Duccio – CHEGADA A JERUSALÉM

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

cheje

Chegada a Jerusalém é um pormenor do retábulo Maestà, obra do pintor italiano e pré-renascentista Duccio, encomendada para ornamentar o altar-mor da Catedral de Siena, cujo contrato deu-se em 1308, levando o artista três anos para terminá-lo. Tratava-se de uma obra imensa, pintada dos dois lados. Esta cena, ora mostrada, era responsável por dar início ao ciclo da Paixão de Jesus Cristo.

O campo central do retábulo possui 26 partes, sendo A Chegada a Jerusalém a primeira delas, no reverso da Maestá, cujas cenas mostram a Paixão e a Ressurreição de Cristo. Inúmeras figuras estão presentes nesta cena, sendo muito bem organizadas em três grupos. A cena acontece no Domingo de Ramos.

Jesus Cristo, com seu manto azul sobre uma túnica vermelha, com a barba longa e os cabelos presos atrás, rentes ao pescoço, e com um grande halo dourado a indicar sua divindade, está montado numa jumenta, que é acompanhada de sua pequena cria. Com a mão direita em postura de bênção, adentra na cidade pela esquerda, seguido por seus discípulos, também portando auréolas, e outras pessoas, formando um grupo bem coeso. Seus pés estão descalços, comprovando a sua humildade.

Os habitantes da cidade, formando um segundo grupo, partem da direita para a esquerda, caminhando de encontro a Jesus, levados por um homem jovem, que estende sua capa vermelha no chão, para que o animal passe sobre ela, enquanto outros seguram galhos de oliveira em saudação. Um terceiro grupo, encostado ao muro, de frente para o observador, acompanha a cena. Duas pessoas são vistas penduradas em árvores. Uma delas tira ramos que entrega aos que se encontram embaixo.

Ficha técnica
Ano – c. 1308/11
Técnica: têmpera sobre madeira
Dimensões: 100,6 x 56 cm
Localização: Museo dell’Opera Metropolitana, Siena, Itália

Fontes de pesquisa
Duccio/ Abril Cultural
1000 obras-primas da cultura europeia/ Könemann
http://virusdaarte.net/indice-museus-do-vaticano-pinacoteca-vaticana-vaticano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *