Mestres da Pintura – JOSEPH M. WILLIAM TURNER

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

turner

O inglês Joseph Mallord William Turner (1775-1851) nasceu em Londres. Aos 14 anos de idade passou a trabalhar com o desenhista arquitetônico Thomas Malton, que chegou a concluir que o garoto jamais seria um artista, sendo no mesmo ano aceito na Escola da Academia Real de Artes, em Londres, onde ganhou a admiração de seus colegas. Aos 15 anos, Turner expôs suas primeiras aquarelas na referida academia. Aos 25 anos, já era Membro Associado, período em que visitou, pela primeira vez, outros países do continente europeu, estudando em Paris, no Louvre, os Antigos Mestres, dando destaque às paisagens holandesas e composições de Claude Lorrain. A visita de Turner a outros países, inclusive à Itália, mudou radicalmente seu estilo, quando passou para as criações visionárias.

Em 1807, o pintor inglês tornou-se professor de perspectiva na Academia Real de Artes. Aos 70 anos tornou-se presidente interino da mesma academia, fazendo ali sua última exposição em 1850. Morreu aos 76 anos de idade.

Turner era um grande admirador dos pintores de paisagens Claude Lorrain e Thomas Girtin. Sobre o último chegou a declarar: “Se Girtin tivesse vivido mais, eu estaria na miséria.” Por sua vez, Turner inspirou James Abbott McNeil Whistler, Claude Monet, Louise Bourgeois, Cy Twombly, dentre outros. Influenciou desde os impressionistas até os expressionistas abstratos. É considerado um dos mais notáveis precursores do impressionismo. É sem dúvida o mais importante e conhecido pintor de paisagens do século 19, vindo a seguir o pintor John Constable (já estudado aqui). Ambos percebiam o mundo de uma maneira diferente. Pintou cidade e campo, montanhas, naufrágios, etc. Embora obtivesse grande sucesso em seu trabalho, Turner vivia recluso em sua vida pessoal.

Quando já se encontrava no final de sua carreira, as composições de Turner passaram a ser mais expressivas e coloridas, dando forma visual à assombrosa e demolidora força da natureza, com um jeito diferente de olhar o mundo. A partir de suas experiências com cor e luz, seu estilo evoluiu tanto, a ponto de chegar à abstração. Ele não queria apenas olhar a natureza, mas passar a sensação de experimentá-la e senti-la. Maravilhoso!

Fontes de pesquisa
Os pintores mais influentes do mundo/ Editora Girassol
1000 obras-primas da pintura europeia/ Editora Könemann
A História da arte/ E.H. Gombrich

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *