A FESTA DE BALTAZAR (Aula nº 72 D)
Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

                                                      (Clique na imagem para ampliá-la.)

 O pintor holandês Rembrandt Harmenszoon van Rijn (1606-1669) nasceu na cidade de Leida, próxima a Amsterdã. Seu pai era moleiro e sua mãe filha de padeiro. Era o penúltimo dos 10 irmãos. Foi na Escola Latina — dos 7 aos 14 anos de idade — que o futuro pintor recebeu sua primeira educação formal. Daí seguiu para a universidade, a qual abandonou num período de poucos meses, pois sua vocação era outra: a pintura. Tornou-se aluno do pintor holandês Jacob van Swanenburgh após a volta desse da Itália, onde havia passado um longo período, demonstrando grande interesse pelo Renascimento italiano. Seduzido pelo estilo italiano, passou a frequentar o ateliê de outro mestre, Jacob Symonszoo Pynas, também adepto do mesmo estilo. Veio depois a morar em Amesterdã por um período de seis meses, onde frequentou o estúdio de Pieter Lastman, que havia trabalhado junto a Caravaggio e seus alunos, sendo um conceituado pintor de histórias bíblicas e cenas mitológicas. Segundo E.H. Gombrich, Rembrandt é o maior pintor da Holanda (Países Baixos) e um dos maiores que a arte já conheceu. Nossa aula de hoje diz respeito a uma de suas obras-primas, famosa em todo o mundo. Primeiramente é necessário acessar o link Rembrandt – A FESTA DE BALTAZAR e ler o texto com muita atenção, sempre voltando a esse quando se fizer necessário.

  1. A composição A Festa de Baltazar foi pintada por Rembrandt, quando esse tinha 30 anos de idade. Mostra a grande influência que o artista recebeu dos pintores:

    1. alemães
    2. italianos
    3. franceses
    4. suíços

  2. A temática da composição é:

    1. bíblica
    2. histórica
    3. científica
    4. mitológica

  3. Rembrandt retrata a cena em que o rei Baltazar em ………………, no século VI a.C., realiza um faustoso banquete para as figuras mais importantes do reino, onde também se encontram suas esposas e concubinas.

    1. Constantinopla
    2. Bizâncio
    3. Roma
    4. Babilônia

  4. Marque a opção incorreta em relação ao acontecido, de acordo com a narrativa relativa ao fato:

    1. O rei e os convidados encontravam-se excitados pelo excesso de vinho.
    2. O templo em questão possuía muitos vasos sagrados.
    3. O rei exige que os convidados não se aproximem dos vasos sagrados.
    4. Os convidados deviam blasfemar contra os judeus.

  5. Sobre a mão que aparece na parede não é correto afirmar que:
    1. Indica os escritos na parede.

    2. Escreve sinais na parede.
    3. Encontra-se próxima do rei e dos convivas.
    4. Apenas uma mão aparece.

  6. Segundo a história, o rei mandou buscar os sábios de seu país para decifrar a escrita, mas nenhum conseguiu esclarecê-la. Ele mandou então buscar ………….. — prisioneiro trazido da Judeia — que a decifrou.

    1. Sansão
    2. José do Egito
    3. Daniel
    4. Melquisedeque

  7. Estão retratados na composição …… personagens:

    1. oito
    2. sete
    3. seis
    4. cinco

  8. São afirmativas corretas em relação aos personagens presentes na cena, exceto:

    1. Uma mulher derrama o líquido de sua taça.
    2. Uma menina toca uma flauta.
    3. Um homem barbudo arregala os olhos, surpreso.
    4. Uma mulher com o chapéu de plumas olha para Baltazar.

  9. Ao ver o escrito na parede, o rei Baltazar mostra-se:

    1. alegre
    2. surpreso
    3. tranquilo
    4. enraivecido

  10. São afirmativas corretas acerca da inscrição na parede, exceto:

    1. Está escrita em letras hebraicas.
    2. É a principal fonte de luz da obra.
    3. Chama a atenção do observador.
    4. Encontra-se à direita do rei.

  11. São afirmativas verdadeiras sobre o rei Baltazar, exceto:

    1. Domina a maior parte do espaço.
    2. Levanta-se bruscamente com o braço direito erguido.
    3. Procura se proteger da visão.
    4. Seu corpo está apoiado sobre a mão direita.

  12. Ainda sobre o rei Baltazar, não podemos afirmar que:

    1. Sua mão direita que esbarra numa grande baixela de ouro e prata.
    2. Ele também derruba o copo de vinho à sua direita.
    3. A rotação de seu corpo indica que se achava de costas para os comensais.
    4. Vira-se repentinamente em direção à luz na parede atrás de si.

  13. A mulher que leva o observador a deslizar seu olhar pela nuca, colo e decote, aparenta-se cheia de surpresa e horror, é a que:

    1. Usa um chapéu de plumas.
    2. Derrama uma taça de vinho
    3. Usa uma tiara de pérolas.
    4. Nenhuma das citadas.

  14. O rosto da garota tocando flauta é iluminado:

    1. pelo turbante de Baltazar
    2. pela luz vinda do escrito
    3. por uma das plumas do chapéu de uma das mulheres
    4. pela tiara de pérolas de uma das mulheres.

  15. A mão que escreve a mensagem e a de Baltazar encontram-se próximas, assim como a da mulher que derrama sua taça de vinho. Isto significa que o artista:

    1. Encantava-se com as possibilidades expressivas das mãos.
    2. Elegeu as mãos como pontos principais da composição.
    3. Quis ressaltar o medo do rei Baltazar.
    4. Via as mãos como a parte mais importante do corpo.

  16. Mensagens criptografadas desse tipo faziam parte da prática …………….., ciência oculta dos judeus, e a questão de saber por que alguns podiam ler o texto e outros não ocupou intensamente muitas mentes brilhantes do século XVII.

    1. da Bíblia
    2. da Torá
    3. da Cabala
    4. do Alcorão

  17. Entre as 50 pinturas (AS 50 PINTURAS MAIS FAMOSAS DO MUNDO EM DETALHES) mais famosas do mundo, Rembrandt possui duas composições. Marque a segunda:

    1. Pietà
    2. Jogos Infantis
    3. Lição de Anatomia do Dr. Tulp
    4. A Vocação de São Mateus

Gabarito
1.b/ 2.a/ 3.c/ 4.c/ 5.a/ 6.c/ 7.c/ 8.d/ 9.b/ 10.d/ 11.b/ 12.c/ 13.b/ 14.c/ 15.a/ 16.c/ 17.c

 

6 comentaram em “A FESTA DE BALTAZAR (Aula nº 72 D)

  1. Marinalva

    Lu
    “A Festa de Baltazar”, obra do pintor Rembrandt (1606 -1669), do período Barroco, é uma arte cristã, é uma obra muito expressiva, onde observamos um alto teor de dramaticidade e também mistério. O pintor sabe usar a luz e a sombra com maestria. Ora usa tons claros, ora usa sombras. A mão misteriosa, as expressões de espanto e desespero no semblante dos personagens são muito reais. O pintor também se preocupou com os mínimos detalhes: os objetos que estão ao redor, as vestimentas de cada personagem e o destaque de cada um, com as nuances perfeitas no jogo das cores. Rembrandt conseguiu transmitir sentimentos nas expressões, transmitindo para a obra seus próprios sentimentos, daí podermos observar, sentir e admirá-la.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Marinalva

      Rembrandt foi um dos grandes mestres do Barroco. Suas obras são magníficas, carregadas de muita emoção, como você bem explica em seu comentário. Este é um dos seus trabalhos mais famosos, situando-se entre as 50 pinturas mais famosas do mundo.

      Um grande abraço,

      Lu

      Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Samara Silva

      Agradeço a sua visita e o seu comentário. Vou visitar o seu espaço com muito prazer.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Adevaldo R. de Souza

    Lu
    Você nos brindou com uma bela obra de Rembrandt. “A Festa de Baltazar” nos transmite uma mensagem moral bíblica, com os traços das imperfeições humanas, através da expressividade do rei Baltazar, mostrando medo ou até pavor. Imagino que essa é a expressão de ditadores, quando veem seu império ruir. Baltazar foi derrotado por Dario, que foi derrotado pelos gregos e sucedido por Xerxes (que se considerava Deus) que também foi derrotado pelos gregos. Na era atual Hitler, Bonaparte, Mussolini, Pinochet e outros mais, com certeza demonstraram a mesma expressividade de Baltazar, assim como outros filhotes da ditadura irão mostrar quando perderem seus poderes.

    Chamou a minha atenção a mensagem recebida pelo rei Baltazar, pois nos leva a crer que a mão de Deus escreve a inscrição contra si mesmo, como uma pessoa escreveria em sua barriga: isso pode significar que Deus escreve por trás da composição com letras luminosas como fendas, por onde a luz divina se irradia para o ambiente.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Adevaldo

      Esta é uma das obras-primas do grande mestre holandês Rembrandt. É interessante notar como a pintura é cheia de ação, ação essa que é repassada ao observador com grande intensidade. A gente tem a impressão de que a cena é viva, acontecendo diante de nossos olhos. É impossível ficar alheio à cena.

      Achei muito interessante o fato de você trazer um pouco da história de Baltazar. Eu não sabia disso. Você nos mostra que a história da humanidade é cíclica. Não há mal que perdure por muito tempo. Ao ligar a história desses governantes aos de nossos tempos você demonstra a sua perspicácia em relação à história humana. Gosto deste paralelo tão comum em seus comentários. Quanto à explicação da mão de Deus, você poderá encontrá-la no texto de origem, inclusive com a tradução da frase.

      Grande abraço,

      Lu

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *