CORPO – A PERFEIÇÃO INATINGÍVEL

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria do Dr. Telmo Diniz

mandi123     mandi1234

O culto ao corpo mostra-se como uma característica dos tempos atuais, e encontra-se centrado na busca diária por uma silhueta perfeita, capaz de superar qualquer problema, e corresponder a qualquer expectativa. A busca doentia por formas esculturais pode ter várias causas, como fatores individuais, familiares e culturais; além, é claro, de explicações históricas. Neste sentido, especificamente no Brasil, desde a Independência até os dias atuais, os modelos de beleza têm se modificado e adaptado ao contexto econômico e social. No século XIX, por exemplo, quando a culinária primava pelo alto teor calórico, o padrão corporal feminino desejado era o de formas mais arredondadas. As mais gordinhas eram o padrão aceitável da época. E realmente eram bonitas! Basta olhar os quadros e afrescos da época.

Já a partir dos anos 60, o que observamos é a construção de uma imagem feminina esquálida, materializada nas manequins e modelos, que vêm assumindo contornos cada vez menores. No começo dos anos 80, o incremento da busca pela magreza já era nitidamente percebido. Agora, no final do século XX e início do século XXI, o culto ao corpo perfeito é fato notório. A busca por um corpo sem defeitos é realizada de maneira obsessiva, transformando-se em um estilo de vida, especialmente para as mulheres. O preconceito contra a obesidade é grande, e a magreza é ligada à imagem feminina de sucesso, de competência e de autocontrole.

Pesquisas recentes, realizadas em diversos países, demonstram a existência de uma relação entre o culto ao corpo e os índices de anorexia e bulimia nervosa. A busca por um padrão estético globalizado de magreza, segundo os estudiosos do assunto, tem intrínseca relação com esses transtornos alimentares. No mundo contemporâneo, a globalização e a mídia, em todas as suas formas de expressão, vêm desempenhando, como nunca, papéis na construção deste modelo físico. Personalidades, atrizes e modelos esbeltas, com alta estatura e musculatura definida ditam o ideal corporal que deve ser aceito e seguido. Portanto, são preocupantes os dados sugeridos pelas pesquisas em relação ao alto grau de insatisfação corporal, aos índices de transtornos alimentares, à obesidade, a comportamentos alimentares de risco e ao uso de medicamentos anorexígenos e laxantes, em idades cada vez mais jovens.

Entendo que os cuidados com o corpo são importantes e essenciais não apenas no que se refere à saúde, mas também nas exigências da sociedade. O problema reside na propagação de um ideal inatingível, bem como em culpar o indivíduo que não atingiu este ideal. Acredito que a família, os profissionais da saúde e os educadores devem estar atentos aos nossos jovens, estabelecendo continuamente um clima de diálogo, informando o risco para o desenvolvimento de transtornos alimentares. Devemos também estimular e valorizar, nas crianças e adolescentes, outros valores que não o ideal doentio de beleza. Se pudesse dar um conselho seria para não se preocupar com a perfeição, pois você nunca irá consegui-la.

Nota: Depois do Banho, obra de Renoir, imagem à esquerda; modelo, imagem à direita.

8 comentários sobre “CORPO – A PERFEIÇÃO INATINGÍVEL

  1. Patricia

    Oi, Lu

    Os homens suas futilidades e seus falsos padrões. Onde vamos chegar? Nosso corpo deve e merece ser muito bem cuidado para que tenhamos qualidade de vida não importa qual seja sua forma ou cor. A imagem de um corpo perfeito foi criada pela ilusão do homem, que adora cultivar formas e modelos. No ritmo que a humanidade caminha este conceito ainda perdurará por muito tempo. Cabe a nós, conscientes de padrões distorcidos, passarmos aos jovens, crianças e até adultos, o quanto somos vulneráveis e frágeis.

    Beijos

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Patrícia

      A grande maioria das mulheres vivem apenas para agradar o sexo masculino, sem jamais se preocupar com o bom senso. Como sabiamente coloca você, devemos nos preocupar é com a qualidade de vida, ou seja, possuir um corpo saudável, que nos possibilite viver melhor, pois o resto é puro modismo, padrões distorcidos…

      Beijos,

      Lu

      Responder
  2. Beth

    Oi, LU
    As pessoas estão sem opinião e sem autocrítica. Infelizmente seguem padrões impostos por uma mídia vazia.

    Beijos

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Beth

      É a mais pura verdade. As pessoas contentam-se apenas com as aparências, e perdem a noção do ridículo.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  3. Matê

    Estamos entre dois opostos: a ditadura da moda,que exige modelos altos e magros.
    Por outro lado,as tristes celebridades exibindo corpos sarados e “popozudas”
    Uma futilidade só.
    Abraços
    Matê.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Matê

      É realmente triste ver o comportamento das celebridades, que são vistas como modelos para adolescentes e para as “cabeças de vento”.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  4. Glaucia

    Oi, Lu. É uma pena que a busca por corpos perfeitos não se estenda para boas leituras e comportamentos mais éticos. Seria, no bom sentido, um esforço mais válido. A busca pela saúde e não simplesmente pela estética.
    Beijos,
    Glaucia.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Glaucia

      Você está coberta de razão.
      Mas boa leitura e comportamentos éticos “dão trabalho”.

      Beijos,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *