Antonino – TRAFICANTES DE ANIMAIS SILVESTRES

Siga-nos nas Redes Socias:
Instagram

Autoria de LuDiasBHtrafinimO artista brasileiro Antonino Luiz da Silva conta como se inspirou para criar Traficantes de Animais Selvagens que, na verdade, expressa um grito de socorro para que as autoridades constituídas deste país tomem medidas rígidas no intuito de salvar nossos animais silvestres, em especial as aves raras, retirando-as das mãos dos contrabandistas. Tem também, por objetivo, chamar a atenção do observador para um problema tão cruciante.

A figura central da composição é o grande caçador, que traz preso ao pé um pequeno e tristonho pássaro. O caçador menor prende duas outras aves na sua única orelha. Na parte direita da obra encontra-se uma gaiola, que simboliza o perigo a que estão sujeitos os animais, ou seja, o cativeiro. Espalhadas em volta do lago estão algumas flores, simbolizando a esperança de que as coisas possam mudar em relação a eles. Atrás da gaiola, em segundo plano, está um pescador, debaixo de uma árvore. A escada à direita, na parte inferior da tela, representa o elo de ligação entre os caçadores e seus barcos, através dos quais eles fogem, levando cativos os animais para vendê-los nos grandes centros ou  traficá-los para outros países.

Entrevista com o artista:

LuDiasBH – Antonino, como nasceu a inspiração para este quadro?
Antonino – A ideia para o quadro nasceu quando li uma reportagem, publicada num jornal, sobre a crueldade dos traficantes de animais e que dizia: “No Sul da Bahia e em outras regiões do Brasil, especialmente onde ainda existe uma concentração de matas, tem aumentado, de forma significativa, a ação dos traficantes de animais silvestres. Muitas dessas aves são acondicionadas em pequenas gaiolas, mal alimentadas e dopadas pelos traficantes para facilitar o transporte. Algumas aves raras do Brasil, como canários-da-terra, trinca-ferro, arara-azul, sabiá-da-praia, dentre outros, são levados para a Europa e vendidos a peso de ouro, o que faz crescer a cobiça dos traficantes e o risco de extinção das espécies.”.

LD – O que você quis mostrar nesta composição?
Antonino – Neste quadro é possível notar a ação dos traficantes, em um local que se encontra em estado de degradação ambiental, em consequência da ação descontrolada do homem para com a natureza.

LD – Por que os olhos são sempre destacados em sua obra?
Antonino – Dizem que os olhos são a janela da alma.  Na minha concepção, eles são de grande importância para caracterizar e dar vida aos personagens. Como cada figura tem sua individualidade, é única, tento expressar isto também quando faço a pintura dos olhos. Nosso mundo tem luz, beleza, cores, graças aos nossos olhos, sem eles só existe a escuridão total.

LD – Como se processou a realização deste quadro?
Antonino – Primeiramente foi necessária a preparação do rascunho, estudo preliminar e, em seguida, houve a transferência do esboço para a tela. Característica que mostra a minha grande preocupação com o desenho. Para este quadro, todo o processo do desenho na tela levou aproximadamente um dia.  A pintura se desenvolveu de forma natural, com a minha atenção voltada para aplicação e combinação das cores. Após sua conclusão, levei pelo menos umas duas horas fazendo a análise final, com a alteração de algumas cores, quando necessária, assim como o destaque no contorno dos desenhos, o aprimoramento dos detalhes, a correção dos defeitos, etc. Para finalizá-lo, foram necessários, aproximadamente, 30 dias.

LD – Como o artista consegue visualizar e sentir sua criatividade?
Antonino – De minha parte, sinto que a criatividade é como um líquido de várias cores que caminha pelo corpo do artista, energizando-o, até chegar ao cérebro. E o leva a viver momentos de êxtase e prazer na concretização de suas ideias. Jogar com a fantasia faz parte do universo artístico. É nesse momento que o adulto volta a ser criança para que o inconsciente, os sonhos e as visões virem realidade. Constantemente sinto um desejo de criar formas, são imagens que surgem para realizar um diálogo entre a realidade, a fantasia e o imaginário.

LD – Qual é a técnica empregada por você nesta obra?
Antonino – A pintura que venho realizando é feita exclusivamente com tinta acrílica sobre tela. Nesta técnica, as emulsões de polímeros aglutinam os pigmentos e formam películas altamente estáveis para a secagem e, pelo fato de as misturas serem feitas em grande parte com água, as tintas são menos tóxicas. Sua aplicação não apresenta nenhuma dificuldade, desde que a água seja misturada numa proporção que deixa a tinta pastosa, ou mais diluída, segundo o interesse expressivo do artista. Para as minhas pinturas, a tinta pastosa se apresenta mais adequada e de fácil aplicação.

LD – O que representa a pequena pena na margem esquerda da composição?
Antonino – Ela está presente em todos os meus quadros, representa a minha assinatura. Nesta obra ela se encontra viva.

Ficha técnica
Titulo: Traficantes de animais silvestres
Técnica: Pintura sobre tela com tinta acrílica
Dimensões: 120 x 140 cm
Ano de produção: 2005
Localização: Acervo do Museu Antonino, Paris, França
Site: www.antoninomuseum.com

2 comentários sobre “Antonino – TRAFICANTES DE ANIMAIS SILVESTRES

  1. Moacyr

    O quadro de Antonino é muito bonito, além de tratar de um tema muito sério, que precisa ser olhado com urgência pelas autoridades brasileiras.

    Responder
  2. LuDiasBH Autor do post

    Esta entrevista foi feita virtualmente com Antonino.
    Eis aí uma das maravilhas da internet.
    E é sempre bom encontrar um artista com este grau de compromisso com o planeta Terra.
    Ele realmente merece muito sucesso.

    Lu

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *