NOSSO PLANETA TERRA

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

terra

Se o aumento da temperatura que prevejo, de 6 a 8 graus centígrados, se produzir, a civilização poderá ser ameaçada: teremos uma extinção em massa de espécies e a agricultura se tornará impossível em boa parte da superfície do planeta. O alimento será insuficiente, haverá migrações de populações inteiras, conflitos, a humanidade se concentrará ao redor das regiões polares… (James Lovelock, cientista britânico)

O Protocolo de Kyoto é como os acordos de Munique que vivi na minha juventude. O mundo inteiro percebe o perigo que se aproxima e os políticos pronunciam belas frases e fazem de conta que estão fazendo alguma coisa. (James Lovelock)

A vegetação são os pelos da Terra; os rios, as veias que necessitam estar sempre desentupidas e limpas; o mar, o pulmão por onde exerce a expiração: vazante e quando maré cheia: inspiração. Os mangues e pântanos, geradores de milhões de seres. (…) Ela é um lindo ser vivo colorido e extremamente generoso que, com apenas uma sementinha, dá-nos de graça um monte de alimentos que nem damos conta de comer sozinhos. Só temos de agradecer sempre a sua beleza e bondade! (Lilana Lima)

O homem possui pouco conhecimento sobre a história de seu planeta, como se a vida aqui fosse “ad eternum”, ou como se pensasse em relação às gerações que estão por vir, que o problema é delas. Pesquisei fatos curiosos sobre a nossa amada Terra:

  • Em 20000 a.C. toda a humanidade vivia num continente maciço. As temperaturas eram muito baixas, havendo uma grande extensão de geleiras, por toda parte do planeta.
  • Os oceanos tinham níveis baixíssimos de água. E se existisse a cidade do Rio de Janeiro naquela época, a grande maioria de seus habitantes não conheceria o mar, tamanha seria a distância.
  • A partir de 15000  a.C., os verões e outonos começaram a ser mais quentes, ainda que de forma gradativa.
  • Entre 12000  a.C. a 9000  a.C., o degelo deu uma grande guinada, fazendo subir o nível dos mares.
  • No ano de 8000 a.C. a elevação dos mares tinha subido até 140 metros, transformando aquele continente maciço num mosaico. Sendo o continente australiano o mais alterado, pois, por ser o mais plano, perdeu 1/7 de suas terras secas. Segundo o historiador Geoffrey Blainey (de Uma Breve História do Mundo), esse acontecimento foi o mais extraordinário na história humana, nos últimos 100 mil anos, mais do que a ida do homem à Lua, ou o somatório de todos os eventos do século XX. Em função da grande transformação que se deu e em relação à explosão populacional, pois o clima se tornou ameno, favorecendo enormemente a agricultura.

Até o final do século XX ainda predominou a ideia de que a Floresta Amazônica continuava, praticamente virgem, diante de tantas mudanças ocorridas no planeta, por ser densa e impenetrável. Infelizmente, essa crença não demorou a ser desmistificada. Vemos que o Pulmão do Mundo, aceleradamente, vai sendo destruído em seus alvéolos, entra governo e sai governo. Sendo seus dois maiores problemas as queimadas e os desmatamentos, o que coloca o nosso país no patamar do 16º poluidor do mundo e o 4º em relação à devastação ambiental.

É público e notório que a temperatura da Terra está subindo e o homem é o maior responsável, em razão da velocidade com que a atividade humana vem atuando nessa mudança. O acúmulo dos gases começou no século XVIII com o advento da Revolução Industrial.

Imaginemos a temperatura do planeta subindo 4 graus até 2100.  Pesquisas mostram que a vida humana em sociedade, só é possível até 45º. Basta que voltemos no tempo e vejamos o que aconteceu com a Terra (pesquisas mostram que em 650 000 anos foram identificados, pelo menos, 4 períodos de aquecimento de nosso planeta) .

Se nada for feito, possivelmente, as futuras gerações terão não mais mosaicos, mas um quebra-cabeça de ínfimas partes compondo as terras secas do planeta, num cenário catastrófico.

 Nota: Citações e imagem copiadas da revista Oásis

4 comentários sobre “NOSSO PLANETA TERRA

  1. Matê

    Lu
    Lindo e muito oportuno o seu trabalho.
    Hoje é o dia internacional da água.Temos a maior bacia fluvial do mundo.
    Mas no Nordeste, por falta d’água, uma epidemia de diarreia matou 47 pessoas.
    Lá a presença de carros-pipa é mais do que constrangedora.
    Aqui, fala-se em racionamento de água e energia.
    Temos de mudar urgentemente nossa atitude diante da Natureza.

    Abraços

    Matê

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Matê

      A água é o elemento vital do planeta Terra.
      Sem ela não existe a natureza como um todo e muito menos o ser humano.
      Você está coberta de razão, pois precisamos mudar o nosso comportamento em relação a ela.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. LuDiasBH Autor do post

    Ed

    O que será das gerações que virão depois?
    O homem, o maior predador da Terra, está destruindo tudo.
    O preço já está sendo pago, meu irmão.
    A Terra está morrendo junto com todos os seres vivos.
    Veja quantos animais já foram extintos, quantos rios já morreram, quantas florestas já desapareceram…

    Abraços,

    Lu

    Responder
  3. Edward Chaddad

    LuDias

    Um dos grandes problemas da humanidade não está, infelizmente, sendo tratado com a consciência e determinação necessárias, que é o aquecimento do planeta.
    Alguns até dizem que tudo que o homem faz, na verdade, é muito pouco, pois são as explosões solares que nos dão ondas de tempo de muito quente, aquecendo nosso planeta.

    Estamos destruindo o planeta em todos os sentidos. E o próprio ser humano já está sentindo, no seu aspecto psicológico, a destruição do meio em que vive. É claro, se estamos no meio de uma fogueira, com certeza, iremos nos queimar.
    Gostei muito do seu texto, que chamou bastante a atenção do que vem por aí.

    Já passei dos setenta. Sei que minha geração carrega a culpa de não ter iniciado um movimento mais eficaz e forte para equilibrar o mundo. A próxima geração poderá pagar um preço caro por essa inação.

    Parabéns!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *