Almeida Júnior – LEITURA

Autoria de Alfredo Domingo

letura

José Ferraz de Almeida Júnior (Itu, 8 de maio de 1850 – Piracicaba, 13 de novembro de 1899) foi um ilustre pintor brasileiro da segunda metade do século XIX, sendo frequentemente aclamado, pela historiografia, como o precursor da abordagem de temática regionalista, introduzindo assuntos até então inéditos na produção acadêmica brasileira: o amplo destaque conferido a personagens simples e anônimos e a fidedignidade com que retratou a cultura caipira, suprimindo a monumentalidade, em voga no ensino artístico oficial, em favor do naturalismo.

Foi certamente o pintor que melhor assimilou o legado do realismo de Gustave Courbet e de Jean-François Millet, optando por temas do cotidiano, rejeitando a grandiosidade histórica do romantismo. Distanciou-se, portanto, das consagradas grandes cenas, inclusive das passagens bíblicas.

Pintou, também, o nosso artista, um vasto conjunto de pessoas com livros, enfocando as ideias de intelectuais e políticos acerca da educação, naquela época. Havia a preocupação de Almeida Júnior com a questão de a mulher ser dotada de apurada informação, intelectualizada, ombro a ombro com os homens, sem se descuidar, contudo, das atividades domésticas.

A composição do pintor, que ilustra este texto, chama-se “Leitura”, o que reúne dois componentes importantes do blog “Vírus da Arte & Cia.”, literatura e artes plásticas. Podem ser observados alguns detalhes capitais da obra:

• uma mulher jovem lendo um livro, a única figura humana do quadro;
• uma capa na cadeira vazia, que provavelmente representa a presença de outra pessoa, porém, ausente fisicamente;
• terra cortada por um riacho; a religiosidade representada pela igreja no alto do morro, ao fundo, numa paisagem absolutamente rural;
• a luxuosa residência, à esquerda, em contraste com o ambiente do campo, que possivelmente era o antigo Teatro São José, em São Paulo;
• a retratada muito bem vestida, provavelmente integrante de alta classe social, dos donos de propriedades;
• a dedicação à leitura, com auxílio de papéis para estudo ou anotações;
• a longa trança da moça, que acreditamos, pela época, ser de verdade, o que lhe empresta mais um sinal de zelo com a elegância;
• e a predominância de tons pastel, estando em destaque o céu totalmente suave, compondo o cenário campestre, bem característico do século XIX.

Infelizmente, a vida e a carreira de Almeida Júnior foram tragicamente truncadas a 13 de novembro de 1899, quando o artista caiu apunhalado, diante do Hotel Central de Piracicaba, por José de Almeida Sampaio, seu primo e marido de Maria Laura, o qual acabara de descobrir a ligação amorosa que existia, havia longos anos, entre a mulher e o pintor. Maria Laura, aliás, serviu de modelo para a “Leitura”, entre outros quadros de Almeida Júnior.

Ficha técnica
Ano: 1892
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 95 x 141 cm
Localização: Pinacoteca do Estado de São Paulo (Procedência: Museu Paulista)

Fontes de pesquisa
www.pitoresco.com,
www.editorarevistas.mackenzie.br
Wikipédia

2 comentários sobre “Almeida Júnior – LEITURA

  1. LuDiasBH Autor do post

    Alf

    A composição de Almeida Júnior é realmente muito bonita.
    E que ironia do destino, Maria Laura ter sido modelo de seus inúmeros quadros.
    Fico sempre triste, quando vejo um talento partir tão cedo.
    Almeida Júnior teve apenas meio século de vida.

    Gostei muito do seu texto sobre pintura.
    Você o fez com maestria.
    Aliás, perfeição é tudo o que busca em seus trabalhos enviados.
    Sua técnica é impecável, sempre.
    Espero que nos traga muito mais obras sobre pintura.

    Abraços,

    Lu

    Responder
    1. Alfredo Domingos

      Obrigado, querida Lu.
      Faço força para corresponder à grandeza do blog, que tem excelente nível.
      Almeida Júnior deixou obra valiosa, mas teve lá suas traquinagens, que acabaram redendo-lhe a morte. Pena!
      Abraço,
      Alfredo Domingos.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *