AS 10 MELHORES COMÉDIAS ROMÂNTICAS

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

romance a

Os filmes são divididos em gêneros e subgêneros, normalmente obedecendo a uma categorização comercial. Há filmes que se encaixam num determinado gênero, outros que podem ser incluídos em dois ou mais gêneros, mas existem outros que são difíceis de enquadrar em qualquer categoria. O gênero comédia divide-se nos subgêneros: comédia romântica, comédia de ação e comédia dramática.

Na comédia romântica, o romance é desenvolvido em meio a situações engraçadas, em que duas pessoas se conhecem, mas, apesar da atração visível que uma nutre pela outra, acabam por não se envolver amorosamente, por alguma razão. Mas, normalmente, depois de enfrentar as muitas dificuldades e os tenazes obstáculos no decorrer do complicado relacionamento, as coisas vão se encaixando e o par central acaba romanticamente unido.

Norah Ephron, roteirista e diretora de cinema, divide a comédia romântica em duas linhas: a judaica e a cristã. Segundo ela, na comédia cristã, são os obstáculos externos (doença, questão étnica, desavença familiar, etc.) que separam os amantes. Já na comédia judaica, tão bem representada por Woody Allen, o desacerto encontra-se no casal de amantes, normalmente acometidos por neuroses, inseguranças ou medos, que os impedem de concretizar a tão esperada união.

O American Film Institute (AFI) classificou as 10 melhores comédias românticas de todos os tempos.

1ª – Luzes da Cidade/ 1931 (Charles Chaplin)

Sinopse:
Uma jovem dançarina pergunta ao senhor de cabelos grisalhos que salvou sua vida, se ele é Calvero, o grande comediante. “Eu fui,” – responde o cavalheiro. Como um luminoso de néon que aos poucos se apaga. “Luzes da Ribalta” é uma orgulhosa homenagem a uma antiga era de entretenimento, um conto sobre as sucessões de gerações de artistas, a simbólica cerimônia de “passagem do bastão”. Chaplin vive Calvero, o salvador de uma distraída bailarina (Claire Bloom), seu futuro guia ao estrelato. Entre os destaques do filme está uma coreografia musical que cresce ilimitadamente nas mãos de Chaplin e de Buster Keaton. A extraordinária trilha sonora deste filme, assinada pelo próprio Chaplin, por Raymond Rasch e Larry Russell, garantiu ao lendário cineasta seu único Oscar ganho em categorias competitivas.

2ª – Noivo Neurótico, Noiva Nervosa/ 1977 (Woody Allen)

Sinopse:
O filme conta a estória de “Alvy Singer”, humorista judeu divorciado, que faz análise há quinze anos. Ele acaba se apaixonando por “Annie Hall”, uma cantora em início de carreira, e com uma cabeça um pouco complicada. Em pouco tempo estão morando juntos e não demora a se iniciar um período de crises conjugais.

3ª – Aconteceu Naquela Noite/ 1934 (Frank Capra)

Sinopse:
A mimada Ellie Andrews (Colbert) foge de seu pai milionário (Walter Connolly), que quer impeli-la de se casar com um inútil playboy. No caminho para Nova York, Ellie conhece um jornalista desempregado, Peter Warne (Gable). Quando o ônibus em que viajam quebra, os dois briguentos saem para uma amalucada expedição em busca de carona. Peter aposta na possibilidade de transformar sua história numa matéria. Mas os problemas surgem quando a herdeira fugitiva e o impetuoso repórter se apaixonam. Dirigido por Frank Capra, foi o primeiro filme a receber todos os cinco Oscar mais importantes.

4ª – A Princesa e o Plebeu/ 1953 (William Wyler)

Sinopse:
Cansada de sua vida como nobre, a princesa Ann troca seus deveres reais por uma aventura em Roma. Lá, conhece o correspondente americano Joe Bradley que a acompanha em sua estada na cidade fingindo não reconhecê-la. Para Bradley, Ann é nada mais do que uma boa matéria. Mas ele não planejava se apaixonar por ela e viver o romance de sua vida. O filme foi indicado a dez Oscar e Audrey Hepburn levou um deles.

5ª – Núpcias de Escândalo/ 1941 (George Cukor)

Sinopse:
Clássica comédia romântica que serviu de fonte de inspiração para o musical ”Alta Sociedade”. Aqui, a história traz Katharine Hepburn como uma jovem rica recém-separada do marido (Cary Grant) e ávida por uma nova relação amorosa. A oportunidade aparece quando ela conhece um repórter (James Stewart) que está caidinho por ela. A história original, escrita por Philip Barry, foi antes encenada com grande sucesso na Broadway (estrelada justamente por Hepburn). Indicado para seis categorias do Oscar, levou as estatuetas de melhor roteiro e ator (James Stewart).

6ª – Harry & Sally – Feitos Um para o Outro/ 1989 (Rob Rainer)

Sinopse:
Após se formarem pela Universidade de Chigago, Harry Burns (Billy Crystal) e Sally Albright (Meg Ryan) viajam juntos para Nova York. Mas logo de cara nasce uma antipatia entre os dois. Com o passar dos anos, cada um leva a sua vida, se vêem esporadicamente, mas aos poucos e de forma um pouco assustadora, eles descobrem que estão se apaixonando.

7ª – A Costela de Adão/ 1949 (George Cukor)

Sinopse:
Casal de advogados se vê em lados opostos em um caso no qual a ré disparou contra o marido, ao encontrá-lo com a amante. No início, marido e mulher mantêm as discussões durante o julgamento, mas, em virtude da cobertura dada pela imprensa, o casal não expõe suas posições apenas no tribunal e isto gera algumas confusões.

8ª – Feitiço da Lua/ 1987 (Norman Jewison)

Sinopse:
Uma jovem viúva (Cher) concorda em se casar com um homem mais velho (Danny Aiello), mas quando ela conhece seu futuro cunhado (Nicolas Cage), um temperamental padeiro, termina se apaixonando por ele.

9ª – Ensina-me a Viver/ 1971 (Hal Ashby)

Sinopse:
Mostra o relacionamento entre um rapaz de 20 anos com obsessão pela morte, que passa seu tempo indo a funerais ou simulando suicídios, e uma senhora de 79 anos encantada com a vida. Eles passam muito tempo juntos e, durante esta convivência, ela expõe a beleza da vida. Ele decide se casar com ela, mas, no entanto, uma surpresa o aguarda, e irá que mudar sua vida para sempre.

10ª – Algo para Recordar/ 1993 (Nora Ephron)

Sinopse:
Após a morte de sua esposa, arquiteto Sam Baldwin (Tom Hanks) não acredita que encontrará um amor novo com outra mulher. Jonah, o filho de oito anos, acredita que o pai precisa de uma mulher para reorganizar a sua vida. Ele opta por chamar um programa de rádio nacional, no Dia de Natal, para contar sua história. Milhares de mulheres ouvem-no, e, uma delas é Annie Reed (Meg Ryan), que está prestes a se casar com Walter (Bill Pullman). Annie se torna obcecada com a idéia de que Sam deve saber que é o homem de sua vida, antes de se casar com Walter.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *