A TEMPESTADE (Aula nº 50 B)

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH                                                      (Clique na imagem para ampliá-la.)

Giorgione é um pintor do Renascimento italiano. Foi o primeiro a pintar paisagens com figuras e nus reclinados.  Às suas formas suaves de paisagens ele uniu as figuras numa relação íntima e familiar.  Sua influência foi considerável para as futuras gerações de artistas que têm se preocupado com a cor, forma, harmonia e sentimento. O artista dava à paisagem uma importância especial. Ela era a parte mais importante de sua composição, agregando-se às figuras humanas, vistas como elementos da natureza.  Distanciando-se de uma pintura essencialmente religiosa, sua obra está imbuída pelo amor à natureza e pela beleza do corpo humano. Foi o primeiro pintor a acrescentar figuras nas suas paisagens; a abrir mão da finalidade devocional, alegórica ou histórica em suas obras; a usar as cores com intensidade, o que se tornou típico da escola veneziana. Foi também um dos primeiros a usar a técnica do sfumato e do chiaroscuro, — uso de tons de cor para evidenciar a perspectiva e a luz. A Tempestade é o seu quadro mais famoso e uma das pinturas mais aclamadas da arte ocidental. Primeiramente é necessário acessar o link Giorgione Barbarelli – A TEMPESTADE e ler o texto com muita atenção, sempre voltando a esse quando se fizer necessário.

Obs.: Os participantes devem ler integralmente o texto indicado pelo link, para aguçar a sua capacidade de interpretação de obras.

  1.  O pintor italiano Giorgione Barbarelli é tido como o fundador da pintura:

    1. florentina
    2. veneziana
    3. sienense
    4. milaneza

  2. A importância de Giorgione dá-se, sobretudo, porque até aquela época a paisagem:

      1. Não era vista com bons olhos.
      2. Só entrava como complemento numa obra.
      3. Só era criada por pintores menores.
      4. Inexistia na arte pictórica.

  3. Todas as afirmações sobre a obra são verdadeiras, exceto:

    1. Foi encomendada pelo nobre Gabriel Vendramin.
    2. Esta pintura é basicamente uma paisagem.
    3. Não se conhece o significado que possa encerrar.
    4. Já foi descrito como Paisagem em Tela com Tempestade, Cigana e Soldado.

  4. A composição possui pequenas dimensões, apresentando um local poético com suas cores fortes e tristonhas em que o pintor usa a cor e a luz para dar …………. à pintura.

    1. brilho
    2. destaque
    3. simetria
    4. unidade

  5. Sobre a técnica do “sfumato” e as cores utilizadas na pintura, nós não podemos afirmar que:

    1. Giovanni já conhecia o trabalho de Leonardo da Vinci.
    2. A técnica do sfumato foi utilizada pelo genial Leonardo da Vinci.
    3. As cores mais quentes apresentam-se no primeiro plano.
    4. Os tons de azul no fundo trazem uma sensação delicada de profundidade.

  6. A respeito das figuras humanas presentes na composição é incorreto dizer que:

    1. Elas não se mostram atentas com a tempestade que se avizinha.
    2. A mulher alimenta calmamente sua criança, sentada na relva.
    3. Elas demonstram preocupação com a chegada da tempestade.
    4. O homem e a mulher agem como se nada estivesse para acontecer.

  7. Raios X comprovam que antes de pintar a figura do homem, Giorgione teria pintado uma mulher:

    1. andando
    2. banhando-se
    3. ajoelhada
    4. vestindo-se

  8. A mulher está quase que totalmente despida. Suas pernas estão separadas e ela inclina o corpo para frente. Sobre seu bebê podemos afirmar que ele:

    1. Encontra-se no seu colo.
    2. Mama no peito direito da mãe.
    3. Está voltado para a ponte.
    4. Não está no colo da mãe.

  9. Alguns estudiosos de arte acreditam que a mulher da composição seja uma referência a:

    1. Eva e Caim
    2. Maria e Jesus
    3. Rodrigo Bórgia e César Bórgia
    4. Nicolau III e seu filho Leonello

  10. Todas as respostas estão corretas, exceto:

    1. O homem e a mulher usam branco e posicionam-se em primeiro plano.
    2. O olhar do observador vagueia de uma figura para outra até chegar ao rio.
    3. Um relâmpago corta o céu, alumia a cidade desértica e deixa no ar certa calma.
    4.  O artista capta o exato momento em que o relâmpago ilumina as nuvens.

  11. Giorgione abre mão das linhas dos contornos para trabalhar com as transições ……..

    1. da iluminação
    2. da cor
    3. do espaço
    4. do branco

  12. O tema da pintura é:

    1. a cegonha
    2. o relâmpago
    3. a cidade desértica
    4. a paisagem

  13. O foco principal da composição é:

    1. a luz sobrenatural da tempestade
    2. a mulher seminua com seu bebê
    3. o gibão vermelho do homem.
    4. os dois pilares quebrados

  14. “Giorgione não desenhou coisas para depois dispô-las no espaço, mas pensou realmente na natureza — a terra, as árvores, a luz, o ar, as nuvens e os seres humanos com suas cidades e pontes — como um todo indivisível. De certo modo, isso foi um avanço quase tão grande para um novo domínio da arte de pintar quanto a invenção da perspectiva o fora antes”.

    O comentário acima a respeito da obra, dado por E. H. Gombrich, diz respeito:

    1. às cores
    2. à explosão de luz e ar
    3. à paisagem
    4. aos personagens

  15. Ao incluir modificações tonais em razão das mudanças na atmosfera, o pintor Georgione prenuncia o:

    1. Realismo
    2. Impressionismo
    3. Simbolismo
    4. Romantismo

  16. O …………….. é a habilidade de suavizar ou borrar as extremidades das formas para evitar um contorno definido, ou seja, são contornos suaves que escondem a transição entre as cores.

    1. sfumato
    2. tenebrismo
    3. afresco
    4. chiaroscuro

Melhore sua percepção: encontre uma cobra na pintura.

Gabarito

1.b / 2.a / 3.c / 4.d / 5.a / 6.c / 7.b / 8.d / 9.a / 10.c / 11.b / 12.d / 13.a / 14.c / 15.b / 16.a

Nota: Conheça mais sobre a vida do artista, acessando o link:
Mestres da Pintura – GIORGIONE BARBARELLI

2 comentários em “A TEMPESTADE (Aula nº 50 B)

  1. Marinalva Autor do post

    A Tempestade é um quadro belíssimo! Famosa pintura renascentista do jovem gênio e pintor Giorgione. Dá muito prazer apreciar a beleza poética, as cores ricas, o ar de melancolia. O uso inovador da luz e da cor unindo as imagens dão à obra um ar de mistério e de magia. Esses predicados são fundamentais e qualificativos da grande arte. A beleza e a harmonia, tudo é enigmático e misterioso.Talvez o artista quisesse que o observador imaginasse e desse significado à sua obra.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Marinalva

      Essa obra de Giorgione foi responsável pelo aparecimento da paisagem como tema central e não mais coadjuvante. É mesmo de uma extrema beleza. Parece viva.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *