Weyden – O SEPULTAMENTO
Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

osep

A composição Sepultamento, também conhecida como Lamentação diante do Túmulo, é uma obra do pintor nórdico Rogier van der Weyden (c. 1399-1464), também conhecido por Rogelet de la Pasture. É tido como um dos maiores nomes da pintura holandesa no século XV. Trabalhou com Robert Campin, em sua oficina e, ao mudar-se para Bruxelas, foi nomeado pintor da cidade. Em Londres trabalhou nas cidades de Ferrara e Florença. Recebeu influências de Robert Campin e Jan van Eyck. Além de aperfeiçoar a perspectiva em paisagens e espaços interiores, criou figuras delgadas e elegantes, tornando sua obra facilmente reconhecível. Ele se preocupava com os detalhes de sua pintura, mas sem se esquecer da composição em sua totalidade.

A pintura acima é tida como uma das obras-primas do pintor. Pode ser que seja um painel de um retábulo ou parte de um tríptico. Já foi atribuída a Albrecht Dürer e a Hans Memling, até que se chegou à conclusão de que fora pintada por van der Weyden. A cena mostra Cristo diante de seu túmulo escavado numa rocha. A cena acontece momentos antes de seu sepultamento, quando o corpo está sendo manejado delicadamente para ser depositado no sepulcro. As figuras são delgadas e leves.

Jesus Cristo está envolto num imenso lençol branco, usado para o sepultamento. Grande parte de seu corpo encontra-se à vista. As chagas em seus pés, mãos e flanco direito estão visíveis, e delas ainda escorre sangue. Sua cabeça está tombada para sua direita. O corpo delgado está amparado por José de Arimateia, vestindo meias vermelhas e sapatos pretos, e por Nicodemos, que olha diretamente para o observador. Também estão presentes a Virgem Mãe, Maria Madalena e o apóstolo João Evangelista. Todos se mostram angustiados com a morte de Jesus.

A Virgem Maria, trajando um véu branco e roupas escuras, mostra-se visivelmente acabrunhada. Ela segura o braço direito de seu Filho, enquanto João Evangelista, de pé sobre a tampa do sepulcro, sustenta o esquerdo, usando a ponta do lençol que envolve o corpo do Mestre. O apóstolo usa uma túnica e manto vermelhos. Ajoelhada, próxima à laje de pedra que lacrará o túmulo, e de frente para o discípulo, Maria Madalena, com os olhos voltados para o alto, abre os braços em sinal de lamento. Ela veste um vestido vermelho e uma túnica clara com o forro azul. Seus cabelos longos caem-lhe pelas costas. A posição de Cristo, inclusive dos pés, remonta à sua morte na Cruz.

Em primeiro plano, sobre o relvado verde e florido, estão: um vaso com unguento, principal atributo de Maria Madalena; uma vara debaixo da lápide, provavelmente para ajudar a erguê-la, e um objeto de metal, finamente trabalhado, provavelmente usado para carregar óleos medicinais. Atrás da rocha, onde foi cavada a sepultura, vê-se a colina do Gólgata, com as três cruzes usadas por Jesus e os dois ladrões. Atrás se ergue uma cidade, numa referência a Jerusalém. Um homem é visto próximo à cidade, montando um cavalo branco, enquanto duas mulheres caminham em direção ao grupo, numa referência às duas mulheres santas que encontrarão, três dias depois, o sepulcro vazio, após a ressurreição de Cristo.

O artista não se mostrava preocupado com a narração da história, como faziam os pintores renascentistas italianos. Sua atenção estava toda voltada para o momento vivido, ou, como aqui no caso, para o corpo supliciado de Jesus, a ser visto não como representantivo de sua Paixão, mas a ser adorado tal e qual se encontra.

A paisagem tranquila, que complementa a cena, está envolta numa luz suave.

Ficha técnica
Ano: 1449
Técnica: óleo sobre madeira
Dimensões: 110 x 96 cm
Localização: Galleria deglu Uffizi, Florença, Itália

Fontes de pesquisa
A Enciclopédia dos Museus/ Mirador
1000 obras-primas da pintura europeia/ Könemann
http://www.palazzomedici.it/mediateca/en/Scheda_Compianto_sul_Cristo_morto,_di_Rogier_van_der_Weyden

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *