A MORTE DA VIRGEM (Aula nº 65 B)

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

                                                     (Clique na imagem para ampliá-la.)

Michelangelo Merisi da Caravaggio (1571-1610) nasceu no calmo povoado de Caravaggio, próximo à cidade de Milão e cujo nome acabou por incorporar-se ao seu nome. Também existe a hipótese de que o pintor tenha nascido em Milão. Aos cinco anos de idade vivia em Milão — cidade ocupada pela Espanha — com seus pais. Além das tensões geradas pela ocupação estrangeira, a fome e a peste também se faziam presentes. Em razão da peste a família do futuro pintor retornou ao povoado de Caravaggio que também acabou sendo alcançado pela doença que ceifou a vida do pai, do avô e do tio do garoto. Sua mãe optou por permanecer ali com os filhos, distanciando-se do fanatismo religioso e da violência política que se espalhavam por Milão. O artista foi um dos grandes responsáveis pelo início do período barroco, tendo deixado uma grande contribuição para a arte da pintura. Hoje vamos estudar um dos quadros que lhe causou grandes problemas. Primeiramente é necessário acessar o link Caravaggio – A MORTE DA VIRGEM e ler o texto com muita atenção, sempre voltando a esse quando se fizer necessário.

  1.  A obra em estudo tinha por finalidade adornar uma capela em:

    1. Milão
    2. Roma
    3. Nápoles
    4. Florença

  2. O quadro foi recusado por parte do clero que alegou se tratar de uma obra ofensiva à Igreja, sendo totalmente desprovida de:

    1. santidade
    2. decência
    3. humildade
    4. emoção

  3. A obra repelida foi comprada pelo duque de Mântua, obrigado a atender o pedido de vários pintores de Roma que queriam conhecer e estudar a tela, antes que fosse embora. Essa busca dos artistas romanos pela obra deveu-se:

    1. ao temperamento difícil do pintor
    2. à recusa da Igreja em aceitá-la
    3. ao uso de personagens irreais
    4. à fama que a pintura adquirira

  4. São causas alegadas como motivo para a rejeição da obra, exceto:

    1. O artista teria retratado uma cortesã como modelo para a Virgem.
    2. O pintor teria pintado a Madona inchada e com as pernas descobertas.
    3. O artista teria trocado o esboço da pintura que lhe fora entregue.
    4. O pintor teria usado como modelo o cadáver inchado de uma mulher.

  5. No que diz respeito aos apóstolos, todas as afirmativas estão corretas, exceto:

    1. São retratados de pé, como pessoas comuns que se encontram numa sala.
    2. Exprimem a atormentação que sentem pela morte de Jesus Cristo.
    3. Trazem o rosto envolto em sombra ou escondido pelas mãos.
    4. Todos estão sob um imenso dossel vermelho e mostram-se abalados.

  6. A única mulher presente na cena posiciona-se à esquerda do corpo da Virgem, veste-se humildemente e traz os cabelos desgrenhados e o rosto oculto, enquanto chora. Ela é:

    1. Maria Madalena
    2. Santa Isabel
    3. Santa Ana
    4. Maria de Cléofas

  7. Todas as afirmativas sobre a pintura são verdadeiras, exceto:

    1. O grupo emudecido mostra-se unido pela dor num sofrimento silencioso.
    2. As figuras são apresentadas quase em tamanho natural.
    3. O artista não se atém a retratar apenas o essencialmente necessário.
    4. O local é simples, a presença do dossel vermelho o único objeto de destaque.

  8. Uma das afirmativas abaixo sobre a Virgem não condiz com a explicação do texto:

    1. A única marca da presença divina é o halo sobre a cabeça da Virgem.
    2. Ela é mostrada como uma mulher do povo que acaba de morrer.
    3. A Virgem ainda não está preparada para ser colocada no túmulo.
    4. A Madona está deitada sobre uma lápide, rodeada pelos apóstolos.

  9. Todas as afirmativas sobre o corpo de Maria estão corretas, menos:

    1. Está coberto por um vestido vermelho.
    2. Traz os pés descobertos e a cabeça coberta.
    3. O braço esquerdo está inclinado para baixo.
    4. Será lavado com um preparado de vinagre.

  10. O foco principal da pintura é:

    1. O corpo de Maria e as figuras dos apóstolos ao centro.
    2. A cortina vermelha que dá teatralidade à obra.
    3. Maria Madalena posicionada na parte inferior, à esquerda.
    4. A vasilha no chão com a mistura de vinagre.

  11. Acerca da composição não se pode afirmar que:

    1. É comovente e o uso da luz acentua a sua dramaticidade.
    2. A cena é humanizada ao mostrar a dor de quem perde um ente querido.
    3. As cores são muito escuras, com inúmeros toques luminosos.
    4. A dinâmica da tela se dá em torno da Virgem — tema central da pintura.

  12. A massa compacta do grupo e a postura das figuras guiam o olhar do observador para:

    1. a cortina vermelha
    2. o apóstolo à cabeceira do corpo
    3. o discípulo aos pés do corpo
    4. o corpo da Virgem

  13. O pintor faz uso das nuances de luz e sombra para modelar os volumes dos objetos, figuras e vestuário, mas, acima de tudo, ele reforça, através deste processo, a presença física da Virgem, atingida por:

    1. uma tênue luz
    2. uma luz forte
    3. um pequeno raio
    4. um filete de luz

  14. 14.O artista cria a ilusão de profundidade através de uma série de áreas mais claras que podem ser vistas na parte de trás ……………….. de Maria Madalena, passando do rosto da Virgem Maria para as mãos e cabeças dos apóstolos.

    1. das costas
    2. dos pés
    3. da cabeça
    4. da mão direita

  15. Caravaggio optou por traduzir a realidade das pessoas e suas emoções, sem se preocupar com as convenções que normatizavam na época a representação:

    1. do profano
    2. da moralidade
    3. do sagrado
    4. do mundano

Gabarito
1.b / 2.a / 3.d / 4.c / 5.b / 6.a / 7.c / 8.d / 9.b / 10.a / 11.c / 12.d / 13.b / 14.a / 15.c

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *