A BOM ENTENDEDOR MEIA PALAVRA BASTA

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

 Autoria de LuDiasBH jard.

Relatou-me o senhor Elpídio da Silva Gangá, jardineiro dos bons que, quando era ainda um rapazola, acompanhou seu patrão, eleito deputado federal, em sua mudança para Brasília, a fim de cuidar dos jardins de sua mansão, à beira do lago Paranoá. E, como o homem era o presidente de seu partido, sua casa vivia permanentemente cheia. Bastava escurecer para que os carros pretos fossem chegando, um atrás do outro. E, se os viventes que deles saíam eram empertigados como paus de sebo, seus motoristas não ficavam para trás, carregando todo o esnobismo dos patrões.

De uma feita, contou-me o jardineiro, o clima no local parecia pesado, pois os automóveis começaram a chegar ainda com o sol no meio do céu, num entra e sai danado. A reunião parecia não ter fim. Mas ele fingia nada perceber, entretido em cuidar de suas plantas. Eis que foi rodeado por um grupo de motoristas, já cansados de esperar por seus patrões, caçando uma maneira de matar o tempo. E cada um deles começou a vomitar mais grandeza do que o outro, falando sobre o que iriam adquirir com o décimo terceiro salário, zombando do jardineiro. Um dizia que ia comprar o Palácio da Alvorada, outro que estava em negociação com o Estádio Mané Garrincha, outro que ia comprar o lago Paranoá para botar ali seu iate, e assim por diante.

O senhor Elpídio da Silva Gangá escutava tudo calado, sem ao menos levantar a cabeça, certo de que troçavam dele, pois, para bom entendedor meia palavra basta. Depois de muitas risadas, o mais conversado deles lhe dirigiu a palavra:

– E você, amigo, o que vai comprar com o seu décimo terceiro?

No que a resposta veio de pronto:

– Eu estou pensando em dar para os pobres, porque não está me faltando nada. Agora, quanto a vocês, tratem de arranjar outros empreendimentos para comprar, porque eu não vendo nenhum desses que estão querendo adquirir.

Sem graça, o grupo saiu à francesa.

Nota: ilustração copiada de pt.dreamstime.com

4 comentários sobre “A BOM ENTENDEDOR MEIA PALAVRA BASTA

  1. Pedro Rui

    Quem pensava que tudo tinha, nada tem e quem nada tinha tudo tem, até lhe sobra para dar aos pobres.
    Só não tinha nenhum negócio para vender aos motoristas, e quem ri por último, ri melhor.
    Abraços
    Rui Sofia

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Rui

      Os motoristas acabaram tendo que enfiar a boca no saco… risos.
      Mas é isso que acontece com as pessoas prepotentes, orgulhosas e metidas a donas do mundo.
      Quando menos esperam, caem na esparrela.
      Assim é a vida!

      Abraços,

      Lu

      Responder
      1. Pedro Rui

        É ser mesmo prepotente, enquanto o homem pensar assim disto não vamos sair.
        Ainda bem que as pessoas pensam de formas diferentes.
        Abraços sinceros e sou feliz por te conhecer.
        Rui Sofia

        Responder
        1. LuDiasBH Autor do post

          Pedro Rui

          Também me sinto feliz ao tê-lo como leitor deste cantinho.
          Você é uma pessoa sensível e sábia.
          Obrigada por escolher este espaço.
          Também sou feliz por conhecê-lo.

          Abraços,

          Lu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *