QUEM PUXA AOS SEUS NÃO DEGENERA

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de Alfredo Domingos gandhi1345

A explicação genética confirma que saímos aos nossos. Os cabelos louros são do avô. Os olhos azuis são do pai. A estatura alta vem da parte do outro avô. E por aí seguem as comparações. Tudo bem, mas não me agarro à gênese! Quero tergiversar. Voar com as ideias dos tipos:

– Paulinho é tão desaforado quanto a mãe!
– João é tão organizado quanto o pai!
– Marina é cômica do mesmo jeito que é a irmã mais velha!

São estas algumas das exclamações que a família e amigos apontam como referências, fazendo tudo para que a semelhança seja reconhecida e festejada. Outras similitudes vêm das profissões:

– Ele é professor como o pai.
– Ela é médica e tem a mesma especialidade da mãe.
– Júnior herdou o pendor artístico do pai. Está cursando teatro. Faz caras e bocas da mesma forma.
– Leninha costura divinamente! Confecciona vestidos de noiva tal qual a mãe nos bons tempos.
–Tocar bem piano é dom da família inteira.

Está bem! As pessoas divagam buscando coerência, tentando atrelar uma coisa à outra.  Precisamos justificar de um tudo, fazer o quê? Porém, não degenerar porque puxamos a quem nos gerou, ou está conosco vai além. Considero mais relevantes o exemplo e o ensinamento que são passados. Entendo que a convivência sadia pode salvar alguém. Pode dar rumo ao desgovernado.

A validade do provérbio está no sentido de aproveitar as boas lições, realizar o bom combate, estar atento às dicas importantes. Não importam parentesco, cor da pele, sinais físicos, ofício e demais coincidências. Releva refletir sobre o proveito que conseguimos obter e em consequência fortalecer as nossas vidas.

Nota: Artesanato do Vale do Jequitinhonha

3 comentaram em “QUEM PUXA AOS SEUS NÃO DEGENERA

  1. Adevaldo R. Souza

    Pode significar também que as pessoas que seguem os passos e ensinamentos dos seus pais vão sempre pelo bom caminho, ficando longe de problemas. Há pessoas que plantam negacionismo ao fazer comparações como: “é feia como a vó”; “vai ser ladrão como o pai”; “vai ficar preguiçosa como a mãe”. Esses atributos podem prejudicar o futuro de uma criança.

    Responder
  2. LuDiasBH Autor do post

    Alf

    Achei muito interessante a sua reflexão sobre o provérbio “Quem puxa aos seus não degenera”.
    Você fechou com chave de ouro:

    “A validade do provérbio está no sentido de aproveitar as boas lições, realizar o bom combate, estar atento às dicas importantes, enfim. Não importam parentesco, cor da pele, sinais físicos, ofício e demais coincidências. Releva refletir sobre o proveito que conseguimos obter e, em consequência, fortalecer as nossas vidas.”

    Quem venham mais provérbios!

    Abraços,

    Lu

    Responder
    1. Alfredo Domingos

      Lu,
      Agradeço o seu comentário. O sentido do texto foi perfeitamente entendido por você.
      “Puxar aos nossos” reside em receber e aceitar os bons caminhos oferecidos.
      Abração, Alfredo Domingos.

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.