O CAVALO BRANCO (Aula nº 88 D)

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de Lu Dias Carvalho

A composição intitulada O Cavalo Branco é uma obra de Henri Paul Gauguin (1848-1903). Foi pintada durante sua segunda permanência no Taiti, tendo se transformado num verdadeiro ícone. O artista era dono de um gosto decorativo, tendo desenvolvido uma nova ideia do uso da cor. Na sua tela ele apresenta três cavalos, um deles a beber água, enquanto os outros dois estão sendo montados em pelo por dois personagens nus. O artista usa os tons vermelho, alaranjado, azul e verde com extrema liberdade. Essa sua maneira de empregar as cores a transformou-se mais tarde na bandeira do fauvismo. As gravuras japonesas estiveram por um tempo muito na moda em Paris. E foi nelas que ele baseou a perspectiva desta obra.

O cavalo branco está pintado de verde acinzentado, porque a luz que incide sobre ele foi filtrada através das folhas verdes da grande árvore. É ele que dá título à composição. Encontra-se em primeiro plano, no meio de uma corrente de água azul-escuro que se principia grossa, quase na parte superior da tela, afina-se no meio e espalha-se ao atingir o último terço da composição. O animal traz as pernas dianteiras abertas, entre as quais enfia a cabeça para tomar água. Pode se tratar de um animal sagrado para os haitianos. Acima dele, à esquerda, um cavalo vermelho e seu cavaleiro encontram-se de costas para o observador. À direita encontra-se o cavalo marrom com seu cavaleiro, ambos de perfil, rumando em direção à água.

Uma enorme árvore, tida como certo tipo de hibisco, nasce à direita e segue na diagonal com seus ramos retorcidos, atingindo a parte superior de toda a tela. Na beira da água são vistas em primeiro plano outras formas de vegetação, como lírios e flores imaginadas pelo artista. Não se tem acesso ao céu e ao horizonte. Embora Gauguin gostasse de estar sempre em contato com a natureza, a cena vista é imaginária. É interessante saber que o homem que fez a encomenda da tela ao pintor, recusou-a, sob a alegação de que o cavalo era muito verde.

Ficha técnica
Ano: 1898
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 141 x 91 cm
Localização: Museu de Orsay, França, Paris

Fontes de pesquisa
Enciclopédia dos Museus/ Mirador
http://www.musee-orsay.fr/en/collections/works-in-focus/painting/ _id/the-white-horse-
http://www.gauguin.org/the-white-horse.jsp

7 comentaram em “O CAVALO BRANCO (Aula nº 88 D)

  1. Marinalva Autor do post

    Lu
    O Cavalo Branco do francês Guaguin (1898 ), entre galhos tortos das árvores e também de flores , mais dois cavaleiros nus que são usados como decoração ao cavalo branco que é o motivo principal da obra. O horizonte e o céu estão meio que escondidos nesse espaço ambiental denso. A cor verde, assim como a cor azul contrastam com a laranja e a rosa. Dão um efeito espetacular e intenso à ousada utilização de cores pelo artista. Expõe a ideia criativa do pintor em prefeito equilíbrio e harmonia, mostrando a criatividade magistral no uso de cores tão diferentes. A obra causa uma impressão maravilhosa, uma obra-prima da pintura Pós-impressionista.

    Responder
  2. Adevaldo R. Souza

    Lu

    Você tem razão, pois neste país devemos ficar “coelho”, pois existem muitos espertinhos. Vou ficar muito feliz se aquele que praticou lawfare “ficar uma arara”,quando “levar ferro”. Eles se acham no direito de ficar acima da lei, esquecendo que essa prática constitui uma ameaça a toda ordem jurídica e à estabilidade democrática.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Adevaldo

      Estou aqui com os meus botões, indagando quando a onça irá beber água no que refere aos crimes citados acima. Ferro neles!

      Abraços,

      Lu

      Responder
  3. Adevaldo R. Souza

    Lu

    Bela obra de Paul Gauguin mostrando sua grande capacidade de usar cores originais vivas, principalmente o vermelho, o verde e o amarelo. Nessa obra primitiva o personagem principal – o cavalo branco (mostrado magistralmente com sua cor alterada pela filtração das corres verdes das folhagens) realiza uma visão de equilíbrio compositivo com o azul-marinho intenso das águas, ramos retorcidos e a orquídea branca carnosa. Pena que o homem que encomendou a obra não entendia nada de arte pictórica.

    Abraço,

    Adevaldo

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Adevaldo

      Paul Gauguin foi um pintor inovador. Em sua biografia (presente neste site) verá que ele viveu muito tempo no Peru, onde aprendeu a conviver com a cultura primitiva. E foi exatamente este tipo de arte que ele buscou ao longo de sua vida, inclusive chegando a colocar sua família em segundo plano.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  4. Hernando Martins

    Lu

    Bela obra de Paul Gauguin, O Cavalo Branco, muito bem explicada através de seu texto.

    O cavalo branco apresentado na tela, com sua cor verde acinzentada, certamente pelos reflexos das árvores e do espelho de água embaixo,onde ele está bebendo água. A pessoa que encomendou a obra se recusou a adquiri-la em virtude de o cavalo não estar pintado de branco. Ela não entendeu a mensagem do artista. O espectador deve observar a obra com mais profundidade para entender a mensagem passada. Mitas pessoas conseguem até mesmo ver algo, mas não conseguem enxergar a essência.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Hernando

      A partir do Impressionismo foi que a arte deixou de ser literal, caminhando para o abstracionismo, como veremos nos estilos que virão. O comprador da obra recusada ainda estava apegado aos estilos que mostravam as coisas tais como eram. Para ele o cavalo tinha que ser como na vida real, mas Gauguin já estava deixando tal conceito para trás. Como disse você, ele foi incapaz de enxergar a essência.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.