A IMPORTÂNCIA DE TOCAR E SER TOCADO

Autoria do Dr. Telmo Diniz

toque

Até pouco tempo, gestos como um afago, um cafuné ou mesmo um simples abraço eram ignorados pela ciência. Hoje em dia, a ferramenta do toque, além de significar uma expressão emocional, traz benefícios comprovados para a saúde física e mental das pessoas. O toque tem poderes mágicos. Tocar alguém com carinho e respeito já é o suficiente para abrir possibilidades de cura.

Na década de 1960, o psicólogo canadense Sidney Jourard estudou o hábito do toque ao observar conversas entre amigos de várias partes do mundo. Os ingleses, por exemplo, não se tocam nunca; os norte-americanos, duas vezes por semana; já os franceses tocaram um ao outro 110 vezes por hora, e os porto-riquenhos, 180 vezes por hora. Os anglo-saxões são conhecidos pelo “don’t touch me” (“não me toque”, em tradução livre), demonstrando o caráter reservado e carrancudo dessa população.

Os anglo-saxões pertencem a uma cultura rica e desenvolvida. Entretanto, o hábito de não se tocarem retira dos mesmos benefícios vários à saúde. Outro estudo, feito pela médica norte-americana Tiffany Field (Instituto de Pesquisas do Toque da Universidade de Miami), observou que bebês prematuros que receberam três sessões diárias de 15 minutos de massagem terapêutica (o processo pelo quais vários tipos de toques e carícias são aplicados no corpo para melhorar a saúde e aumentar o bem-estar), por um período médio de uma semana, ganharam 47% de peso corporal a mais do que aqueles cujo tratamento seguiu o roteiro tradicional. O toque tem um potencial na saúde que vai muito além do simples relaxamento.

Já se sabe que um toque carinhoso básico reduz níveis de pressão arterial e frequência cardíaca. Tocar e abraçar pacientes com a doença de Alzheimer acalma e reduz os períodos de agitação e confusão mental. De acordo com este mesmo estudo, a massagem terapêutica reduz o cortisol, hormônio ligado ao estresse, e aumenta a produção de dois neurotransmissores, a dopamina (que estimula a atividade do sistema nervoso central) e a serotonina (associada ao estado de bem-estar). De igual forma, o toque entre os casais fortalece os laços afetivos.

No Instituto de Pesquisas do Toque são realizados estudos de massagem terapêutica em pacientes com os mais variados problemas de saúde. Nos estudos constatou-se que a massagem terapêutica alivia problemas autoimunes, reduz dores em diversas doenças crônicas, reduz níveis de glicose no diabetes, melhora a pressão arterial em hipertensos graves, melhora a função imunológica em pacientes com HIV positivo e com câncer, etc. As aplicações do toque são inúmeras. Não precisamos ir a um hospital ou a uma clínica para ter que aplicar esses benefícios. O abraço carinhoso ou mesmo uma massagem em um conhecido que sofre de alguma doença pode ser melhor do que qualquer analgésico. Experimente!

Nota: As Três Graças, pormenor de A Primavera, de Botticelli.

8 comentários sobre “A IMPORTÂNCIA DE TOCAR E SER TOCADO

  1. Matê

    Dr. Telmo levanta uma preocupação universal. As pessoas se falam, trocam mensagens, fotos, comentários, sem nenhuma proximidade física. Sabem teclar, apertar botões,dominar o aparelhinho tecnológico de última geração. Mas, cadê o carinho de um toque? Não há mais a troca afetiva que faz tanto bem para a saúde física e mental.
    Abraços
    Matê

    Responder
  2. Celina Telma Hohmann

    Perfeito o texto! Desnecessário acrescentar algo, pois todos os seres vivos amam o toque, inclusive as flores “sorriem” quando tocadas! Há algo melhor que um abraço? Um carinho com as mãos em nossos machucados sejam em que parte forem, expostos ou não? O toque, mais que um delicioso gesto é mesmo o melhor dos analgésicos, trazendo ainda, como mais um benefício, o calor da ternura. Essa, a geradora das melhores sensações!

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Miss Celi

      Você sempre com a sua maneira peculiar de descrever as sensações da vida. Imagino como as flores devem “sorrir” quando tocadas pelas abelhas! Não, não há nada melhor que um abraço, principalmente em certos momentos da vida. Como nos conforta! O toque traz-nos a certeza de que não nos encontramos sós. O brasileiro encontra-se, tenho a certeza, entre os povos que gostam de tocar e serem tocados.

      Beijos,

      Lu

      Responder
  3. Arlene de Lucena

    Eu amo um toque afetuoso que nos passa carinho, amizade, afeto. Amo abraçar e ser abraçada, beijar e ser beijada. Todo toque feito com respeito ao próximo é como uma gota do elixir para a cura de todos os males, creio que vivo triste por falta desses gestos que amo tanto! Todo toque afetuoso c é como um elixir pra cura de muitas doenças. Sinto falta disto.

    Responder
    1. Arlene de Lucena Ferraz

      Oi, Lu!
      Volto a acompanhar Vírus da Arte, havia me esquecido como é fascinante o mundo da arte!

      Responder
      1. LuDiasBH Autor do post

        Arlete

        Além de fascinante, ele ainda nos leva a dimensões jamais sentidas, principalmente quando nos sentimos tão sós. A sua presença será sempre um motivo de grande alegria para mim.

        Um beijo no coração,

        Lu

        Responder
    2. LuDiasBH Autor do post

      Arlene

      Você nem imagina o quanto estou feliz com a sua presença aqui no blog.

      Amiguinha, até os bichos gostam do toque de carinho. É lindo vê-los em grupo, uns roçando nos outros. E as crianças amam se tocarem. O doutor Telmo deixa claro o bem que o ato de tocar e ser tocado faz a cada um de nós, curando até mesmo doenças. Algumas pessoas endurecem o coração e perdem o jeito de tocar no outro para transmitir-lhe amor, coragem, confiança, carinho… O que é uma pena!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *