François Gérard – MADAME RÉCAMIER

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

O pintor italiano François Gérard (1770 – 1837) viveu em Roma até seus oito anos. Seu pai foi mordomo em várias casas ricas. Após o regresso de sua família a Paris, ele foi estudar com o pintor Jacques-Louis David, após completar 16 anos de idade, tornando-se seu aluno predileto. Ganhava a vida como retratista até que a Revolução Francesa fez com que buscasse a profissão de ilustrador, vindo a ilustrar trabalhos de Racine e de Virgílio. O artista, além de pintar retratos, era também formidável na criação de cenas históricas. Seus retratos eram tão bem elaborados, distantes do estilo clássico, que foi designado como pintor da corte do rei Luís XVIII.

A composição intitulada Madame Récamier é uma obra-prima do artista em que retrata Juliette Récamier, esposa de Jacques Récamier – um rico banqueiro quase 30 anos mais velho do que ela. O salão da família era um lugar que recebia os artistas e intelectuais opositores de Napoleão Bonaparte. Era muito influente nos círculos literários e políticos na metade do século XIX. Além disso, Juliette era uma mulher belíssima, admirada por muitos homens, sendo muito solicitada como modelo pelos pintores que trabalhavam com retratos.

François Gérard que levou em conta o romantismo do final do século XVIII, apresentou Juliette Récamier numa pose lânguida, sentada numa suntuosa poltrona “etrusca” com o corpo retorcido, voltado para o observador. Ela usa um vaporoso vestido longo branco – peculiar à época – que mal lhe cobre os pequenos seios e cujas ínfimas mangas descem-lhe pelos braços, deixando-a muito sedutora. Um enorme xale amarelo está aleatoriamente jogado sobre suas pernas. Seus finos pés estão descalços, um deles descansando sobre um banquinho. Atrás da retratada, uma cortina vermelha – funcionando como pano de fundo – repassa um tom rosado à sua pele. Ela sorri suavemente.

Para o fato de Madame Récamier ter contratado François Gérard para fazer um retrato seu, preterindo o de David (pintor neoclássico), existem muitas explicações:

  • Juliette não se sentiu satisfeita com o retrato encomendado ao pintor David, cuja representação achou fraca. Ela queria algo mais natural.
  • Juliette então solicitou a Gérard que à época era um dos mais famosos retratistas, para que lhe fizesse outro retrato.
  • David paralisou a criação da obra ao descobrir que François Gérard – seu aluno – tinha sido escolhido antes dele ,para pintar o retrato dela.
  • A busca por outro retratista por parte de Madame Récamier deveu-se à demora de David em terminar a obra contratada, o que a estava deixando impaciente.

O retrato encomendado a François Gérard foi um presente para o príncipe Augusto da Prússia, sobrinho de Frederico II, um dos admiradores de Juliette. Após a morte do príncipe, este retrato foi devolvido a Madame Récamier.  O interessante é que em razão de Juliette ter posado para Jacques-Louis David, reclinada num sofá – uma espécie de divã com cabeceira mais alta e delicadamente recurvada – é que esse tipo de mobiliário contemporâneo veio a receber o nome de “récamier”, presente hoje em muitas casas ricas.

Ficha técnica
Ano: 1802
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 225 x 145 cm
Localização: Museu Carnavalet, Paris, França

Fontes de pesquisa
Romantismo/ Editora Taschen
http://www.carnavalet.paris.fr/en/collections/portrait-de-juliette-recamier-1777-1849
https://en.wikipedia.org/wiki/Juliette_Récamier
https://www.wga.hu/html_m/g/gerard/4recamie.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *