A LEITEIRA (Aula nº 72 B)
Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

O pintor holandês Johannes van der Meer, também conhecido como Jan Vermeer ou apenas Vermeer (1632–1675), embora tenha apenas 35 obras conhecidas, é tido como um dos grandes nomes da pintura holandesa, tendo sido apelidado de “a Esfinge de Delft”. Apesar de ter pertencido ao século 17, só se tornou realmente reconhecido como um grande pintor em meados do século 19. É visto hoje como o segundo pintor holandês mais importante daquele século, ficando aquém apenas de Rembrandt.  Trabalhava com esmero os efeitos da luz, a ponto de tornar-se muito abstrato em seus últimos anos de vida. Tanto é que o modo como trabalhava a luz e a sombra acabou influenciando os pintores impressionistas. Retratava a luz natural com extrema beleza, de modo que suas composições pareciam refletir luz própria. Ele nasceu em Delft numa família protestante, mas acabou convertendo-se ao catolicismo, religião de sua noiva Catharina Bolnes que era de família rica. Foi comerciante e estalajadeiro. Após morrer muito pobre, aos 43 anos de idade, a situação da família ficou tão desesperadora que Catharina, atolada em dívidas, foi obrigada a pedir falência. O pintor acabou sendo esquecido por um longo tempo. Nossa aula de hoje diz respeito a uma de suas primorosas obras, famosa em todo o mundo. Primeiramente é necessário acessar o link Vermeer – A LEITEIRA e ler o texto com muita atenção, sempre voltando a esse quando se fizer necessário.

  1. A Leiteira é tida como uma das mais importantes obras-primas:

    1. do Renascimento
    2. de todos os tempos
    3. da Idade Contemporânea
    4. da Antiguidade

  2. A personagem vista na composição é uma jovem …………….. concentrada em seus afazeres.

    1. camponesa
    2. dona de casa
    3. pintora
    4. recém-casada

  3. Todas as afirmativas acerca do local estão corretas, exceto:

    1. O ambiente é muito simples.
    2. As paredes já se mostram descoradas e descascadas.
    3. A janela apresenta dois vidros quebrados.
    4. Nada ali tira a concepção de ordem, apesar da variedade de objetos.

  4. A luz que entra no ambiente vem:

    1. do caixilho à direita
    2. do vidro quebrado da janela 
    3. da janela à esquerda da jovem
    4. da parede descorada atrás da mulher.

  5. O quadro de ébano, a cesta de vime e um balde de bronze vistos na parede encaminham o olhar do observador para:

    1. a janela de vidro
    2. a parede descorada
    3. o chão do aposento
    4. o leite no recipiente de barro

  6. O centro temático da pintura está representado:

    1. Pelo leite que é derramado no recipiente.
    2. Pela luz que entra através da janela.
    3. Pelas roupas coloridas da jovem mulher.
    4. Pelo caixilho presente na composição.

  7. Todos os objetos encontram-se sobre a mesa, exceto:

    1. uma cesta com pão
    2. uma toalha verde
    3. um jarro com uma bacia bacia
    4. um pires com xícara

  8. O pão que se encontra na cesta parece bem real quando visto:

    1. de perto
    2. de longe
    3. através da janela
    4. do alto

  9. Os pequenos pontos na pintura dão a sensação de que há centelhas de luz:

    1. no pão e na janela
    2. no pão e na borda do jarro
    3. na touca e avental da moça
    4. no jarro e na parede

  10. Esses pequenos pontos feitos com tinta opaca recebem o nome de:

    1. Pointillés
    2. Mosaicos
    3. Água-forte
    4. Afrescos

  11. Sobre a mesa é possível ver um pano azul que é:

    1. a toalha da mesa
    2. um pano de prato
    3. parte do avental da moça
    4. o casaco da mulher

  12. Peças das quais podem ser tiradas partes, pois são acrescidas separadamente:

    1. touca branca
    2. saia vermelha
    3. avental azul
    4. mangas azuis e esverdeadas

  13. A figura esculpida por meio de sombreamento repassa a impressão de que a figura da mulher é quase:

    1. bidimensional
    2. tridimensional
    3. quadridimensional
    4. unidimensional

  14. Marque aquilo que mostra a meticulosidade do pintor:

    1. A fileira de azulejos decorados dando terminação à parede.
    2. O escalda-pés para esquentar as partes inferiores do corpo.
    3. O prego fincado na parede, onde deveria existir algo dependurado.
    4. O colete de couro camurça amarelo.

  15. O escalda-pés, à época, era visto como símbolo:

    1. do amor e da gentileza
    2. da amizade e da perseverança
    3. do outono e do inverno
    4. da pobreza e da austeridade

  16. A serenidade vista no rosto da mulher, enquanto trabalha, traz a impressão de que seu serviço é:

    1. esporádico
    2.  rotineiro
    3. árduo
    4. insignificante

  17. O avental azul é pintado com uma camada transparente de ultramar que é um pigmento extraído:

    1. de um coral
    2. de um inseto
    3. do lápis-lazúli
    4. da malacacheta

  18. Vermeer gostava de retratar mulheres em ……………, ficando conhecido pela maestria na observação do cotidiano.

    1. interiores
    2. praças
    3. jardins
    4. praias

  19.  A Leiteira traz a impressão de que a cena foi retratada …………… através da observação direta do pintor.

    1. com indiferença
    2. ao acaso
    3. rapidamente
    4. com fidelidade

  20. Entre as 50 pinturas (AS 50 PINTURAS MAIS FAMOSAS DO MUNDO EM DETALHES) mais famosas do mundo, Jan Vermeer possui três composições. Marque a que não faz parte da listagem.

    1. Moça com Brinco de Pérolas
    2. A Leiteira
    3. O Nascimento de Vênus
    4. O Astrônomo

      Gabarito
      1.b/ 2.a/ 3.c/ 4.b/ 5.d/ 6.a/ 7.d/ 8.b/ 9.b/ 10.a/ 11.c/ 12.d/ 13.b/ 14.c/ 15.a/ 16.b/ 17.c/ 18.a/ 19.d/ 20.c

 

4 pensou em “A LEITEIRA (Aula nº 72 B)

  1. Marinalva Autor do post

    Lu
    “A Leiteira” é uma das obras mais importantes desse pintor fantástico chamado Van der Meer. O Museu onde se encontra, em Amsterdã, qualifica-o como uma das maiores atrações. Os quadros desse artista são muito admirados pela transparência das cores, pela inteligência das composições e uso brilhante da luz. “A Leiteira” mostra como o artista usou os dons no uso das cores fundindo o amarelo e o azul, os pontilhados vivos em dourado nos objetos que estão sobre a mesa. A admiração toma conta do observador por causa das cores que emite uma transparência fantástica. Ele compõe com muita sabedoria e sabe usar a luz brilhantemente.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Marinalva

      Esta obra é tão maravilhosa que faz parte das 50 pinturas mais famosas do mundo. E pensar que este pintor morreu na pobreza! Que pena!

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Adevaldo R. de Souza

    Lu
    Você nos presenteia com mais uma bonita obra do holandês Johannes van de Meer: A Leiteira. A expressão da camponesa é de uma meiguice impressionante. Os detalhes da composição e a utilização adequada da luz assinam o valor artístico da obra.
    Tenho dúvidas sobre o gênero dessa obra. Penso que poderia ser um “retrato” ou “natureza morta”, pela presença da figura humana, no caso, a leiteira e dos objetos ali mostrados na composição. A obra também nos leva a adquirir conhecimentos dos costumes da época – século XVII: vestimentas, decoração, alimentação, tipos de utensílios utilizados e mecanismo de aquecimento do corpo: escalda-pés.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Adevaldo

      Esta maravilhosa obra de Vermeer que se encontra entre as 50 composições mais belas do mundo é uma pintura de gênero (retrata o cotidiano). É muito comum que uma pintura de gênero também apresente uma natureza-morta, como a vista na obra. Você não está deixando passar nada. É mesmo um aluno notável. Quanto a ser um retrato, esse é mais circunspecto e toda a atenção é voltada para o retratado, o que não é o caso.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *