A MULHER, A VIUVEZ E OS PROVÉRBIOS

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de Lu Dias Carvalho

viuva

Se a mulher casada já não é bem vista pelos provérbios, imaginemos os comentários proverbiais direcionados à solitária viúva. A verdade é tão doída que um provérbio chinês reza que “A mulher com sorte morre antes do marido, a desgraçada morre depois”, uma vez que nada tem mais a esperar da vida. Entretanto, a morte da mulher é regozijo para o marido, pois “Luto por mulher morta só dura até a porta”, confessa um provérbio catalão, uma vez que “A mulher só oferece ao marido dois dias de felicidade: o das núpcias e o da morte”, como informa um ditado inglês. Tais bizarrices nos dão conta de como a vida da mulher em tempos idos era totalmente desprovida de respeito.

E como não poderia deixar de ser, os homens são aconselhados a não se casarem com viúvas, pois, segundo um provérbio francês, “Mulher que enterra um marido não se importa em enterrar outro”. E um inglês adverte: “Não cases com uma viúva, a menos que o primeiro marido tenha sido enforcado”, ou “Não te cases com viúva, pois a cada briga recordará o defunto”, sem falar que “Viúva é como lenha verde: chora, chora, mas pega fogo”. E se é rica, a coisa se complica, pois “Viúva rica por um olho chora, por outro pisca”, afirma um provérbio brasileiro. E pisca mesmo, principalmente se teve por companheiro um brutamontes, desprovido de qualquer sensibilidade.

O casamento é visto em grande parte das culturas como de fundamental importância para que a mulher tenha a sua fonte de sustento, a fim de que seja provida pelo homem. Quando fica viúva, ela se sente diminuída diante da família e da sociedade que a humilham e dela fazem troça, perdendo sua respeitabilidade, conforme afirma um provérbio mali: “O baobá caiu, agora as cabras sobem em cima dele”, ou um chinês que apregoa: “Uma viúva é um barco sem leme”, ou seja, ela não tem mais quem a oriente e proteja, a menos que se case novamente. Um provérbio espanhol, para lá de generoso, oferece uma boa solução para a viúva desgovernada, mas, se ela for atraente: “Viúva bonita deve ser casada, enterrada ou colocada num convento”. Quanta bondade!

Como acham que a mulher sempre necessita da companhia de um homem (um pai antes e um marido depois), em algumas culturas, na ausência de um deles, a viúva é “herdada” por um dos irmãos do marido morto, assim como seus filhos, pois ela não tem condições de gerir a própria vida, quanto mais a dos filhos. Um provérbio espanhol reza que  “Filho de viúva ou é malcriado ou mal-acostumado”.

Tais provérbios retratam uma época em que a mulher não trabalhava fora, não estudava e não era dona do próprio nariz. E, portanto, eram vistas como um encargo, mas hoje os tempos são outros. Bem, nem em todas as culturas… Muitas há que ainda continuam na Idade Medieval. O que é lamentável.

Fontes de pesquisa:
Nunca se case com uma mulher de pés grandes/ Mineke Schipper
Livro dos provérbios, ditados, ditos populares e anexins/ Ciça Alves Pinto
Provérbios e ditos populares/ Pe. Paschoal Rangel

Visits: 21

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *