Kandinsky – COMPOSIÇÃO VII

Autoria de LuDiasBH
Kan12
Muitas das pinturas de Kandinsky são tituladas como “composição”, porque o pintor via a pintura como uma forma de arte bem próxima à música, muitas vezes chamada por ele de música cromática. Como vimos anteriormente, quando estudamos sobre a vida do pintor, ele atribuía características próprias às cores. Explicava, por exemplo, que a tensão entre o azul e o amarelo significava os extremos da espiritualidade e da paixão, que eram relaxados com a mistura entre as duas cores, resultando no verde, a cor da calma. Assim, todo matiz possuía um significado, sendo os tons comparados a timbres musicais.

A execução do quadro Composição VII pode parecer instantânea, o que não é verdade, pois o artista fez mais de 30 desenhos preparatórios, antes de pintá-lo. O trabalho foi iniciado do centro da obra para fora. É possível observar, nesta pintura abstrata de Kandinsky, alguns sinais de formas físicas. No canto inferior esquerdo está um motivo derivado de um barco com remos, pintado por ele em seus quadros sobre o Dilúvio.

Esta pintura repassa uma sensação de movimento, por ter sido construída em torno de um redemoinho, que tem envolta de si grandes massas de cor e forma. Estudiosos da arte do pintor veem no quadro uma mistura dos temas Ressurreição, O Juízo Final, O Dilúvio e O Jardim.

Ficha técnica
Ano: 1913
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 200 x300 cm
Localização: Galeria Tretyakov, Moscou, Rússia

Fontes de pesquisa
Pintores mais influentes…/ Editora Girassol
http://www.glyphs.com/art/kandinsky

4 comentários sobre “Kandinsky – COMPOSIÇÃO VII

  1. Alexandre

    Oi, Lu!
    Sou Alexandre Brandão e estou fazendo uma prova de arte. Quero saber qual e a interpretação do abstracionismo nessa obra n°7 Estou confuso. Alguém pode me dizer qual é a interpretação dessa obra?

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Amiguinho

      As obras de Kandinsky são bem abstratas, com uma interpretação bem complexa. Quanto à obra em questão, a interpretação encontrada é exatamente aquela que escrevi no texto que a acompanha. Consultei vários livros, e somente encontrei o que ali está escrito. Leia com mais atenção.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Alfredo Domingos

    Lu,
    Pode ser que me engane, mas, derrapando na maionese, vejo como se uma caixa tivesse sido aberta inesperadamente, e dela surgida uma infinidade de formas e cores. Esta obra de Kandinsky é uma bonita explosão de representações! Lembro-me, até, daquele boneco de mola, que surge de uma caixa recém-aberta.
    Abração,
    Alfredo Domingos.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Alf

      Trata-se de uma obra muito bonita, mesmo.
      O artista em questão achava que cor e música casavam-se.
      E esta composição é uma explosão de cores e notas musicais.
      Você fez uma refinada interpretação.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *