LIÇÃO DE ANATOMIA DO DR. TULP (Aula nº 72 C)

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

                                             (Cliquem na imagem para ampliá-la.)

O pintor holandês Rembrandt Harmenszoon van Rijn (1606-1669) nasceu na cidade de Leida, próxima a Amsterdã. Seu pai era moleiro e sua mãe filha de padeiro. Era o penúltimo dos 10 irmãos. Foi na Escola Latina — dos 7 aos 14 anos de idade — que o futuro pintor recebeu sua primeira educação formal. Daí seguiu para a universidade, a qual abandonou num período de poucos meses, pois sua vocação era outra: a pintura. Tornou-se aluno do pintor holandês Jacob van Swanenburgh após a volta desse da Itália, onde havia passado um longo período, demonstrando grande interesse pelo Renascimento italiano. Rembrandt, seduzido pelo estilo italiano, passou a frequentar o ateliê de outro mestre, Jacob Symonszoo Pynas, também adepto do mesmo estilo. Veio depois a morar em Amesterdã por um período de seis meses, onde frequentou o estúdio de Pieter Lastman, que havia trabalhado junto a Caravaggio e seus alunos, sendo um conceituado pintor de histórias bíblicas e cenas mitológicas. Nossa aula de hoje diz respeito a uma de suas obras-primas, famosa em todo o mundo. Primeiramente é necessário acessar o link Rembrandt – LIÇÃO DE ANATOMIA DO DR. TULP e ler o texto com muita atenção, sempre voltando a esse quando se fizer necessário.

  1. Esta é uma das mais conhecidas obras-primas do famoso pintor Rembrandt. Foi-lhe encomendada pela corporação dos cirurgiões de:

    1. Paris
    2. Berlim
    3. Amsterdã
    4. Bruxelas

  2. Em sua composição o artista representa …… personagens e …… cadáver(es).

    1. oito/ um
    2. dez/ dois
    3. nove/ um
    4. sete/ dois

  3. Existem suposições de que duas das figuras foram acrescidas depois da obra pronta, assim como a lista. Seriam elas:

    1. A da direita e a que se situa num plano mais alto.
    2. A da esquerda e a que se situa num plano mais alto.
    3. As duas figuras recurvadas à cabeça do cadáver.
    4. As duas figuras à direita do cadáver.

  4. A lista onde se encontram os nomes dos participantes encontra-se:

    1. aos pés do cadáver
    2. na mão do Dr. Tulp
    3. estampada na parede
    4. na mão de um dos alunos

  5. O doutor Nicolaes Tulp, responsável por convidar Rembrandt para pintar sua aula anual de anatomia, apresenta a dissecação anatômica:

    1. de um braço
    2. de um antebraço
    3. da barriga
    4. do coração

  6. Dr. Tulp mostra aos presentes à sua aula:

    1. os tendões da mão
    2. os ossos rádio e ulna
    3. o grande osso úmero
    4. o músculo do coração

  7. O médico usa a mão direita para pinçar o objeto de sua aula e com a esquerda demonstra aos observadores como se dá:

    1. a tração e retração do úmero
    2. o alongamento da pele
    3. a flexão do rádio e ulna
    4. a flexão e pressão dos dedos

  8. A história diz que o cadáver era o de um homem chamado Adriaan que foi morto por:

    1. afogamento
    2. enforcamento
    3. envenenamento
    4. atropelamento

  9. Sobre a pintura não é possível afirmar que:

    1. Os modelos presentes na composição foram pintados individualmente.
    2. Os figurantes foram pintados no ateliê do artista.
    3. O braço dissecado foi pintado durante a autópsia.
    4. A obra não é uma montagem, já que foi feita em duas partes isoladas.

  10. Sobre o ambiente onde acontece a dissecação não podemos afirmar que:

    1. A composição está centrada meramente na ação que ali acontece.
    2. O ambiente em derredor é de suma importância na obra do artista.
    3. Rembrandt eliminou todo o excesso, deixando só o essencial à cena.
    4. Somente o médico encontra-se de frente para o observador.

  11. Sobre a vestimenta dos personagens não está correto afirmar que:

    1. O doutor Tulp não é o único a usar chapéu.
    2. Os espectadores vestem roupas escuras com golas brancas.
    3. A roupa do Dr. Tulp difere das demais.
    4. Todos os presentes usam barba, excetuando o cadáver.

  12. A posição mais afastada do médico, enquanto os demais personagens encontram-se amontoados, reforça:

    1. A sua familiaridade com o grupo seleto.
    2. A necessidade de distância para a demonstração.
    3. A necessidade de ter uma posição mais visível para o pintor.
    4. A importância que detinha dentro do grupo.

  13. Sobre o corpo em estudo não podemos afirmar que:

    1. Ocupa grande parte da tela, quase numa diagonal.
    2. Sua nudez e posição rígida contrastam com a posição dos demais.
    3. Os olhos estão parcialmente encobertos por uma sombra.
    4. Tem apenas a parte do baixo ventre coberta com um tecido cinza.

  14. o tratado de anatomia, cuja presença denota o caráter científico da aula, encontra-se:

    1. na mão de um dos presentes
    2. próximo aos pés do corpo sem vida
    3. debaixo do braço do Dr. Tulp
    4. pendurado na parede

  15. A figura central da cena é:

    1. Dr. Tulp
    2. o aluno no topo da pirâmide
    3. o corpo sem vida
    4. o homem mais velho do grupo

  16. A maior parte da luz presente no ambiente recai sobre:

    1. Dr. Tulp
    2. o cadáver
    3. um dos alunos
    4. o tratado de anatomia

  17. No gênero dos retratos de grupo normalmente era usado o alinhamento dos retratados, ou seja, todos alinhados no mesmo plano, mas aqui Rembrandt aglomerou-os em torno da cabeça do morto numa configuração de:

    1. círculo
    2. retângulo
    3. pirâmide
    4. losango

  18. Sobre os observadores retratados não podemos afirmar que:

    1. Os olhares de alguns não acompanham o doutor Tulp.
    2. Dois deles, inclinados sobre o cadáver, acompanham as explicações com interesse.
    3. Os olhos dos participantes foram trabalhados com perfeição.
    4. As figuras estão de perfil, meio perfil e de frente.

  19. Apenas uma das afirmativas abaixo acerca da obra não procede:

    1. A dissecação é feita sem observar o procedimento legal, pois deveria começar pela remoção do estômago e do intestino do cadáver.
    2. Este tipo de pintura é conhecido como “momento mori” que quer dizer “Lembre-se de que você morrerá”.
    3. As aulas de anatomia eram tidas como eventos públicos, tendo as pessoas interessadas que pagar ingressos para entrar no anfiteatro, onde elas aconteciam.
    4. Dr. Nicholas Tulp, médico em Paris, era treze anos mais velho do que Rembrandt.

  20. Comumente dava-se início a uma aula de anatomia com a advertência: “Conhece-te a ti mesmo.” Acreditavam as pessoas da época nos Países Baixos que ao estudar o homem e suas criações, melhor entendimento teriam:

    1. de Deus
    2. da Ciência
    3. do Universo
    4. do Terraplanismo

  21. Entre as 50 pinturas (AS 50 PINTURAS MAIS FAMOSAS DO MUNDO EM DETALHES) mais famosas do mundo, Rembrandt possui duas composições. Marque a segunda:

    1. Moça com Brinco de Pérolas
    2. Mona Lisa
    3. A Festa de Baltazar
    4. O Triunfo de Galateia

Gabarito
1.c/ 2.a/ 3b/ 4.d/ 5.b/ 6.a/ 7.d/ 8.b/ 9.d/ 10.b/ 11.a/ 12.d/ 13.d/ 14.b, 15.c/ 16.b/ 17.c/ 18.d/ 19.d/ 20.a/ 21.c

4 pensou em “LIÇÃO DE ANATOMIA DO DR. TULP (Aula nº 72 C)

  1. Adevaldo R. Souza Autor do post

    Lu

    Vi esse outro belo trabalho de Rembrandt e respondi o questionário. É uma obra-prima muito interessante por abordar o tema de dissecações de corpos que à época era aberta ao público que pagava ingresso para assistir. Para mim esse quadro foi retratado de uma maneira muito realista e gostei de sua alternativa de valorizar os personagens sem se importar com o derredor, utilizando a técnica de luz e sombra.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Adevaldo

      Este trabalho foi extremamente realista para a época. O histórico da obra (como foi feita e como aconteceu) também é muito importante. Rembrandt foi realmente um grande mestre do Barroco.

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Marinalva Autor do post

    Lu

    O pintor de “Lição de Anatomia do Dr. Tulp”, nesta pintura a óleo sobre tela, usou a técnica do chiaroscuro. A luz e a sombra produziram efeitos de realismo . É só observar a tensão dos rostos, tendo o cadáver no ponto central se destacando. A posição estratégica das pessoas, as cores claras , com acentuada palidez, compuseram um ambiente construído com detalhes perfeitamente distribuídos.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Marinalva

      Esta é uma das mais belas pinturas de Rembrandt. É famosa em todo o mundo. Para a época é extremamente realista, assim como as obras barrocas de Caravaggio, de quem Rembrant era admirador.

      Um grande abraço,

      Lu

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *