Perugino – A CRUCIFICAÇÃO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

A pintura denominada A Crucificação, também chamada de A Crucificação com a Virgem, São João, São Jerônimo e Santa Maria Madalena, é uma obra-prima da maturidade do pintor italiano Pietro Perugino, responsável por inúmeras obras religiosas. Ela é também conhecida como o “Tríptico Galitzin” que é o nome da coleção da qual fez parte. A obra foi uma doação de Bartolomeo Bartoli à igreja de S. Domenico, em San Giminiano, na Itália. Chegou a ser atribuída a Rafael Sanzio, no passado, mas hoje já não se tem dúvidas de que é um trabalho de Perugino, feito quando o artista trabalhava na Capela Sistina ou logo após. Suas pinturas tornaram-se conhecidas, sobretudo, pela graciosidade das madonas, pela delicadeza das santas e pelas suaves paisagens ao fundo.

Esta composição, maravilhosamente impregnada de humor poético, que exala uma piedade silenciosa, foi descrita por um contemporâneo do artista como “aria angelica et molto dolce” (ar angélico e muito doce). Apesar de mostrar-se subdividida em três painéis, compõe na verdade um todo, como mostra a paisagem que serve de fundo, contínua em toda a sua extensão, unindo as cenas.  Esta tem início com um grupo de rochas, passando por uma paisagem aberta ao meio, e finalizando com outro grupo de rochas. Em primeiro plano, uma fileira de plantinhas enfeita a composição em toda a sua base, também a unificando.

O primeiro painel apresenta São Jerônimo, seminu e sem barba, aparentando meia-idade, apoiado num cajado. Ele passou grande parte de sua vida vivendo numa caverna. Às suas costas, um pouco mais distante, vê-se a figura de um leão, animal que faz parte de sua simbologia, pois conta-se que, enquanto o santo trabalhava com alguns monges em sua caverna, ali adentrou um leão com a pata cheia de espinhos. Os religiosos correram, mas ele tirou os espinhos do animal e tratou-lhe as feridas, ganhando assim a sua confiança e amor. E esse passou a segui-lo por toda parte.

O segundo painel mostra Cristo pregado à Cruz, tendo à sua direita sua mãe Maria, com os olhos voltados para o chão,, e, à esquerda, São João Evangelista que o fita com ternura. A suavidade expressa no seu rosto repassa a impressão de que ele já se elevou acima do sofrimento humano. A Virgem e o santo encontram-se descalços sobre o chão terroso. Ao fundo desenrola-se uma delicada paisagem com uma ponte, árvores, edificações e serras, um castelo sobre uma elevação rochosa, enquanto o mar, onde são vistas algumas embarcações, funde-se com o azul do céu.

O terceiro painel traz Maria Madalena na mesma postura de São João Evangelista, com as mãos cruzadas junto ao corpo e com os olhos voltados para o seu amado Mestre. Apenas a postura de suas mãos apresenta uma pequena diferença. A expressão facial também é igual. Sua vestimenta é bem parecida com a do santo, divergindo nas cores e na posição do manto no seu lado esquerdo. Assim como os demais personagens, ela se encontra descalça.

Ficha técnica
Ano: c.1450 a 1523
Técnica: óleo em painel transferido para tela
Dimensões: painéis laterais: 95 x 35 cm cada um; central: 101,5 x 56,5 cm
Localização: Galeria Nacional de Art, Washington, EUA

Fontes de pesquisa:
Enciclopédia dos Museus/ Mirador
https://www.nga.gov/collection/gallery/gg20/gg20-29.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *