CAPO DI NOLI (Aula nº 88 A)

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

                                                 (Clique na imagem para ampliá-la.)

Libertemo-nos! Nosso objetivo deve ser o de criar harmonias belas. (Paul Signac)

O pintor neoimpressionista francês Paul Signac (1863–1935) era filho único de um comerciante. Teve grande importância na criação da técnica de pintura denominada Pontilhismo. Junto ao seu amigo Georges Seurat, a quem ensinou tal técnica, fundou a Sociedade dos Artistas Independentes. Eles são tidos como os dois grandes nomes do chamado Movimento do Divisionismo, também conhecido como Pontilhismo ou Neoimpressionismo e ainda Pintura dos Pontos. Gostava de pintar principalmente paisagens. Exerceu influência sobre o Fauvismo e o Cubismo. O artista era um autodidata. Aprendeu sobre o Impressionismo apenas observando suas obras.

O Pontilhismo (do francês pointillisme) é uma técnica de desenho e pintura, na qual o artista usa pequenas manchas e pontos para formar as imagens. É um estudo científico da cor e da divisão sistemática do tom, antes praticado instintivamente pelos artistas impressionistas. Parte do princípio de que a linha não tem nenhuma razão para existir, como forma de delimitação da natureza retratada. Os artistas que utilizavam esta técnica davam maior importância ao uso “matemático” das cores, dispostas na obra em justaposição e não através de mesclagens. Ao contrário das técnicas clássicas de pintura, o artista, ao optar pelo Pontilhismo, não faz a mistura das cores primárias para criar novas tonalidades e tampouco o uso de linhas para formar os traços dos desenhos.

A composição intitulada Capo di Noli (nome de uma cidade italiana próxima de Gênova) é uma obra harmoniosa do artista, na qual ele obtém uma extrema policromia ao usar cores intensas e luminosas, fazendo uso de pinceladas horizontais e verticais. Enquanto os penhascos, à esquerda, e a vegetação, à direita, recebem pinceladas verticais, o caminho e o mar tranquilo são criados com pinceladas horizontais. Também existem pequenas manchas (céu próximo ao horizonte) e pinceladas diagonais que se cruzam (próximo ao primeiro plano). Este tipo de aplicação da cor pura foi responsável por influenciar os pintores do início do século XX – fauves na França e expressionistas na Alemanha.

A pintura representa uma região mediterrânea com rochedos brancos e vermelhos à esquerda, árvores verdejantes à direita, um horizonte violeta claro ao fundo, céu e mar azuis e sombras com pingos dourados pela luz do sol. Duas figuras humanas, um homem e uma mulher, estão presentes na cena. Nove barcos a vela estão ancorados no mar. Ramalhetes de folhas e flores estão embutidos nos rochedos brancos.

Nesta paisagem o que importa ao artista é a textura de cor, diferentemente dos impressionistas que buscavam a impressão de uma cena natural. O arranjo de toques de cores, como se elas formassem um mosaico, quando olhado à distância cria na retina do observador a visão de uma paisagem ensolarada e atemporal.

Ficha técnica
Ano: 1898
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 91,5 x 73 cm
Localização: Wallraf-Richartz-Museum, Fundação Corboud, Alemanha

Fontes de Pesquisa:
Impressionismo/ Editora Taschen
https://www.wallraf.museum/en/collections/19th-century/masterpieces/paul-signac-
https://es.wikipedia.org/wiki/Capo_di_Noli,_cerca_de_Génova

4 comentaram em “CAPO DI NOLI (Aula nº 88 A)

  1. Hernando Martins

    Lu

    Obra belíssima do neo neo-impressionismo, criada pelo artista francês Paul Signac. Ele utiliza a técnica do pontilhado, com luminosidade e cores fortes e variadas, pinceladas horizontais e verticais. O artista consegue imprimir a sua originalidade em seu trabalho artístico com muita sensibilidade e precisão.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Hernando

      A obra em questão é mesmo muito bonita. É uma nova vertente do Impressionismo. É interessante notar a criatividade do artista.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Adevaldo R. Souza

    Lu

    Maravilhosa essa obra do pioneiro Paul Signac. Fico imaginando a quantidade de reproduções existentes em todo o mundo dessa composição. Essa técnica do pontilhismo é interessante, pois a justaposição das cores primárias separadas por espaços brancos acaba misturando as imagens. Desta forma são produzidas outras cores (secundárias) no olhar do observador que tem a impressão do todo e uma sensação de vibração e luminosidade.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Adevaldo

      É realmente uma pintura maravilhosa. Gostei da sua explicação para a técnica do pontilhismo. Quanto mais de longe for apreciada, mais bela se torna a composição.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.