OPINIÃO, FATO E DISCERNIMENTO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH ed12

Quando nascemos, já nos aportamos dentro de uma família guiada por certas tendências comuns à maioria de seus membros. Essa família, por sua vez, está inserida num grupo social com opiniões peculiares. E assim vai seguindo o trançado. E, quanto mais incultos forem seus membros, mais a trama aprisiona-os. Pois, apesar do avanço intelectual da humanidade ao longo dos últimos anos, nós ainda somos presas fáceis de certas correntes, nos mais variados campos ideológicos, que não são sustentadas por elementos racionais. Ainda somos vítimas de posturas manipuladoras, de discursos ou opiniões enganosos, cuja função é nos passar determinadas sugestões que têm como objetivo beneficiar unicamente os maquinadores.

Quantas correntes em todos os campos nosso planeta conheceu, ao longo da existência humana em seu solo até os nossos dias? E muitas outras ainda estão em latência, aguardando o momento propício para eclodir. E quanto mais medíocre for o homem, mais facilidade terá para abraçar uma ou outra, sem nenhuma indagação. Isto porque sua razão esconde-se sob o manto da mera crença, da falta de espírito crítico. Em contrapartida, quanto mais astucioso for o indivíduo, mais constrói e fortalece as correntes necessárias para aprisionar os tolos, pois o esperto precisa da presença do trouxa para objetivar suas ações.

No Brasil, dentre os fomentadores das mais variadas correntes de opinião, coloco na linha de frente parte de nossa mídia que ainda tenta fazer de seu leitor um joguete, desprezando sua capacidade de discernimento, assim como certos políticos mascarados, ladrões da pátria, que têm como prioridade criar correntes de opinião que lhes garantam um lugar permanente ao sol. O populacho que vá plantar batata, depois de atingidos os fins almejados. Também não podemos nos esquecer dos falsos líderes religiosos, que manipulam e roubam seus adeptos. Mas não posso negar que haja homens comprometidos com grandes valores morais, aptos a emitir opiniões, uma vez que têm como objetivo o bem-estar de seu povo.

Quando as opiniões são daninhas, elas funcionam como explosivos, pois tentam subjugar as pessoas através daquilo que as torna menos racional: a emoção. Assim fica fácil conduzir a manada, para onde se quer levá-la. A imensa maioria dos desprovidos de autocrítica age por sintonia, por hipnotismo, por contágio mental, sem real conhecimento do que se passa. Portanto, acautelemo-nos com certos pareceres, e nos preocupemos mais com os fatos. E que o nosso discernimento seja sempre a luz que nos guia, acima de tudo. Mesmo que erremos, mas que tenhamos a certeza de ter feito a melhor escolha possível, de acordo com o nosso livre-arbítrio. Devemos escolher com liberdade e espírito crítico nossos próprios caminhos.

11 comentários sobre “OPINIÃO, FATO E DISCERNIMENTO

  1. Patrícia.

    Oi, Lu!

    Belo texto. Apesar de toda tecnologia e informação ainda nos encontramos pré-históricos no contexto do discernimento e valores humanos.
    O que adianta os grandes avanços científicos se continuamos rastejando em relação ao próximo? Os que detêm o poder mostram ineficiência e vivem um joguete de interesse. A maioria dos jovens são manipulados ou alienados, sem compromisso com um país melhor. Os íntegros possuidores de sabedoria tentam de alguma forma passar esta bagagem aos poucos que acreditam em dias melhores. E assim vamos nós no mundo onde os incultos e o “populacho” mancham a imagem da Terra que deveria ser sempre bela e azul.

    Bjs.

    Responder
  2. LuDiasBH Autor do post

    Reini

    No seu comentário você diz:

    “Portanto, de fato, discernimento deve ser primo-irmão da sabedoria e tem uma importante função no processo do crescimento humano e da evolução do espírito…”

    É isso mesmo, priminha.
    O discernimento é o caminho para a sabedoria.
    Ser sábio é ter discernimento, espírito crítico.
    Todo o crescimento humano e espiritual vêm do discernimento.
    E com ele, nós nos tornamos pessoas mais compassivas e generosas, cheias de luz.

    Beijos,

    Lu

    Responder
  3. Reini Dantas Leal

    Lu,

    Na minha singela e leiga opinião, creio que o discernimento está mais ligado ao sentimento do coração e da alma.
    Portanto, de fato, discernimento deve ser primo-irmão da sabedoria e tem uma importante função no processo do crescimento humano e da evolução do espírito…
    Bjos

    Responder
  4. Mário Mendonça

    Lu Dias

    OPINIÃO, FATO E DISCERNIMENTO
    Belíssima pauta para uma ótima discussão, no qual convidaria também meu amigo Gutierritos.

    OPINIÃO: poucos possuem nesse nosso país, pois a lavagem cerebral do status quo fez o seu papel e pensantes são pouquíssimos que possuem alcance no contraponto.

    FATO: temos diariamente montanhas de fatos de relevância salutar, mas a manipulação os transforma em pantomima que a sociedade embebedada aceita como se fosse meias verdades.

    DISCERNIMENTO: será que temos?… ouso dizer que fingimos ter, pois pouco fazermos para mudar a transformação da sociedade em mentecaptos,vaquinhas de presépio que aceitam o status quo do jeito que ele é.

    Responder
      1. LuDiasBH Autor do post

        Mário

        Peço-lhe mil perdões por não ter visto o seu comentário.
        Ainda bem que pulei o seu, pois é meu amigo e sabe que não desprezo ninguém.

        Obrigada, amigo, por me mostrar minha falha.

        Abraços,

        Lu

        Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Mário

      Você descreve muito bem cada ponto discutido no texto.
      Concordo plenamente com você.
      Não é fácil sair das guerras do segundo poder: mídia.
      Somente os de espírito crítico estão imunes a elas.

      Beijos,

      Lu

      Responder
  5. Edward Chaddad

    Lu. Dias

    Sou um homem que atingiu setenta anos de idade.
    Estive em um país diferente, muito diferente do atual.
    É a indiferença a grande distância que separa aquilo que conheci no passado e aquilo que percebo e vejo atualmente.

    Hoje, o consumismo é fundamental para que a indiferença e a alienação se instalem nas antenas da maioria de nossos jovens. Os valores humanos que conheci e que carrego, hoje ainda presentes no coração de muitos amigos que têm a graça de ainda viver, parecem que estão desaparecendo, dando lugar ao sentimento do gozo intenso dos bens materiais.

    Reparo que uma festa em família, mesmo que ainda existente, a futilidade dá lugar ao bem querer, ao sentimento mais forte de apego e amor familiar. O grande destaque fica para a festança, mesmo que a velhinha, lá no fundo, a vozinha, cheia de esperança, carente de afetos, permaneça quieta, quase imóvel, à espera de um beijinho, de um carinho, de um abraço. Rola na festa a cerveja, a música alta, a conversa sem qualquer proveito e repleto de banalidades, frivolidades, nada que possa importar ao coração daquela vozinha, que aniversaria. Nada.

    O mundo consumista está nos levando para a ausência de sentimentos e a total alienação. Para que se importar com o drama de nosso próximo?

    Manifestações sobre as injustiças de nosso mundo na internet, de fato, ainda existem, mas poucos são aqueles que efetivamente agem no sentido de se afastarem da indiferença e auxiliarem o próximo, através de ações efetivas, fundamental na solidariedade e na compaixão.

    Seu texto é maravilhoso. Muito bom para uma reflexão.

    Parabéns!

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Ed

      Seus comentários são sempre uma aula da mais perfeita coerência.
      Não há o que questionar.
      Sua lucidez não deixa dúvidas.

      Você diz:

      “Manifestações sobre as injustiças de nosso mundo na internet, de fato, ainda existem, mas poucos são aqueles que efetivamente agem no sentido de se afastarem da indiferença e auxiliarem o próximo, através de ações efetivas, fundamental na solidariedade e na compaixão.”

      Se todas as pessoas soubessem como é bom o sentimento da cooperação e da generosidade, viveríamos num paraíso.

      Este próximo também existe na figura dos animais.
      Veja o belo blog do Paulo Afonso, sobre esses nossos irmãos de planeta.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  6. Ana Beatriz

    Oi Lu, Boa Noite!

    Perfeita sua análise, conforme fui lendo, fui me reportando aos fatos, aos trançados e tramas que vamos nos emaranhando ao longo da vida, alguns muito úteis de certa forma para aguçar nossas auto crítica e criatividade para irmos desfazendo os nós.
    Beijos

    Bom fim de semana!

    Ana Beatriz

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Ana Beatriz

      Temos que ter muito cuidado para que não nos façam de trouxas.
      A opinião só pode vir depois do discernimento em relação ao fato.
      Como bem diz, temos que ir desfazendo os nós.

      Beijos,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *