O AGUADEIRO DE SEVILHA (Aula nº 69 C)

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

                                               (Clique na imagem para ampliá-la.)

O pintor Diego Velázquez era ainda jovem quando Peter Paul Rubens encontrou-o na Espanha, trabalhando na corte de Filipe IV em Madri. Mesmo não tendo ido à Itália, o artista já se sentia cativado com as descobertas e o estilo de Caravaggio — conhecido através de seus imitadores. Assimilou o “naturalismo” do artista italiano e em sua arte entregou-se à observação imparcial da natureza, sem levar em conta as convenções da época. Seguindo a orientação do amigo Rubens que lhe dizia que era preciso analisar as pinturas venezianas in loco para se tornar um bom pintor, Velázquez conseguiu que o rei Filipe IV liberasse-o para uma viagem à Itália. Após se ausentar por um período de um ano e meio, retornou a Madri a pedido do rei. Na corte de Filipe IV ele exercia atividades artísticas e administrativas. Tinha como função principal pintar retratos da família real, o que fez com grande distinção, transformando tais trabalhos em obras magníficas. O artista era tão fiel em retratar não apenas o passar dos anos no semblante da pessoa, como o que lhe ia pela alma, a ponto de o rei Felipe IV, que atravessava um período de crise econômica e social, relutar durante muito tempo em ser pintado por ele.  Nossa aula de hoje diz respeito a uma de suas primorosas obras, famosa em todo o mundo. Primeiramente é necessário acessar o link Velázquez – O AGUADEIRO DE SEVILHA e ler o texto com muita atenção, sempre voltando a esse quando se fizer necessário.

  1. A composição intitulada O Aguadeiro de Sevilha é uma das obras mais importantes do pintor espanhol Diogo Velázquez e trata-se de uma:

    1. paisagem
    2. pintura sacra
    3. pintura de gênero
    4. pintura histórica

  2. O personagem principal da obra é:

    1. um garoto
    2. uma mulher
    3. uma anciã
    4. um ancião

  3. Todas as afirmativas dizem respeito ao personagem principal, exceto:

    1. Seu rosto mostra-se animado.
    2. Apresenta-se mal vestido.
    3. Carrega uma bilha de barro.
    4. Oferece uma taça com água.

  4. O pintor dignifica o aguadeiro ao:

    1. Vesti-lo com uma capa esburacada.
    2. Representar seu rosto altivamente.
    3. Jogar luz sobre suas roupas e perfil.
    4. Repassar-lhe grande respeitabilidade.

  5. A mão esquerda bem feita do aguadeiro repousa delicadamente sobre:

    1. o copo de vidro
    2. o ombro do garoto
    3. o vaso de louça
    4. a bilha de barro

  6. Entre o aguadeiro e o garoto encontra-se um homem na penumbra, com ………….. à boca.

    1. uma xícara de barro
    2. uma tigela de madeira
    3. um copo de vidro
    4. uma colher de pau

  7. Todos os personagens encontram-se bastante ……………… nesta cena simples.

    1. tristes
    2. sérios
    3. alegres
    4. d.desligados

  8. Sobre o banco de madeira tosca vê-se a superfície vidrada:

    1. do jarro de louça
    2. da bilha de barro
    3. do copo de vidro
    4. do copo de pau

  9. Sobre o copo transparente que tanto o garoto quanto o aguadeiro seguram repousa:

    1. o jogo de luz
    2. um raio do sol
    3. um pingo de água
    4. uma gota de suor

  10. O artista pintou maravilhosamente gotas de água que deslizam, deixando os rastros da água derramada no:

    1. vaso brilhante de louça
    2. vaso grande e bojudo
    3. copo transparente de vidro
    4. banco tosco de madeira

  11. Sobre a luz distribuída na composição pode-se afirmar que:

    1. O lado esquerdo da composição recebe luz.
    2. O lado direito da tela fica em meia sombra.
    3. O quadro não está iluminado por igual.
    4. A luz ilumina fortemente o aguadeiro.

  12. A iluminação na composição parte do cântaro, passa pelo recipiente menor que se encontra sobre a mesa, atinge o pescoço e a face do garoto, passa pelo rosto do aguadeiro, atinge a manga branca de suas vestes e acaba na asa do mesmo cântaro e mão esquerda do ancião, descrevendo uma linha:

    1. retangular
    2. quadrangular
    3. espiralada
    4. ovalada

  13. Os tons ………………………….. são predominantes na composição em que tudo é harmoniosamente suave.

    1. castanho, branco e esverdeado
    2. castanho, cinza e esverdeado
    3. castanho, cinza e azulado
    4. castanho, violeta e esverdeado

  14. Esta pintura lembra, de certa forma, as obras do genial mestre …………… embora se mostre cheia de uma grande calma.

    1. Caravaggio
    2. Peter Paul Rubens
    3. Anthony van Dyck
    4. Claude Lorrain

  15. O aguadeiro era um vendedor de água originário de …………….., tendo se tornado muito conhecido nas ruas de Sevilha.

    1. Madri
    2. Barcelona
    3. Bolonha
    4. Córsega

  16. O figo que se encontra dentro do copo do garoto tinha por objetivo tornar a água mais …………….., conforme pensavam à época.

    1. adocicada
    2. higiênica
    3. fresca
    4. quente

  17. A composição em estudo tornou-se famosa sobretudo pelos elementos citados, excetuando:

    1. o homem presente na penumbra
    2. a transparência do copo de vidro
    3. o brilho do cântaro de louça e do de barro
    4. as gotas de água escorrendo no jarro maior

  18. O pintor Diego Velázquez na composição desta obra usou como técnica:

    1. óleo sobre madeira
    2. óleo sobre tela colado em madeira
    3. óleo sobre papel colado em madeira
    4. óleo sobre tela

Gabarito
1.c / 2.d / 3.a / 4.b / 5.d / 6.c / 7.b / 8.a / 9.a / 10.b / 11.c / 12.d / 13.b / 14.a / 15.d / 16.c / 17.a / 18. b

4 comentários em “O AGUADEIRO DE SEVILHA (Aula nº 69 C)

  1. Marinalva Autor do post

    Lu
    Essa obra “O Aguadeiro de Sevilha” nos mostra o talento extraordinário de Velásquez. Ele foi um modelo para pintores realistas e impressionistas. Domínio perfeito de técnicas de iluminação. Essa obra se baseia no realismo, com representação das tonalidades ocres e marrons, tem as características da técnica de claro – escuro. Importantíssimo a belíssima transparência do copo, o lindíssimo claro-escuro , a textura da bilha, e a delicadeza da gota de água que lhe escorre, nos dando uma impressão de realidade que impressiona. Maravilhoso!

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Marinalva

      Esta obra é realmente maravilhosa. O artista preocupou-se com os mínimos detalhes. Eu não me canso de observá-la.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Antônio Messias

    Lu

    As cores utilizadas por Velázquez nos reporta à arte de Caravaggio, muito embora a maestria deste em usar o claro-esquro criando um atmosfera transcendente é inimitável.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Antônio

      A sensibilidade demonstrada por Velázquez ao criar esta obra é estonteante. Ele foi capaz de captar os mínimos detalhes. Ela é também uma homenagem à maestria do brilhante Caravaggio.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *