INVERTENDO A POLARIDADE

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Danilo Vilela Prado

Nada é permanente nesse mundo cruel. Nem mesmo os nossos problemas. (Charles Chaplin)

Acontecimentos ruins, principalmente quando difíceis de superar, costumam prender as pessoas no polo negativo. O pessimismo apodera-se das mentes saudáveis, mas que possuem sentimento de impotência diante da vida. Como um visgo, uma cola potente, o polo negativo, existente em todos nós, tem muita facilidade para direcionar nossos atos. A maioria das pessoas vive sem saber que estão dependentes desse polo. Toda vez que reclamamos de uma coisa simples, como o trânsito caótico, e ficamos nervosos por isso, automaticamente acionamos nosso polo negativo, tornando uma espécie de vício. Observar diariamente nossas tendências negativas e pessimismos é um exercício de autoconhecimento.

As pessoas devem andar com um papel no bolso e anotar toda a vez que tiverem um pensamento negativo. No fim do dia irão se surpreender com as várias ocasiões de comportamento pessimista e até mesmo autodestrutivo. Nossa cultura privilegia esse tipo de coisa. Raramente deixamos de dar importância a fatos ruins. Mas, felizmente, mesmo na “lama” existem realizações positivas. Por que, então, focalizar nossa visão apenas para o que é negativo? O exercício de anotar nosso comportamento pessimista serve para reverter o polo para o otimismo, para a positividade, que também vicia. A diferença é que é vício saudável e impulsiona as pessoas para a felicidade e a realização.

Pessoas que conseguem se desprender do polo negativo, ou que observam o próprio comportamento, não se arrependem, pois obtêm muitas vitórias. As soluções são muito pessoais e dão um enorme prazer, porque é uma espécie de construção mental, em que o cérebro se esforça para libertar-se de algo ruim. Toda libertação é conquista inigualável, pois nascemos para ser livres. Se a pessoa prende-se às correntes negativas, pode ser por desleixo, ou, em alguns casos, porque gosta que outros “sintam pena dela”. Procurar a libertação do que nos é nocivo é tarefa a ser executada a cada segundo. Uma vez conectados com o propósito de mudar, estaremos nos aperfeiçoando. A mente ficará mais leve, livre e criativa, proporcionando-nos maior prazer, pois o cérebro irá produzir mais hormônios benéficos. O corpo, em harmonia, ficará mais forte. E o espírito, por sua vez, irá evoluir com a conquista.

Os otimistas conseguem enxergar escolhas melhores e mais acertadas. A explicação para esse fenômeno é que o cérebro costuma interpretar que os acertos se repetirão, pois o otimismo funciona como uma mola propulsora, a impulsionar as pessoas para frente, sem reveses. Assim, o próprio cérebro produz situações que parecem “pura coincidência” para que as escolhas subsequentes sejam as mais corretas e adequadas. É comum nas pessoas de sucesso o “traço otimista e a visão positiva” do mundo, por isso, quase tudo o que escolhem dá certo, porque o pensamento produz vibrações. Assim como a energia elétrica, os impulsos do pensamento, materializados na maioria das vezes como escolhas, produz ondas de vibração que se propagam. É muito comum sentirmos vibrações de pensamentos positivos, quando temos contatos com pessoas que admiramos. Percebemos a força interior de cada uma delas, pois conseguem estabelecer consigo mesmas relações de escolhas que as levam ao sucesso. E essa opção é dada a cada um de nós.

Circula na internet mensagem com o exemplo fictício de uma mulher que fazia quimioterapia e só tinha três fios de cabelo. A história é mais ou menos assim:

Uma mulher acordou certa manhã, após a quimioterapia, olhou no espelho e percebeu que tinha somente três fios de cabelo.

 – Bom – pensou ela – acho que vou trançar meus cabelos hoje.

 Assim ela fez e teve um dia maravilhoso. No dia seguinte acordou, olhou no espelho, e viu que tinha somente dois fios de cabelo na cabeça.

 – Hummm – disse ela para si – acho que vou repartir meu cabelo ao meio hoje.

 Assim fez e teve um dia magnífico. No dia seguinte acordou, olhou no espelho, e percebeu que tinha apenas um fio de cabelo na cabeça.

 – Bem – pensou ela – hoje vou amarrar meu cabelo como um rabo de cavalo.

 Assim  fez e teve um dia divertido. No dia seguinte acordou, olhou no espelho e percebeu que não havia um único fio de cabelo na cabeça.

 – Yeeesss! – ela exclamou – hoje não tenho que pentear meu cabelo.

Esta história é um excelente exemplo de que o polo positivo pode mudar algo triste em alegre. Ao observarmos nosso polo negativo, igualmente precisamos identificar maneiras de reverter a situação para o positivo, através de exercícios de criatividade, que exigem esforço e concentração para descobrir o que pode ser melhorado e, principalmente disciplina e métodos.

Nota: imagem copiada de Trajeto Profissional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *