POR QUE FICAMOS ANGUSTIADOS?

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria do Dr. Telmo Diniz

ortorex1
Chamamos de angústia uma forte sensação psicológica, caracterizada por “abafamento”, insegurança, humor irritadiço, opressão no peito e “fôlego curto”. A angústia é também uma emoção que precede algo, como um acontecimento, uma ocasião ou uma circunstância. A pessoa sente fisicamente que algo ruim ou inesperado poderá ocorrer. Pode, também, a angústia chegar através de lembranças traumáticas que ocorreram no passado. Seus sintomas podem simbolizar situações reais ou imaginárias.

Subitamente e sem aviso, prévio vem aquele aperto no peito e uma “falta de ar”. Surge em qualquer momento, hora ou lugar. Como se uma grande mão apertasse o peito. Em seguida, vem uma sensação bem esquisita de opressão. Você quer se livrar dela, mas não consegue. O coração acelera. Num determinado momento, você está bem e a apreensão surge sem pedir licença. Em outros, está associada a alguma preocupação ou sensação de insegurança. Se você vive um momento confuso ou difícil, a angústia pode se instalar, gerando medos e uma terrível insegurança. Em casos mais graves de angústia, a pessoa pode se sentir perseguida, com quadros típicos de paranóia.

Partindo para a filosofia da angústia, Arthur Schopenhauer tinha uma visão extremamente pessimista da vida, onde “viver é necessariamente sofrer”. Para ele, a própria vontade de ter algo é um mal, pois isso gera angústia e dor. Nietzsche, concluiu que “é preciso ter consciência de que a vida é, sim, uma tragédia, para que possamos desviar um instante os olhos da nossa própria indigência, desse nosso horizonte limitado, colocando mais alegria em nossas vidas”. Já Jean-Paul Sartre, filósofo francês, defendeu que a angústia surge no exato momento em que o homem percebe a sua condenação irrevogável à liberdade, isto é, o homem está “condenado a ser livre”. Ao perceber tal condenação, ele se sente angustiado em saber que é senhor de seu destino.

Filosofias à parte, para a ciência, mais especificamente para a psiquiatria, a angústia, se não tratada pode evoluir para a depressão. As pessoas, que apresentam quadro de angústia, e não têm acompanhamento profissional, desenvolvem outros distúrbios emocionais como cansaço físico e mental, comportamento inadequado e baixa autoestima. Ficamos angustiados por opção, por força de nossas próprias escolhas, por causa de coisas e pessoas. Assumimos compromissos financeiros que não podemos saldar, adquirimos bens pelos quais não podemos pagar. Tudo em busca de status. Compramos o que não precisamos com o dinheiro que não temos, para mostrar uma pessoa que não somos. O ato da compra é sublime e fugaz. A obrigação decorrente é amarga e duradoura. É angustiante.

O tratamento é feito com medicações psicotrópicas, tranquilizantes e/ou antidepressivos. Elas ajudam a pessoa a superar os sintomas que acompanham a angústia. Porém, a psicoterapia cognitivo-comportamental é de suma importância para a prevenção. Para as pessoas com religiosidade, sugiro que voltem a alimentar o espírito, com prática de atividades físicas, mais lazer e, principalmente, voltem a respirar fundo e ter fé em si, pois, todos podem ultrapassar os limites e superar medos e receios. A ansiedade é um tempo que não chega; a angústia, um tempo que não vai embora.

Nota: A Ansiedade, de Evard Munch

8 pensou em “POR QUE FICAMOS ANGUSTIADOS?

  1. Lucas

    Lu e Rosa

    Peço desculpas por estar ausente, encontrei muitas pessoas online que querem aprender sobre música, e muitas delas não têm dinheiro para pagar aulas, então estou ajudando todas elas de graça, por isso estava sem tempo para ler todo o texto e fazer um comentário sobre o tema.

    Nossos sentimentos são incontroláveis, tanto os bons quanto os ruins, porque normalmente estão ligados diretamente, ou indiretamente, a outras pessoas, como quando recebemos um “bom dia” daquela pessoa querida, ou quando ela nem nos toca o olhar. Quase que noventa por cento das vezes vivemos dependentes das ações de terceiros para que consigamos dar um sorriso ou soltar uma lágrima. A nossa vida nunca gira apenas em torno de nós mesmos.

    Sentir angústia sobre algo do passado é sinônimo de sermos humanos, pois sempre aprendemos com nossas ações, sempre julgamos a nós mesmos para que possamos ser melhores do que fomos no dia anterior, pensando que talvez, se tivéssemos agido de maneira diferente, teríamos uma vida diferente, se tivéssemos tratado uma pessoa de outra forma, talvez ela teria nos notado… Esse pensamento é um fantasma que assombra nossa mente a cada dia, mas não devemos nos julgar pela maneira com que as pessoas nos veem? Se já nem sequer conseguimos controlar a nós mesmos, como poderíamos controlar alguém? A vida não é sobre ser melhor ou pior, isso é uma questão de opinião, o que é ruim para alguém, é bom para outra pessoa. A vida é sobre ser verdadeiro, ser você mesmo, fazer sempre o que achar certo, independente de qualquer julgamento que isso venha a nos causar. Muitas pessoas vivem presas nesse labirinto do passado, tentando achar uma saída que nos leve direto à felicidade. A única saída é seguir em frente, pois um dia a saída é quem encontrará cada um de nós. Somos todos andarilhos, vivemos em um mundo de mentiras, tentando caminhar em cima da verdade, mas nem sempre pisamos no lugar certo.

    Não sou uma pessoa que liga muito para feriados, mas, “feliz dia da mulher” para todas vocês que são as mulheres mais guerreiras que já conheci. Na minha opinião o dia da mulher é todo dia, o que adiantaria se eu xingasse uma mulher todo dia, e hoje, por causa da data, lhe desse um buquê de flores?

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Lucas

      Parabéns pelo trabalho que está fazendo com as pessoas que querem aprender música. Se cada um de nós dedicasse um pouquinho de seu tempo, ajudando outras pessoas, estaríamos imensamente contribuindo para um mundo melhor. Você está sempre a surpreender-me. Mas não se afaste de nós por muito tempo. Também lhe agradeço por se lembrar de nosso dia, embora eu também não seja afeita a datas comemorativas.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Rosa

    Oi, Lu!

    Esta matéria veio em boa hora. Durante as manhãs eu acordo angustiada. Mas não é uma angustiazinha, não, é muita angústia. Normalmente depois de uma lembrança ruim ou de um pensamento de crítica ou de condenação. É muito ruim conviver com a angústia, principalmente quando é o primeiro sentimento do dia.

    Lu, te agradeço muito por este espaço.

    Grande abraço

    Rosa

    P.S E aquele jovem inteligente, Lucas, por onde anda?

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Rosa

      Sempre que colocarmos nossa felicidade nas mãos dos outros iremos passar por isso. Uma vez ciente de que suas ações não prejudicam ninguém, passe a não dar ouvidos a críticas ou condenações. Você deve ser sua própria juíza. Quanto mais crescemos espiritualmente mais a opinião de terceiros passam a não nos afetar. Quanto às lembranças ruins todos nós as possuímos. O que devemos fazer é buscar nelas algum ponto positivo e deixá-las no passado, lugar onde devem permanecer. Procure viver um dia de cada vez na maior leveza possível. Busque encontrar um ponto positivo em tudo que lhe acontece. Recomendo-lhe a leitura de dois livros que, embora pareçam destinados a adolescentes, possuem uma mensagem fantástica: POLYANA e POLYANA MOÇA. É possível encontrá-los na internete para baixar.

      Leia também os textos encontrados na categoria MENTE E CORPO (ver ÍNDICE).

      O Lucas está por aí. Também estou com saudades dele.

      Abraços,

      Lu

      Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Mário

      O Dr. Telmo tem nos trazido muitas boas informações.
      Sei que você gosta desses mestres.

      Abraços,

      Lu

      Responder
        1. LuDiasBH Autor do post

          Mário

          É verdade!
          São tantos os assuntos, que ando atrasada com alguns.

          Abraços,

          Lu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *