Claude Lorrain – O CASAMENTO DE ISAQUE E REBECA

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBHEsta é uma paisagem para ver e ouvir. Lorrain estimula os ouvidos, além de deliciar os olhos. Há toques musicais bem explícitos: o som das cachoeiras, de música, dos pandeiros dos dançarinos, o mugir do gado, o barulho dos cascos dos cavalos e o murmúrio das vozes. (Robert Cumming)

A composição denominada O Casamento de Isaque e Rebeca, também conhecida como O Moinho ou também Paisagem com casamento, é uma obra clássica do pintor francês Claude Lorrain (1600-1682), cujo sobrenome era Gellée, mas que se tornou conhecido como “Le Lorrain”, em razão do local de seu nascimento – Lorena. Foi aluno de Agostino Tassi, em Roma. Estudou também com Gottfried Slas, que era pintor de arquitetura e paisagens, quando esteve em Nápoles. Tornou-se um famoso paisagista, inspirando, mais tarde, no estilo de Nicolas Poussin, porém era mais lírico e romântico em seu trabalho.

Esta paisagem, cena arcádica generalizada, parece um sonho idílico, um paraíso terrestre em que homem e natureza vivem na mais perfeita harmonia. Por ter sido criada numa época em que o gênero da paisagem pura não era um tema específico para uma pintura, sendo nitidamente não clássica e secular, o artista, para dar um viés mais artístico e intelectual à sua obra, foi buscar no Velho Testamento um assunto religioso, coisa que hoje seria totalmente desnecessária, tamanha é a beleza desta paisagem que nos convida a adentrar pelo quadro, visitando os mais diferentes e aprazíveis lugares (caminhos, cascata, montanhas, etc.) e ali permanecer por horas a fio. Mesmo na época em que viveu, o artista já  era aclamado por suas belíssimas paisagens, embora não recebesse críticas semelhantes em relação às figuras humanas.

Presente à cena estão várias pessoas com vestes camponesas que participam de um piquenique. Algumas conversam animadamente em grupos, sentadas ou observando o casal que dança e toca. O grupo de mulheres com uma criança ao colo  encontra-se mais no centro do gramado. À direita, debaixo de frondosas árvores, um segundo grupo posiciona-se ao lado da comida e das bebidas. Ali se encontra uma jovem sentada, com a mão direita no rosto, enquanto segura delicadamente três flores brancas. Ela parece alheia, embevecida com a paisagem que vê à sua frente. Outras pessoas chegam, a pé ou a cavalo, pela esquerda.

A paisagem, obra criada no ateliê do artista, apresenta longas sombras douradas em primeiro plano que fazem contraste com as áreas distantes, ainda banhadas pela névoa. Lorrain muitas vezes visitava os campos em volta de Roma, estudando a natureza e fazendo desenhos para usar em suas paisagens. Podemos ver a deslumbrante técnica do artista ao observarmos as folhagens do grupo de árvores altas e escuras à direita. Além de emoldurar a paisagem, este grupo leva o olhar do observador para dentro da obra, destacando o maravilhoso plano intermediário. E para reforçar a ilusão de distância em sua obra, fez uso de tons azuis frios, indicativos de afastamento. Ao contrário destes, os tons marrons e detalhes quentes em vermelho, presentes no primeiro plano, dão a sensação de proximidade. A água corrente, presente em três lugares, preenche um grande espaço na obra, trazendo a sensação de frescor: a cachoeira presente nos rochedos à esquerda, os dois níveis do lago e o moinho d’água perto da torre.

No toco de uma árvore, na parte central da composição, há uma inscrição com o título “Casamento”, daí derivando o título do quadro,  podendo ter sido uma brincadeira do pintor, uma vez que não existe noivo ou noiva. A sua única ligação com a história bíblica de Isaque e Rebeca é esta inscrição. A preocupação do pintor era com o local onde se passava o piquenique. Todo o resto serve apenas de adendo à paisagem. Outra versão desta pintura, mas sem a inscrição, é chamada de “O Moinho”.

Muitas cenas são vistas em meio à paisagem: pessoas chegando a cavalo, um homem tangendo gado, uma mulher levando água num pote sobre a cabeça, um homem capinando a terra, pessoas conversando, um casal dançando, barcos navegando, uma pessoa no fundo do moinho, etc. Além da relva verde, das árvores e da água, montanhas azuladas aparecem no fundo da pintura. Três barcos são vistos no lago.

Ficha técnica
Ano: 1648
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 149 x 196,5 cm
Localização: Galeria Nacional, Londres, Grã-Bretanha

Fontes de pesquisa
Enciclopédia dos Museus/ Mirador
Arte em detalhes/ Robert Cumming
1000 obras-primas da pintura europeia/ Könemann
http://www.picnicwit.com/themes/landscape-with-the-marriage-of-isaac-and-rebecca-

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *