A PIMENTA E A LONGEVIDADE
Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria do Dr. Telmo Diniz

casimro2 53167891

Já falamos sobre os benefícios à saúde de algumas especiarias como o alecrim, o orégano e com especial destaque ao açafrão da terra (também conhecido como cúrcuma longa). Agora vamos falar um pouco sobre a pimenta e seus reais benefícios para a saúde. Os leitores que gostam de comida com pimenta vão ficar mais estimulados a consumir o produto e com maior frequência.

Refeições apimentadas podem ser um dos segredos da longevidade. Foi o que concluiu um estudo liderado por pesquisadores da Academia Chinesa de Ciências Médicas. Em um artigo publicado na revista “British Medical Journal” (BMJ), eles relataram que o consumo diário da especiaria está associado a um risco menor de mortes por câncer e em decorrência de doenças coronarianas ou respiratórias. O trabalho, que envolveu pessoas entre as idades de 35 e 79 anos (entre 2004 e 2008), sugere que a pimenta e seu ingrediente ativo (conhecido por capsaicina) produzem efeitos benéficos sobre o organismo, como combate à obesidade, com ações antioxidantes e anti-inflamatórias importantes.

Os pesquisadores examinaram a dieta de cerca de meio milhão de pessoas (em se tratando de China, isso é possível) e observaram que as pessoas que consumiam comida picante uma ou duas vezes por semana tinham uma redução de 10% no risco de morte na comparação com os que consumiam esse tipo de refeição menos de uma vez por semana. O risco foi reduzido ainda mais, em 14%, entre aqueles que consumiam comida picante entre três e sete dias por semana.

Os benefícios oferecidos pelo consumo da pimenta não é uma novidade. A medicina ayurvédica da Índia já se utilizava da pimenta para tratar de doenças. Considerando que ela serviu de base para a medicina tradicional chinesa e árabe, podemos concluir que o uso da planta na prevenção e no tratamento de doenças não é exclusividade dos nossos dias. Mas, para aqueles que preferem a credibilidade da ciência, vários estudos vêm comprovando que a planta pode auxiliar no emagrecimento, aliviar dores de cabeça, agir contra o reumatismo, o colesterol alto e até o câncer.

Sua contraindicação mais conhecida é a de provocar “azia” nas pessoas com problemas gástricos, porém isso se aplica somente em quem é portador de gastrite ou úlcera. De outra forma, e usada com moderação, tem benefício como um nutracêutico ou alimento funcional. Ou seja, é um alimento que têm benefícios diretos para a saúde. Seu poder mais conhecido é de ser uma substância antioxidante, auxiliando em doenças crônicas como câncer, diabetes e arteriosclerose. No primeiro caso promove a apoptose (“suicídio”) das células cancerígenas e nos outros ajuda na regulação da glicose. Ajuda também na digestão, pois com o aumento da salivação há uma potencialização das enzimas digestivas.

É reconhecidamente uma substância termogênica, promovendo gasto calórico, reduzindo assim o acúmulo de gordura abdominal e sendo ótimo auxiliar na perda de peso. É reconhecida por ajudar a combater quadros de depressão, pois durante seu consumo libera adrenalina e noradrenalina (a pessoa fica mais alerta). A capsaicina manipulada, em forma de pomadas ou cremes, é ótima para controlar dores articulares. Podemos ver que a pimenta pode não agradar a todos, mas que faz bem, isso faz!

4 comentários sobre “A PIMENTA E A LONGEVIDADE

    1. LuDiasBH Autor do post

      Marco

      Eu também.
      A minha preferida é a malagueta.
      Até fiz um poema sobre pimenta… risos.

      Abraços,

      Lu

      Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Mário

      E que refresco bom para a saúde.
      Também gosto muito.
      A malagueta é a minha favorita.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *