Church – AS CATARATAS DO NIAGARA

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de Lu Dias Carvalho

O pintor estadunidense Frederic Edwin Church (1826-1900) foi aluno de Cole Catskill, sendo apontado como seu sucessor na escola americana de pintura paisagística. Suas paisagens possuem um grande formato e são detalhadas no tratamento da natureza, mostrando seu profundo conhecimento das ciências naturais. As muitas pinturas criadas em vários países que visitou mostram seu grande interesse pela botânica, geologia e fenômenos meteorológicos, mostrados de uma forma romântica, normalmente apresentando o amanhecer ou o findar do dia. Ele acreditava que não era preciso ir a Londres ou a Paris em busca de inspiração, bastava apenas pintar a natureza no estado em que fora criada antes do aparecimento do homem.

A composição intitulada As Cataratas do Niagara é uma obra-prima do artista. Em sua composição ele retrata as mundialmente conhecidas cataratas encontradas no território dos EUA. Ao examinar o quadro, o observador vê-se tomado pelo sentimento de poder sem limites exalado pela natureza, repassado principalmente pela vastidão da imagem paisagística. O artista conseguiu alcançar tal objetivo, ao usar um formato pictórico pouco comum em que a largura é quase o dobro da altura, e também pelo modo ousado com que mostrar a cachoeira em formato de ferradura, o que possibilita ao observador ver a imensa massa de água cair fragorosa à sua frente.

Ao fundo – de ponta a ponta do quadro – uma pequena faixa de terra, postada horizontalmente, reforça as vastas extensões da queda de água que se expõe diante do observador, contribuindo para aumentar a sensação de proximidade com a natureza. O ar de enigma presente na obra repassa a impressão de mistério, elevando o tema para o campo do simbólico.

Frederic Edwin Church, apesar de ter criado uma obra exuberante no que diz respeito ao tema, usa uma paleta de tons pálidos e delicados. Observe que o céu de tonalidade violácea funde-se com o arco-íris e com a névoa oriunda dos salpicos da água, espelhando-se nas trevas da água conturbada do primeiro plano.

A obra em estudo foi exposta pela primeira vez em 1857 em Nova York, angariando um grande sucesso para o autor, contribuindo para ampliar a fama da ainda jovem arte estadunidense na Europa que a partir daí ganhou uma notável atenção. O quadro foi exibido em Londres no mesmo ano, sendo que o jornal “The Times” elogiou o trabalho paisagístico do artista. Na França a pintura recebeu, 10 anos depois, uma medalha na Feira Mundial de Paris de 1867.

Ficha técnica
Ano: 1857
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 108 cm x 229,9 cm
Localização: The Corcoran Gallery of Art, Washington, EUA

Fonte de pesquisa
Obras-primas da pintura ocidental/ Taschen

2 comentaram em “Church – AS CATARATAS DO NIAGARA

  1. Adevaldo R. de Souza

    Lu

    Não me sinto muito atraído pela pintura de paisagens, entretanto essa de Frederic Edwin Church ficou bastante interessante, mostrando as trovoadas das águas, com se fosse um olho de furação. O artista conseguiu retratar com bastante realismo a famosa cachoeira Niágara, usando corres naturais nas pinceladas com significantes detalhes.

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.