Largillière – A BELA DE ESTRASBURGO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

O pintor francês Nicolas de Largillière (1656 – 1746) foi para a Antuérpia ainda criança, onde estudou com Antoine Baoubau, pintor de naturezas-mortas, quando tinha 12 anos de idade. Ali estudou os grandes nomes da pintura, como Peter Paul Rubens, Anthony van Dyck, dentre outros. Ao morar em Londres, trabalhou com o flamengo Sir Peter Lely. Voltou a Paris, por causa das perseguições aos católicos, passando a fazer parte da Academia Real de Pintura e Escultura ao apresentar o retrato de Charles Le Brun como trabalho de admissão. Especializou-se em naturezas-mortas individuais e pinturas históricas e na feitura de grandes retratos de grupos, tornando-se um dos retratistas mais admirados de sua época, procurado pela corte e pela nobreza. Era dono de grande riqueza cromática e trabalhava os tecidos com maestria. Foi protetor de Jean-Baptiste Siméon Chardin.

A composição de estilo rococó intitulada A Bela de Estrasburgo é uma obra do artista. Não se conhece o nome da jovem retratada. O que realmente importa no retrato são as vestes da mulher, ou seja, o traje de Estrasburgo, pois essa era a verdadeira intenção do artista e não a pessoa da retratada. A habilidade de Largillière nesta pintura revela sua formação flamenga. Ainda assim, não se pode ignorar a beleza da mulher de rosto suave e postura elegante que traz nos braços um peludo cãozinho preto e branco – seu animal de estimação. Uma paisagem seve de fundo para a pintura.

A elegante mulher usa um chapéu preto, enfeitado com renda preta e roupas fantasticamente trabalhadas. Ela veste uma saia vermelha, da qual o observador vê apenas uma pequena parte à esquerda, pois se encontra coberta por um avental preto. Um corpete com passamanes envolve seu corpo delgado. É impossível não notar a destreza do artista na renda do xale e das mangas da roupa de baixo, assim como no arranjo das mangas pretas, largas em cima e apertadas no cotovelo, ornadas com fitas plissadas. Embora a parte de cima do traje seja excessivamente ornamentada, a de baixo é bem simples. No pescoço a mulher usa um belo colar de pérolas.

O extravagante chapéu preto de dois bicos, bem maior em sua envergadura do que os ombros da retratada, foi o motivo que levou o artista a fazer esta pintura, pois, ao ser anexada ao reino da França, a cidade imperial de Estrasburgo causou admiração pelos costumes, sobretudo pelo tipo de chapéu.

Ficha técnica
Ano: 1703
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 138 x 106 cm
Localização: Museu de Belas Artes, Estrasburgo, França

Fontes de Pesquisa:
1000 obras-primas da pintura europeia/ Könemann
Rococó/ Editora Taschen
https://www.musees.strasbourg.eu/oeuvre-musee-des-beaux-arts/-/entity/id/220594
http://gitedestrasbourg.blogspot.com/2010/03/portrait-de-la-belle-strasbourgeoise

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *