NOVO ESTILO – A ARTE DO SURREALISMO I (Aula nº 104)

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

O Surrealismo — surgido em Paris no começo da década de 1920 — foi inicialmente um movimento literário e político, o que não o impediu de exercer grande influência sobre a fotografia, o cinema e a arte de modo geral. No seu bojo carregava o propósito de fazer o artista repassar automaticamente para sua obra uma visão introspectiva, sem permitir qualquer controle da mente sobre ela. Sob a influência da obra psicanalítica de Sigmund Freud, objetivava revelar o inconsciente através de imagens oníricas que se opunham à percepção da realidade. Os surrealistas estavam conscientes de que a arte era um jeito de colocar-se contra as presunções burguesas no que diz respeito à natureza da realidade e, portanto, fazia-se necessário encontrar novas formas de viver e em contrapartida novas formas de arte.

O escritor francês, poeta e teórico do Surrealismo, André Breton, assim definiu o movimento: “Puro automatismo psíquico pelo qual alguém se propõe a expressar — seja verbalmente, seja por escrito, seja de qualquer outra maneira — o verdadeiro funcionamento do pensamento. Tudo deve ser ditado pelo pensamento, na ausência de todo o controle exercido pela razão, isento de toda preocupação estética ou moral. O Surrealismo se baseia na crença da superioridade de certas formas de associações anteriormente desenhadas, da onipotência dos sonhos, do fogo desinteressado do pensamento”.

A palavra francesa “sur-réalisme” (surrealismo, super-realidade) foi criada em 1917 pelo poeta e crítico de arte Guillaume Apollinaire. O movimento surrealista dela se apoderou, porque ia de encontro aos seus objetivos, ou seja, dizia respeito a um mundo situado além do mundo “real”. Os poetas André Breton e Louis Aragon deram à palavra um significado teórico e prático e o termo passou a existir sob a perspectiva do movimento surrealista. Os termos “surrealismo” e “surreal” passaram, portanto, a descrever fatos de natureza extravagante ou estranhamente coincidentes.

O poeta e crítico de arte André Breton deu início ao movimento surrealista na Paris de 1924. Viu-se influenciado pela psicanálise dos sonhos freudianos, pelos escritos políticos de Karl Marx e pelas teorias sobre o inconsciente reprimido. Via nisso uma causa política e psicológica. Para Breton e seus companheiros surrealistas era possível libertar a imaginação através do uso da mente inconsciente. Para tanto fizeram uso da escrita automática — processo de livre associação — em seus poemas e textos de prosa, a fim de dar origem a imagens e ideias imprevistas, ou seja, não aguardadas.

As artes visuais também serviram de amparo para as ideias de Breton.  Sua admiração pelas pinturas cubistas de Pablo Picasso vinha do modo como o artista espanhol fracionava o corpo para dar origem a figuras excepcionais. Também lhe serviram de inspiração as paisagens excêntricas de Giorgio de Chirico e o uso de objetos encontrados pelos dadaístas (objets trouvés/ perdidos e achados).

O movimento surrealista teve Paris como seu centro até 1945. Os artistas Marx Ernst, André Masson e Joan Miró uniram-se a René Magritte — mais importante figura do movimento — em 1929. Salvador Dalí também chegou à capital francesa nesse mesmo ano. Enquanto Magritte produzia efeitos alucinatórios com suas obras, Dalí usava imagens oníricas para dar vida a pinturas perturbadoras. Com o surgimento da Segunda Guerra Mundial em 1939 grande parte dos artistas surrealistas migraram para Nova Iorque. André Breton chegou aos Estados Unidos em 1941 e em 1942, juntamente com Marcel Duchamp, organizou uma exposição, onde reuniu cerca de 50 artistas da Europa e dos Estados Unidos.

Nota: a ilustração O Vestido de Noiva (1940) é uma obra de Ernst Max. A noiva, vestindo uma capa vermelha, mostra-se preocupada. O homem pássaro simboliza a fertilidade.

Fontes de pesquisa
Tudo sobre arte/ Editora Sextante
Manual compacto de arte/ Editora Rideel
A história da arte/ E. H. Gombric
História da arte/ Folio
Arte/ Publifolha

8 comentaram em “NOVO ESTILO – A ARTE DO SURREALISMO I (Aula nº 104)

  1. Marinalva Autor do post

    Lu
    Como acontece com todos os movimentos, o Surrealismo propôs mudanças interessantes. Novas ideias, nova maneira de ver e interpretar a arte, como a criação espontânea das cenas irreais, liberdade de pensamento, sem diferenças entre sonho e realidade. O artista não fazia uso da lógica. Os padrões antigos não eram usados, apenas o livre pensamento do artista.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Marinalva

      Para os artistas surrealistas não deveria haver diferença entre o sonho e a realidade no que diz respeito à arte. A mente estava liberta para criar a seu bel prazer, sem o cabresto da razão. Os sonhos também passaram a fazer parte da temática artística. Foi um período muito rico para a arte.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Adevaldo R. de Souza

    Lu

    É bastante interessante a arte do Surrealismo com a promoção de grandes artistas. Verificamos que grande parte dos estilos de arte, como o Cubismo, Futurismo, Expressionismo, Arte Abstrata, Dadaísmo e Surrealismo, entre outros, surgiram motivados pelos efeitos do “antes” e “durante” da Primeira e Segunda Guerras Mundiais. Nesse período houve mudanças significativas com o surgimento de novas tecnologias na área industrial (automóvel, aeroplano e comunicações, entre outras), a devastação do cenário político, social e econômico, além da ascensão do Nazismo e do Fascismo na Europa.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Adevaldo

      Realmente o Surrealismo foi um estilo muito interessante, tendo gerado um grande número de artistas famosos. Os estilos que sofreram os efeitos da Primeira e Segunda Guerras Mundiais foram bastante intensos, cheios de grande emotividade. E não foram poucas as mudanças surgidas nos mais diferentes campos sociais e tecnológicos.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  3. Hernando Martins

    Lu

    O Surrealismo foi um dos últimos movimentos de vanguarda surgidos no sec. XX, sofrendo grande influência do Dadaísmo.
    Foi um movimento contrário ao racionalismo e ao materialismo em ascensão nesse período da história. Todo esse clima contraditório numa época de grandes conflitos mundiais corroborou para o surgimento do Surrealismo, como forma de renegar esse mundo material e implacável, criando perspectivas variadas e subjetivas para denunciar essas contradições humanas.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Hernando

      Como eu disse no texto, os surrealistas estavam conscientes de que a arte era um jeito de colocar-se contra as presunções burguesas no que diz respeito à natureza da realidade, sendo necessário encontrar novas formas de arte. E como você mesmo escreveu, foi um movimento que se opôs ao racionalismo e ao materialismo.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  4. Mário Mendonça

    Lu Dias

    A arte surrealista nasceu para gritar contra o podre status quo, principalmente religioso, que coopta mentes em prol de uma minoria dominante!

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Mário

      Chegamos à sua praia, pois o quanto gosta da pintura surrealista, sobretudo das obras de Salvador Dalí.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.