem bom. Trem broa, trem feijão tropeiro, trem queijo e pão de queijo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *