Goya – A DUQUESA DE ALBA (I)
Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH alba
A duquesa de Alba era bela, elegante, rica e gozava de grande prestígio na corte de Madri, no final do século XVIII, e tinha um grande número de amantes. Era a mulher mais importante, depois da rainha.

Num acordo entre famílias, muito comum à época, María del Pilar Teresa Cayetana de Silva Alvarez de Toledo casou-se, aos 13 anos de idade, mas ficou viúva muito nova, aos 34, e morreu aos 40. Segundo bochichos da época, morreu envenenada, a mando da rainha María Luisa, que invejava seu caráter forte e sua intensa atividade social, e, em razão disso, mantinha com a duquesa uma grande rivalidade.

O avô de Cayetana, o duque de Alba, só possuía a neta como descendente direto, por isso, preocupado com a linhagem da família, arranjou-lhe um marido, o duque de Villafranca, que tinha 19 anos quando se casou. Ele se comprometeu a levar adiante o nome da família Alba. A duquesa, tida como infértil, morreu sem deixar descendentes, o que a levou a se mergulhar nos prazeres, principalmente o de seduzir os homens, que se arrastavam por ela.

Goya foi apaixonado pela duquesa de Alba, tendo pintado vários retratos dela, sendo este o primeiro. Após a morte do marido de Cayetana, o pintor passou alguns meses em sua casa, o que gerou várias especulações em torno de ambos. Para muitos, os dois foram amantes, sendo os vários retratos que pintou dela a prova maior desse relacionamento.

Na composição, a duquesa está de pé, tendo uma paisagem ao fundo. Usa um belo vestido de gaze branca, tendo à cintura uma larga faixa vermelha acetinada. O laço dos cabelos, do vestido e o colar combinam com a faixa do vestido. Sua mão direita aponta para uma inscrição na areia, onde está escrito o nome do autor da obra e a data de sua realização.

A duquesa usa belas joias no braço direito: um bracelete e duas pulseiras de ouro. Seu rosto fino é emoldurado por seus cabelos negros e cacheados, que contrastam com o branco de seu vestido. Um cãozinho, com um laço vermelho na pata esquerda traseira, encontra-se à frente da mulher. Ambos olham diretamente para o observador.

Ficha técnica
Data: 1975
Técnica: óleo sobre madeira
Dimensões: 194 x 130 cm
Localização: Coleção Casa de Alba, Palácio de Liria, Madri, Espanha

Fontes de pesquisa
Degas/ Abril Coleções
Degas/ Coleção Folha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *