Lorrain – ULISSES LEVANDO CRISEIDA…

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

                                                       (Clique na imagem para ampliá-la.)

O pintor francês Claude Lorrain (1600–1682), cujo nome legítimo era Claude Gellée, tornou-se conhecido como “Le Lorrain”, relacionado com a região em que nascera. Ao mudar-se para Roma, o artista teve como mestre o pintor de arquitetura Agostino Tassi, vindo posteriormente a estudar com Gottfried Sals, pintor de arquitetura e paisagens, quando se encontrava em Nápoles.  Acabou se tornando um dos famosos paisagistas de Roma, tendo se inspirado inicialmente nas paisagens idealizadas de Annibale Carraci e na dos pintores holandeses que residiam naquela cidade. Embora seu estilo fosse lírico e romântico, acabou aproximando-se de Nicolas Poussin mais tarde. A vista do mar era um tema constante nas obras de Lorrain, assim como lembranças da Antiguidade Clássica que sempre davam um toque de solenidade antiga às suas obras.

A composição Ulisses Levando Criseida de Volta a seu Pai trata-se de um tema mitológico, inspirado na “Ílíada” de Homero, mas que não passa de um pretexto usado pelo pintor, para criar uma bela e grande paisagem imaginária em que o mais importante é mostrar a lida de um movimentado porto. À esquerda vê-se um palácio clássico decorado com estátuas dos deuses Apolo e Diana, seguido de uma vila romana ao lado de um grande pinheiro. A seguir vê-se a torre medieval do porto. Parte de um gigantesco edifício clássico é visto à direita. Muitos personagens ali se movimentam.

Um grande navio a remo, ancorado no porto, é visto no meio da composição, lançando sua sombra nas águas em direção ao cais. Representa a embarcação de Ulisses. Em seus mastros tremulam duas bandeiras azuis e velas brancas. Dele parte uma faixa de luz que segue até o cais, dividindo a composição em duas partes.

A cena a que alude ao título passa praticamente despercebida. Nas escadas do palácio Ulisses faz a restituição de Criseida. Subindo por uma grande escadaria, ele leva a moça até seu pai, o sumo sacerdote. Vários barcos aguardam ancorados próximos aos degraus, a fim de retornarem ao galeão. Não é possível precisar o momento do dia retratado pela composição. O sol encontra-se escondido por ele, jogando seus raios à direita e à esquerda da vistosa embarcação.

O porto está repleto de grandes e pequenas embarcações. Inúmeros personagens, alguns vestidos com roupas orientais, ali se encontram. Pessoas conversam entre si, tratando de negócios, enquanto outras lidam com o transporte da bagagem.  Três vacas estão sendo levadas de um barco para o cais. O fundo da composição está mais iluminado, o que o separa do primeiro plano. Nota-se que a paisagem em si, para o pintor, é bem mais importante do que os personagens nela vistos, ocupando, portanto, a função de protagonista.

Ficha técnica
Ano: c. 1644
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 119 x 150 cm
Localização: Museu do Louvre, Paris, França

Fontes de pesquisa
Enciclopédia dos Museus/ Mirador
1000 obras-primas da pintura europeia/ Könemann

2 pensou em “Lorrain – ULISSES LEVANDO CRISEIDA…

  1. Antônio Messias

    Lu

    De fato, as gradações da luminosidade dominam a obra, sendo que a temática não realística perde força, como evidencia as grande colunas palacianas e mesmo árvores frondosas a beira do porto.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Antônio

      O grande mestre Lorrain tinha especial predileção pelas gradações de luminosidade, assim como os impressionistas.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *