SE AS PORTAS ESTÃO FECHADAS

Autoria do Dr. Telmo Diniz

copefe Sim, eu me faço de forte, mas já chorei no meu quarto, em silêncio, a porta fechada com travesseiro no rosto, chorei por dentro e sofri. Mas sabe o que tudo isso resultou? Em nada. É preciso aprender a crescer, viver, ser gente grande e enfrentar os próprios problemas. (Machado de Assis)

É tempo de crise, de desemprego, de muita incerteza no ar e de angústias, onde boa parte das pessoas só enxerga as portas se fecharem. E isso gera um ciclo vicioso de desânimo. É como levantar todos os dias para “matar um leão” e encontrar as portas cerradas. Vários de nós têm histórias de dificuldades durante a vida, tendo encontrado muitos “não” como resposta. O que fazer quando passamos por essas situações? Quais as melhores ações que devemos ter?

A palavra “porta” pode ter diversos significados. Em casa, “porta” significa proteção e privacidade. No trabalho, significa oportunidade e sucesso. Na vida, significa algo novo, uma barreira ou uma chance extra. Na vida espiritual, significa uma escolha, como céu e inferno, certo ou errado, Jesus ou o diabo. Na vida, passamos por muitas situações difíceis. Situações que aparentemente não oferecem alternativas. As portas se fecham, tudo parece dar errado. Buscamos uma saída que parece não existir. Não enxergamos aquela luz no final do túnel.

Você, caro leitor, vive algo parecido, onde tudo está fechado, as coisas parecem não andar pra frente, não encontra saída para suas respostas? Nessas horas até os amigos desaparecem. Dias ensolarados com céu de brigadeiro mais parecem com dias nublados e chuvosos, pois nada do que foi pensado sai como planejado. As portas estão se fechando pra você? Pois bem, você já pensou se essas mesmas portas em que insiste em bater podem não ser o caminho correto? Se ela não se abre, pode não ser a porta certa, muito menos o trajeto de vida a percorrer. Em várias ocasiões, investimos muito tempo, energia e esforço buscando chaves para abrir uma porta que não poderá nunca ser aberta. O caminho deve ser outro. A rota deve ser alterada.

É certo, no entanto, que nenhum de nós acerta nosso destino pessoal logo no primeiro momento. Cabe dizer também que não é errado perder-se de vez em quando. Abrir portas que logo fechamos é bom para adquirir experiência. Os erros fazem parte da vida. O erro é essencial para nosso autodesenvolvimento. Não desanime com culpa ou fique arrependido. Faça uma análise de como pode aprender com seus erros. Mas pare de bater na mesma porta. Aprenda com o erro e vá bater em outra. Procure o novo!

Você está pronto para mudar? Você está preparado para aceitar o novo sem reservas? Algumas pessoas conseguem ser flexíveis e mudar sem problemas, mas outras sentem dificuldades, e isso acarreta tensão e angústia. E o que é pior, em alguns casos, causa estagnação. A pessoa fica engessada. Portanto, seja corajoso, siga em frente para bater em novas portas, procurando novos horizontes. Está com medo? Não fique, tenha fé!

Machado de Assis, em Dom Casmurro, dissertou sobre o tema: “Sim, eu me faço de forte, mas já chorei no meu quarto, em silêncio, a porta fechada com travesseiro no rosto, chorei por dentro e sofri. Mas sabe o que tudo isso resultou? Em nada. É preciso aprender a crescer, viver, ser gente grande e enfrentar os próprios problemas”. Aliás, na vida tudo passa, até mesmo as coisas ruins.

Ilustração: obra do pintor russo Leonid Afremov

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *