POEMA PARA OS ENFERMEIROS

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

PIPI

Quem ousa dizer que não mais existem anjos,
se eles grassam por todos os cantos da Terra
com suas mãos de luz e coração compassivo,
levando alívio, consolo e amor aos locais mais
diversos, onde a tristeza e a dor imperam?

Quem pode falar que não mais existem anjos,
se eles deixam para trás seus entes queridos,
para socorrer os membros de outras famílias,
e mesmo cansados, explorados e esquecidos,
aliviam-nos no padecimento e na agonia?

Quem ousa dizer que não mais existem anjos,
se eles, com seus trajes suaves, acalmam os
enfermos, valendo-lhes o corpo com remédios
e o espírito com palavras de incentivo, mesmo
quando no próprio coração a tristeza governa?

Quem pode falar que não mais existem anjos,
quando lhes sustentam um mísero salário, são
logo esquecidos pelo bem que fazem, lesados
por um sistema capitalista feroz e, inda assim,
estão em seus postos, faça chuva ou sol?

Quem ousa dizer que não mais existem anjos,
se esses estão em todos os lugares da Terra,
abaixados sobre o leito dos doentes — alguns
esquecidos pelas famílias — diminuindo-lhes a
dor tenaz e o pranto que no rosto abatido rola?

Quem pode falar que não mais existem anjos,
se esses amparam todos os enfermos, mesmo
correndo o risco de infectarem-se e carrearem
doenças para suas preciosas famílias, quando
muitos familiares deles, receosos, afastam-se?

São tantos anjos de luz, compassiva legião do
bem; anjos divinos das mais diferentes idades,
circulando por todos os recantos desta Terra…

Alguns são bem novinhos, iniciando a jornada;
outros já bem experientes na sua caminhada.
Anjos negros, brancos, amarelos, morenos e
ruivos, todos luzindo como belos fachos de luz.

Anjos nos apartamentos e enfermarias; anjos
nos corredores e salas de cirurgias; anjos nos
serviços de urgência e postos de saúde; anjos
cuidadores de bebês e idosos; anjos nas salas
de exames e postos de atendimentos (SUS);
anjos nas beneficências e hospitais; anjos nos
serviços gerais — no céu, terra e ar.

Anjos em função da vida; anjos de todas as
plagas; anjos de diferentes locais. Benditos
sejam, filhos de luz! Arcanjos, querubins e
serafins; benditos sejam os enfermeiros da
Terra — ternos mensageiros de Jesus.

12 comentários em “POEMA PARA OS ENFERMEIROS

    1. LuDiasBH Autor do post

      Rosa

      Sem falar nos inúmeros que perderam a vida agora nesta pandemia do Covid-19.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  1. Mário Virgílio Savioli

    Lu

    Parabéns,você também é um anjo, pois com suas palavras conseguiu me emocionar e refletir que este momento é de oração.

    DEUS te Abençoe!

    Obrigado

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Mário

      Eu agradeço muitíssimo a sua visita e comentário.

      Nenhuma homenagem que se faça estará à altura de nossos abnegados enfermeiros.

      Grande abraço,

      Lu

      Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Conceição

      Agradeço a sua visita e comentário.

      Nossos heróis anônimos jamais podem ser esquecidos.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Adevaldo Rodrigues

    Lu

    Lindos versos e linda homenagem às aqueles(as) que só são lembrados(as) na hora da aflição.

    Um grande abraço.

    Devas

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *