TAIRA NO KIYOMORI …
Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

tainoki
O tríptico Taira no Kiyomori Vê Fenômenos Sobrenaturais pertence a meados da década de 1840, e se trata de uma obra do artista japonês Hiroshige.

No século 12, os clãs Taira e Minimoto viviam em guerra pelo domínio do país. Taira no Kiyomori saiu vencedor, sendo muito cruel com seus adversários. Em razão disso, no final de sua vida, viu-se torturado por terríveis alucinações. Na composição, ele é apresentado num jardim de horrores, onde incontáveis caveiras de todos os tamanhos, cobertas de neve, misturam-se com a paisagem, chegando até sua casa.

O céu mostra-se nublado e tudo em volta está coberto pelo gelo. Numerosas caveiras espalham-se em volta do lago. Elas estão sobre as pedras, as árvores e até mesmo no tablado onde se encontra Taira no Kiyomori.

O perverso encontra-se numa casa rica e suntuosa, como escravo do terror. É prisioneiro de seus próprios fantasmas. Segundo a história, tudo que ele via transformava-se nos esqueletos daqueles que havia torturado.

A esposa de Taira no Kiyomori mostra-se abatida e triste.

Ficha técnica
Artista: Hiroshige
Ano: 1840
Dimensões: 35,2 x 75 cm

Fonte de pesquisa:
Hiroshige/ Editora Taschen

Um comentário sobre “TAIRA NO KIYOMORI …

  1. Edward Chaddad

    LuDias

    É difícil entender obra como esta, no final da vida de um artista. No entanto, seus esclarecimentos levam a compreensão desta imagem maligna de um final de vida. Parece que não existem pessoas assim, maldosas e cruéis – espírito vingativo – que buscam sempre destruir, que se lembram de seus semelhantes apenas para persegui-los e fazê-los sofrer. Esta gente, infelizmente, existe. Porém, um dia a vida termina e dele fica mesmo a imagem que plantou.

    Lu, aqueles que semeiam ódio colhem repulsa, desprezo, desapego, desinteresse, indiferença. Aqueles que semeiam compaixão colhem muito amor, saudade e uma vontade muito forte de sermos como eles.. Esta é uma regra da vida.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *