Renoir – BANHISTA COM O CÃO GRIFO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH


O pintor francês Pierre-Auguste Renoir (1841 – 1919) alegrava-se por ter nascido num família de grande talento manual, onde havia alfaiates, ourives e desenhista de modas. Para ele teria sido mais difícil se tivesse nascido numa família de intelectuais, pois teria levado muito tempo para se livrar das ideias recebidas. De origem humilde, aos 13 anos de idade Renoir deu início à sua carreira artística, pintando porcelanas, cortinas e leques para ajudar financeiramente sua família composta por mais seis irmãos. Émile Laporte – seu colega nas aulas noturnas da Escola de Desenho e Arte Decorativa – incentivou-o a frequentar o ateliê do mestre suíço Charles Gleye, para que pudesse depois se ingressar na Academia, o que aconteceu dois anos depois.

A composição denominada Banhista com o Cão Grifo também conhecido como Lise à Beira do Sena é obra do artista. Trata-se de um de seus primeiros nus, quando ainda se encontrava sob a  influência de Courbert, bem distante das famosas banhistas que viria a pintar e que lhe trariam tanta fama. Esta obra parte do acervo do MASP desde 1953.

A modelo retratada nesta tela é Lise – primeira namorada do artista – que aqui se parece com a Afrodite do grande Praxíteles, um dos mais famosos escultores da Grécia Antiga. Ela se encontra de pé, na parte central da composição, trazendo a cabeça voltada para a esquerda e levemente inclinada para baixo. A jovem mulher segura a parte interna de suas vestes, ornada com fitas vermelhas com a mão direita e com a esquerda tapa a sua região genital.

Chama à atenção na pintura o belo cãozinho de pelo escuro, elegantemente deitado sobre uma toalha, recostado no vestido listrado da jovem. Ao lado dele está o chapéu da moça. Outro ponto chamativo no quadro é o jovem deitado na relva, à direita, entre as árvores, com a mão no queixo, observando a cena, como se fosse um sátiro a observar a deusa Diana. Um pequeno espaço à esquerda deixa ver as águas azuis do rio Sena.

O artista preocupou-se com a simetria e a proporcionalidade das formas. À direita, embaixo, pode-se ver sua assinatura e a data da confecção da obra.

Ficha técnica
Ano: 1870
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 184 x 115 cm
Localização: Museu de Arte, São Paulo, Brasil

Fontes de pesquisa
Enciclopédia dos Museus/ Mirador

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *