Velázquez – AS FIANDEIRAS

Autoria de LuDiasBH

asfiand

A composição As Fiandeiras, também conhecida como A Lenda de Aracne, é a composição mais intrincada do pintor espanhol Diego Velázquez, possibilitando inúmeras interpretações.

Inicialmente, os estudiosos do pintor achavam que o tema central da obra era a oficina de fiação, em primeiro plano. Sendo que, em segundo plano, estava uma habitação, tendo uma imensa tapeçaria ao fundo, que estava sendo observada por três damas, ricamente vestidas. Estudos posteriores chegaram à conclusão de que a tapeçaria é na verdade uma cena mitológica, estando as fiandeiras à frente da mesma. Há quem diga que o artista teve como objetivo, ao compor tal obra, aludir à situação dos pintores espanhóis, que, no século XVII, eram ainda vistos como artesãos.

Segundo a lenda, Aracne era uma exímia fiandeira, mas muito pretensiosa. Ao tecer uma tapeçaria em que Júpiter, em forma de touro, raptava Europa, deixou Atena, também conhecida por Minerva, muito chateada. E por isso foi castigada.

Na composição mitológica, em segundo plano, Minerva, usando um capacete, levanta a mão para transformar a fiandeira numa aranha, no momento em que esta lhe mostra a tapeçaria em questão. Estão presentes no local outras figuras femininas, a testemunharem o fato, que alguns aludem simbolizar as quatro belas-artes, mas não há nada que confirme isso. A mulher, que vira o rosto para as fiandeiras complica ainda mais a interpretação do quadro.

Na oficina, representando a vida real, duas fiandeiras e três assistentes preparam a lã para executar os trabalhos de tecelagem, trabalhando com fios, rocas e fusos. Elas se mostram tranquilas e habilidosas, sem se aterem ao quadro às suas costas ou ao observador. Uma delas, de pé, à esquerda, segura uma cortina vermelha, possibilitando a visão de outro espaço.

Não é possível ver os raios da roca, em razão da rapidez dos movimentos. O artista pensou em tudo, mas deixou um enigma a ser resolvido, quanto ao real significado da obra.

Curiosidade
A lenda de Aracne está relatada nas Metamorfoses, obra do poeta romano Públio Ovídio, encontrando duas edições na biblioteca de Diego Velázquez.

Ficha técnica
Ano: 1657
Dimensões: 220 x 289 cm
Técnica: óleo sobre tela
Localização: Museu do Prado, Madri, Espanha

Fontes de pesquisa
Velázquez/ Taschen
Velázquez/ Coleção Folha
1000 obras-primas da pintura europeia/ Könemamm

2 comentários sobre “Velázquez – AS FIANDEIRAS

    1. LuDiasBH Autor do post

      Larissa

      A interpretação desse quadro é muito complexa, mesmo, pois é um quadro dentro de outro. Peça à sua mãe ou pai para ajudá-la. No que precisar de mim estarei aqui. Obrigada por sua visita e comentário.

      Beijos,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *